Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

Diário de uma dESarrumada

21
Mar20

O Motoqueiro.

NSFW: se estás no trabalho, não leias o post que se segue, obrigada. Mas estou a postar isto num sábado, durante um isolamento social, por isso as probabilidades de estarem no trabalho são mínimas... no entanto, se estiverem com os vossos filhos, digam-lhes para saírem da divisão. Não digam que não avisei.

 

Como prometido, aqui está a história do Motoqueiro mais velho. Um aventura que guardo carinhosamente na memória como uma das minhas melhores fodas de sempre. Não vou chamar a isto fazer amor, porque não foi, foi mesmo foder, com F grande, e talvez por isso seja a aventura que guardo com mais carinho, e a que mais custou a contar aqui. Porque queria ter tempo para escrever os detalhes todos, e queria que o post ficasse especial. Entretanto esqueci-me de alguns detalhes, por isso peço desculpa, mas penso que o essencial tenha ficado guardado e vá ficar aqui registado.

 

Verão 2019, em Paris. Só me lembro que a cidade estava bastante vazia e que estávamos numa das duas grandes vagas de calor que houve nesse Verão. Talvez fosse a vaga de calor de fim de agosto. 

 

Andava pelo Tinder literalmente à procura de alguém para me foder. Era o meu desejo da época, tinha decidido que 2019 ia ser o ano do foda-se, o ano da minha libertação sexual. Foi também o ano em que fiz 28 anos. E fodi muito. Talvez sem pensar nas consequências negativas disso, mas de certeza que não pensei nas positivas. E ainda foram algumas. Ao todo foram 10 homens, num só ano. Se me arrependo? Nunca. Se voltarei a repetir a experiência? Não sei.

 

Não sei se sabem, mas no Tinder dá para meter um limite de idade para a as pessoas que queremos conhecer, e acho que na altura tinha metido 32 ou 35, não me lembro bem. Fiquei espantada quando fiz match com um gajo que não tinha a idade visível no perfil dele... Pareceu-me mais velho, o que normalmente não me iria atrair, mas tinha ali um olhar penetrante que me dizia qualquer coisa...

 

Olhos verdes são paixão, ou perdição, ou pecado. Não me lembro da letra da música. Mas ele tinha olhos verdes, barba preta, cabelos pretos encaracolados a cair pelos ombros, que ele atava em cima da nuca, em modo man bun. Que eu descobri nessa altura que adorava... atentem neste detalhe do man bun, porque isto vai voltar a  ser falado no blog...

 

Disse-me que tinha 42 anos, divorciado, vivia com o filho de 19 anos, mas este tinha ido passar o fim-de-semana com a mãe, por isso tinha o apartamento só para ele. Disse-me que morava no 16º arrondissement de Paris. Para quem não sabe é um dos bairros mais luxuosos. Na altura andava com sonhos de riqueza e luxo e pareceu-me bem estar a falar com um homem que parecia estar bem na vida. Perguntou-me se queria ir jantar com ele, a casa dele, disse-lhe que sim.

 

Vesti um top de alças cor-de-rosa, meti saltos altos, batom vermelho, e enfiei-me no metro. Na altura não conhecia assim tão bem Paris como agora, perdi-me ligeiramente no metro, e andar por aqueles túneis todos de saltos altos não foi fácil. Mas 40 minutos depois cheguei ao destino. Não estava lá ninguém, pensei que se tinha esquecido de mim... mandei sms... eis que ele chega, ao longe, montado na mota e com um capacete preto... pára ao pé de mim, e tira o capacete, com os cabelos encaracolados e pretos a cair-lhe pelos ombros, aqueles olhos verdes a dizer-me para subir para a mota... dá-me um capacete para as mãos que eu não sabia meter, ele meteu-mo, e só o facto de ele me apertar a fita do capacete e me dizer para o segurar pela cintura enquanto ligava a mota, eu já fiquei molhada... ele acelerou entre a paragem do metro e a casa dele, que não era assim tão longe... mas nunca pensei que ir sentada na parte de trás de uma mota agarrada a um homem com um casaco de cabedal me fosse excitar tanto. Não sabia ainda o que me esperava, mas já estava com o pressentimento de que ia ser bom. Mal eu sabia que vinha dali a melhor noite de sexo cru da minha vida.

 

Chegámos a casa dele. Subimos desde a garagem para o andar onde ele morava, no elevador apertadinho. Entrei no apartamento dele e era espectacular, grande sala com abertura para o quarto, e quase enfartei, uma varanda enoooorme com vista para a torre Eiffel! Com sofázinhos e uma mesa branca, na varanda, janela envidraçada aberta, estava mesmo muito calor.

 

torreeiffel.jpg

 

Ele preparou-me o jantar. Lembro-me que era uma cena panada com ketchup, mas who cares? Serviu-me uma flûte de champanhe e fomos para a varanda com vista para a torre Eiffel beber. Já estava tão excitada com aquele ambiente.... é que vocês nem imaginam.... e o gajo ainda nem me tinha tocado... estávamos lado a lado no sofa, ele tira-me o copo da mão para o meter na mesa e começa a inclinar-se para cima de mim, mete-me uma mão firme na anca, e inclina-se mais, para me beijar na boca, beijava bem, tinha uma língua áspera, mas agradável. O toque era forte e masculino... tira-me os sapatos... tira-me as calças... e eu tão quente, tão húmida... tinha metido um fio dental, que ele puxou para o lado, e quando dei conta só senti dois dedos a penetrar-me, assim, sem aviso.... e ele fez aqueles movimentos loucos para cima e para baixo, e vim-me na mão dele. Ali, no sofá da varanda.... a olhar para a Torre Eiffel.

 

Ele pegou em mim ao colo, eu nua da parte de baixo, e ele ainda vestido, e levou-me para a cama. Despiu-me toda, lambeu-me de cima abaixo, num passe de mágica meteu um preservativo, e agarrando-me pelo pescoço, meteu-o todo em mim, e começou a foder-me toda, enquanto me agarrava com força, o pescoço e os cabelos.... não sei como é que ele fez tudo tão rápido, mas notava-se que era experiente e muito seguro de si... sabe mesmo bem estar nas mãos de alguém que sabe o que está a fazer, e admito, gosto quando não tenho que pensar em nada e é o homem que toma conta do recado... no sexo prefiro ser submissa, e este homem tinha tudo que eu preciso de um dominador.

 

Entretanto comeu-me de frente, por trás, eu vim-me muito... e quando estava de quatro cuspiu-me no rabo e meteu-me dois dedos ... enquanto me fodia... nunca tinha feito uma dupla penetração com alguém, só sozinha com os meus brinquedos, e apesar de ter sido só com os dedos, gostei mesmo muito e fiquei com o desejo secreto de, um dia, quando voltar a ter um ataque de loucura e decidir oferecer-me outro ano do foda-se, de ter uma experiência com dois homens... quem sabe um dia!

 

Depois de me foder de costas com pila e dedos, deitou-me de lado, meteu a pila dele na  minha boca e fodeu-me com as duas mãos, uma na cona, outra no cu, eu estava com todos os buracos do corpo extremamente preenchidos.... e quando eu pensava que ele se ia vir, ele pega em mim e leva-me outra vez para a varanda, toda nua, e empurra-me contra o balcão, virada para a estrada e para a torre Eiffel. Estava de pé apoiada com os cotovelos no muro, e fodeu-me mesmo ali, de pé, com força, muita força, com uma mão na minha boca para eu não gritar e outra a puxar-me os cabelos... lembro-me que até vi estrelas, e senti vertigens, porque de cada vez que olhava para baixo só via carros, muito pequeninos, em duas filas em movimento, uma amarela e outra vermelha. Devíamos estar praí no 10º andar ou algo do género.... eu devia estar drogada de prazer só pode, com as vertigens que tenho, nunca na vida, em estado normal, eu teria aceite foder naquele sítio e naquela posição... 

 

Mas foi bom, muito bom... tive o maior comboio de orgasmos da minha vida. Até lhes perdi a conta. Depois deitou-me no chão da varanda, não de quatro, mas deitada mesmo, só com o rabo para o ar, e penetrou-me no cu... eu já só sentia prazer, nada me doía, ele podia fazer de mim o que quisesse, e sabia-o, abusou de mim e do meu corpo, porque sabia que era isso que eu queria naquela noite, e que eu precisava na altura. Senti-o vir-se dentro de mim, e colapsar nas minhas costas, a respiração dele contra a minha orelha.

 

"T'as aimé?" - perguntou. Não respondi, só esbocei um sorriso de alguém que tinha acabado de correr uma maratona, e que acaba em primeiro lugar, cansada, mas feliz.

 

Levou-me para o banho, e lavou-me, eu pouco ou nada falei, só sentia a água e a espuma a deslizar no meu corpo enquanto ele me esfregava com a flor de duche. Estava em estado de êxtase, para lá das estrelas. Só queria dormir. 

 

Vesti-me e ele trouxe-me a casa na mota dele. Já passava da meia noite, estava mais perto da 1h da manhã. Lembro-me de ele me perguntar se queria ir ver a torre Eiffel, disse que sim, estivemos na base da torre, na mota dele, a alta velocidade, lembro-me de sentir o vento quente da noite de verão na cara e de pensar que em breve as luzes da torre iam desligar-se para fazer ó-ó. Lembro-me de dizer "foda-se, estou a morar em Paris!". Ele olhou para trás enquanto conduzia a mota e sorriu.

 

Deixou-me à porta de casa, desejou-me boa noite e foi-se embora. Subi para o estúdio, caí na cama ainda vestida e adormeci como uma pedra. Nunca mais o vi. No entanto, nunca mais esqueci aquela noite.

 

 

21
Fev20

Antónios há muitos #2

Muitos queriam saber como correu o date com o António. Então vou contar! Ele é 50% italiano, e eu confirmei em primeira mão que o mito do italiano engatatão e bom amante é real. 

 

Estive quase para fazer um post de TindAdvisor, mas como não conheci o moço através do Tinder, não vai dar para fazer isso. Vou só contar como foi num post normal. Espero que gostem, eu gostei, muito. 

 

Então foi assim, desde que nos encontrámos no restaurante chinês o moço ligou-me uma vez para marcarmos encontro num café ali da zona. Chegámos lá e ficámos na esplanada, daquelas aquecidas com um daqueles coisos que deitam chamas e que quase que uma pessoa fica ali com os coiratos todos tostados. Pedimos 2 cidras e um guacamole. Comemos aquela merda enquanto o gajo me olhava nos olhos e dizia cenas do género "és tão linda, sinto uma atração enorme por ti" e nisto ia mexendo nos meus cabelos e fazia festinhas na cara e tudo. Quase que podia ter sido lindo e maravilhoso, excepto que ele só falava da pila dele, e do quanto ela era grande e fodilhona.

 

Ligou-me todos os dias depois desse date, por volta da meia noite e meia, para me dizer o quanto se sentia atraído por mim e o quanto o bráulio dele era enorme.

 

Ainda tentei manter um bocado de dignidade e seriedade na conversa, mas quando ele me ligou a dizer "não te posso prometer nada de duradouro ou sério, mas posso prometer-te um serão extremamente agradável".

 

Não aguentei mais. 

 

Quando dei por ela estava em casa dele, de joelhos, a lamber-lhe os colhões enquanto ele me dava chapadas na cara e me chamava de puta e cadela submissa. 

 

Desarrumados da minha vida! Tenho a dizer-vos que foi das melhores quecas da minha vida. Top 10 das fodas mais bem dadas de sempre.

 

E sim, ele tinha um salsichão grande e sabia usá-lo, houve ali um momento em que ele me pegou pelas pernas, com os pés nos ombros dele, e deitou-se em cima de mim, ele meteu aquilo tudo lá dentro de uma vez e até vi estrelas. Juro. Mas que soube bem, lá isso soube! 

 

Estar de quatro, a levar com ele, enquanto me puxava os cabelos com força, no  estúdio minúsculo de um gajo quase-italiano em Paris, foi algo que nunca imaginei acontecer. 

 

No dia seguinte bloqueei-o no whatsapp e não voltámos a falar... Apesar de ele morar a 5 minutos do meu trabalho e até poder dar jeito ter uma boa queca debaixo de olho para possíveis emergências, prefiro continuar na minha busca por algo sério. E manter este momento como uma boa lembrança, um dos melhores comboios de orgasmos que tive desde que estou em Paris. Depois do motoqueiro... Shame on me, nunca contei a história do motoqueiro 🤦🏻‍♀️

 

Isto foi só um "acidente" de percurso, do qual não me arrependo nada by the way. É vocês, contem lá como foi a vossa melhor queca dos últimos tempos?

 

"Quecas no meu caminho? Guardo todas, um dia vou construir um bordel."

 

Beijo na bunda, da vossa sempre dESarrumada 💋🍑

 

09
Set19

Sexo e Diário íntimo

OS SAPOS DO ANO VOLTARAM!  

 

Eles bem se queixam que só têm trabalho e chatices com esta iniciativa, mas voltam sempre! E nós cá os esperamos 

 

Se me quiserem oferecer uma prenda de Natal adiantada, é nomearem-me e votarem em mim para a categoria que está no título deste post!

 

Isto se quiserem e não tiverem mais nada para fazer. Claro.

 

Formulário para as nomeações AQUI

 

Beijo na bunda! 

 

 

20
Ago19

Pode uma mulher falar abertamente sobre sexo na internet?

Olá desarrumados da minha vida, este post é um apelo a todos vós!

 

Chegou o momento de deitar tudo cá para fora... pre-pa-ra!

 

sexo_internet_blog.jpg

 

Na internet e na vida, até mesmo na minha profissão, tenho poucos tabus quando abordo o assunto da sexualidade. Mas hoje, vou abordar a minha relação com o blog e o porquê de estar mais afastada. Recentemente tive uma crise nos stories do Instagram, mas como sei que muita malta não tem Instagram - fazem bem porque aquela merda é muito viciante - vou partilhar tudo aqui.

 

Criei o blog em 2015. E desde o início dos inícios daqueles tempos, o blog sempre foi pautado de muito humor, muita javardice, e alguns momentos mais tristes à mistura. Esta porra é o MEU diário, por isso meto aqui o que me vai na real gana. E entre a multitude de assuntos que abordo, um deles é: a minha vida sexual.

 

Nunca, mas nunca, tive problemas em contar aqui detalhes das minhas relações, vitórias e falhanços pessoais... mesmo sabendo que isso me torna vulnerável aos olhos de muita gente.

 

Neste último ano que passou, estando solteira, decidi explorar mais a minha sexualidade, estou no meu direito, e isso acaba por trazer mais conteúdo ao blog nesse sentido. No entanto, algumas alminhas não contentes com a minha exploração sexual PESSOAL decidiram começar a achincalhar aqui o barraco, e a minha pessoa. Ya, ya, já estou a ouvir alguns velhos do Restelo a dizer: se não queres que te chateiem, não fales sobre isso. Mas aí é que está o ponto fulcral da questão: eu quero falar sobre o que bem me apetecer no meu blog! Porque tenho esse direito!!!

 

Vamos detalhar um bocadinho mais esta merda?

 

Vamos, pois!

 

Acontece que, o que outrora era um ou outro gato pingado a querer saber mais sobre a minha vida, ou a fazer questões mais pessoais, ou até mesmo, aconteceu-me de adicionar alguns leitores masculinos nas minhas redes sociais pessoais... isto acabou por, pouco a pouco, mas principalmente desde janeiro deste ano, se transformar num desfilar de tarados e haters nos comentários aqui do blog, nos mails e nas mensagens do Instagram.

 

Vou partilhar algumas das coisas que me têm dito, não para que tenham pena de mim, mas porque andei a engolir muita coisa, sem nunca falar no assunto, e essa opressão levou a que quase desistisse do blog. Hoje partilho eu o assédio que sofri, mas a minha partilha do fim-de-semana no Instagram, levou a que várias mulheres tenham vindo falar comigo sobre experiências que também viveram. E é essa partilha que quero começar a ver mais aqui no blog e nas redes sociais! Se a minha experiência servir para isso, então estamos um passo mais perto de lutar contra a sociedade patriarcal que nos tenta culpar, mulheres, por termos uma sexualidade aberta e sem culpas.

 

Afinal, quantos mais homens conheço mais me apercebo que: chegámos a um ponto em que nesta sociedade os homens querem uma mulher à sua disposição, submissa, pronta a fazer tudo que desejam, porque "hey, feminismo é isso mesmo, power to my vagina! fode quanto quiseres minha linda" mas... se essa mesma mulher, admitir que gosta de sexo, e que é ela que o procura, sendo ela que provoca os encontros "hey... mas qué isto? uma mulher que faz sexo porque gosta e não porque os homens querem? num pode, vamos atirá-la aos leões!".

 

É isto que me mói o juízo. As mesmas pessoas que me dizem nos comentários que sou uma puta por gostar de sexo, são os mesmos que me criticam quando recuso educadamente os seus avanços.

 

Mais uma vez, na cabeça de alguns homens tudo se resume a: "uma mulher pode gostar de sexo desde que eu queira fazer sexo com ela".

 

Algumas pérolas que já me disseram:

 

"ansioso para te dar a provar o meu caralho" - dito por um homem que nunca me viu na vida.

 

"a próxima vez que vieres a Portugal vou buscar-te ao aeroporto" - dito por um homem que nunca me viu na vida, casado.

 

"por acaso não queres ter uma aventura comigo?" - este até foi educado, mas num bai dar.

 

"já te masturbaste hoje?" - hmm... não tens nada a ver com isso?

 

"pelo que leio no teu blog deves ser muito melhor na cama do que a minha namorada / esposa" - sem comentários.

 

"à velocidade que dás o rabo não admira que tenhas problemas emocionais" 

 

"o teu namorado não te ligava nenhuma porque destravada como és tinha receio de levar um par de cornos"

 

"os teus pais devem estar orgulhosos da filha que têm" - dito num tom irónico claro está.

 

(e mais alguns que assim de repente não me estou a lembrar...)

 

Queria só deixar aqui umas coisinhas bem esclarecidas:

 

1. Se uma mulher dorme com homens que acabou de conhecer numa aplicação de encontros, isso não significa que vai abrir as pernas mal esteja contigo. CONSENTIMENTO.

 

2. Só porque uma mulher fala de sexo abertamente isso não te dá o direito de substituíres o teu "Olá, tudo bem?" por um "quero dar-te o meu caralho a provar". CONSENTIMENTO.

 

3. Se és casado e não estás satisfeito com a tua vida sexual, não recorras a desconhecidas na internet para te valorizarem o ego. Fala com a tua esposa sobre o assunto. RESPEITO.

 

4. Só porque uma mulher fala abertamente sobre a sua sexualidade, isso não te dá o direito de, com os teus juízos de valor, frutos do teu contexto bio-psico-social, julgares as suas escolhas ou tentares infligir uma qualquer espécie de culpa nessa mulher. Resolve os teus problemas, revê as tuas crenças. Segue a tua vida como TU queres e deixa-a viver a vida dela como ELA quer. RESPEITO.

 

Este post tem como único objectivo lançar um movimento! Dizer a todas as mulheres que:

podem falar sobre sexo,

podem gostar de sexo,

podem ter uma libido mais elevada que o vosso homem

 

não há nada de errado nisso! 

 

#sexosemculpa é o nome do movimento!

 

Podem usar nos posts em que falem sobre sexo. Ou não! Acima de tudo, falar ou não sobre sexo, permanece uma escolha! E quem escolhe fazê-lo não devia sentir-se culpada, ou melindrada pelos leitores ao ponto de quase desistir de o fazer.

 

Algumas meninas aqui na comunidade do Sapo já o fazem, e muito bem!

 

Mia

 

Para sempre Totó
que sem saber já começou o movimento #sexosemculpa AQUI

Obrigada

 

Bla Bla Bla

 

Se conhecerem outras mulheres que já abriram o jogo, digam nos comentários. Se tiverem testemunhos que queiram partilhar comentem aqui ou enviem para o email adesarrumada@sapo.pt

 

Vamos começar este movimento?

 

Beijo na bunda! 
Sem culpa 

 

 

 

 

Se gostam do blog partilhem com os amigos, se não gostam partilhem com as inimigas... E já sabem, há muita conversa interessante a contecer no instagram! Sigam a página por lá pesquisando por adesarrumada

 

18
Mai19

Sobre o Panda de Ouro.

Já lá vão 2 meses e meio, mais coisa menos coisa, sem ter relações sexuais. Para já aguento-me bem. É como fazer um detox. Mas desta vez, é um detox de energias... 

 

Sabiam que quando estamos com outra pessoa captamos a sua energia?

 

Por isso é que às vezes ficamos alegres só de estar com alguém alegre, e tristes mal uma pessoa triste entra na sala...

 

Tomei a decisão do Panda de Ouro, pelas razões que expliquei no último podcast, mas também porque li algures num artigo que ao termos relações sexuais com alguém, estamos a trocar / absorver a sua energia ao mais alto nível. É uma das formas mais profundas de receber / dar a energia de alguém. É tipo aquela funcionalidade nova dos telemóveis que carregam a bateria só de estar em contacto com outro telemóvel... Com os humanos, diz-se, acontece algo parecido.

 

Depois de 1 ano inteiro de one night-stands, decidi fazer um detox energético e deixar de ter relações sexuais com rapazes que mal conheço ...

 

Queria que isto durasse 12 meses inteiros. Mas não sei se vai dar... 🤷🏻‍♀️ De qualquer forma, prometi a mim própria, esperar mais antes de dormir com alguém . Dar tempo ao tempo. Tudo com o objectivo de saber se a energia que essa pessoa emana é de "boa qualidade".... É que, diga-se de passagem, estar com o Cachalote arrumou comigo... De um ponto de vista energético, claro. Que de resto não soube bem... Não aqueceu nem arrefeceu... Ele é uma pessoa depressiva, com graves problemas de aceitação de si próprio, e eu sabia-o, e mesmo assim fui ter com ele... Not good idea. 

 

Antes dele, tinha estado com um médico todo jeitoso e lindo, mas super egocêntrico, foi o #pila3. Sobre o qual acho que não falei aqui, porque quase, quase! me apaixonei por ele. Até ao dia em que ele me fez "ghost"... Puffff!! Desapareceu! E isso não me ajudou nada... De um ponto de vista energético... Porque esse na cama até era bom (e pagava bons restaurantes) 😇 fiquei com saudades dele... 

 

Espero que percebam melhor a minha pausa nas aventuras ... Ainda estou a tentar descobrir-me enquanto pessoa e mulher sexual. Acredito que a sexualidade é uma evolução e descoberta ao longo da vida. Cheira-me que até aos 30 anos, a coisa fica boa. Muito boa! 

 

Oremos irmãos. 

🙏🏻

 

09
Mai19

Em Ponto Maria: Ejaculação Feminina

É difícil fazer um post sobre este assunto sem entrar em detalhes técnicos... vou tentar não ser muito chata, ok? Vamos lá!

 

Ejaculação feminina, a eterna questão! Será que existe? Será que é tudo um mito criado pela indústria da pornografia? Pois. Talvez a ejaculação feminina como a conhecemos não seja real! Falo do squirt que vemos nos filmes porno; aquilo sai assim tipo esguicho mortal, direcionado aos olhos de alguém até é capaz de vazar uma vista.

 

Efectivamente, durante o orgasmo algumas mulheres libertam um líquido pela vagina, de quantidades variáveis, que ainda não está 100% identificado. Nalgumas mulheres esse líquido é esbranquiçado e em pequena quantidade, noutras o líquido é mais abundante e transparente, e até já se fizeram estudos recorrendo a ultra-sons, que mediam a quantidade de urina na bexiga antes e após orgasmo, e sim, verificou-se que algumas mulheres perdem urina durante as relações sexuais, e ainda mais durante o orgasmo (não há razão para ter vergonha aqui! acontece mais vezes do que aquilo que se pensa e muitas vezes no calor do momento passa despercebido...) 

 

A maior parte das mulheres que refere já ter tido uma ejaculação feminina, descreve uma sensação quente e de "libertação" de líquido, assim tipo tsunami, como se uma "porta de barragem" se abrisse, e não um jacto de líquido como se vê nos filmes porno... Tenho cá para mim que o que vemos nos filmes é SÓ urina... não pude ir analisar esta situação em detalhe porque não tenho dados móveis suficientes para tal, mas daquilo que me recordo, já vi filmes de squirting em que se vê claramente que a mulher está a fazer força para o jacto sair... se fosse uma "ejaculação" feminina verdadeira, não era preciso fazer força...

 

E é isto meus caros... desta vez não tenho nenhuma experiência ou história pessoal para vos contar porque nunca vivi isto. Nunca tive algo a que possa chamar "ejaculação feminina"... só me lembro de uma vez me estar a masturbar, ter tido um orgasmo super forte (e bom!) e ter um líquido branco nos dedos... será que era? Como tinha acabado de tomar banho pensei que fosse sabão e não liguei hahahaha. 

 

Hmmmm.... tenho que ficar mais atenta para ver se volto a ver algo do género... 

 

E vocês, homens e mulheres que estão a ler este post, já se depararam com esta situação? Meninas, já alguma vez ejacularam? 

 

Beijo na bunda! 

 

**************************

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

 

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

 

08
Abr19

Perioditivismo // Um pedido para todas as mães de menino(s)

perioditivismo.png

Mães desse país à beira mar plantado chamado Portugal. Mães portuguesas que estão noutro país. Mães de outras nacionalidades que encontraram aqui o blog mais desarrumado da Internet.

 

Por favor, tal como falam sobre o período com as vossas filhas, falem sobre esse assunto com os vossos filhos. Estou farta de ouvir homens falar sobre o período como se fosse o diabo encarnado nas suas mulheres / namoradas, de falarem disso como se fosse uma incapacidade, ou fazerem piadas, ou terem nojo, quase pior que tudo isto: TEREM VERGONHA DE ABORDAR ESSE ASSUNTO!

 

Aconteceu-me no ano passado: saí alguns meses com um rapaz que sempre que eu estava com o período me mandava a boquinha "Ainda tens isso? Porque não tomas daquelas pílulas que param o período? A minha ex tomava e era o paraíso para ela e para mim". Pois, chocante ouvir um discurso destes em pelo século XXI, não???

 

E sempre que lhe dizia ou falava de período tinha a impressão que esse assunto o aborrecia ou o deixava irritado, como se ele encarasse a menstruação como algo acessório na mulher, prescindível, uma doença que deve ser exterminada, uma verruga que deve ser arrancada. "Trata disso" dizia ele. Tratar como? Deixar de ser mulher? Impedir o meu corpo de fazer aquilo para o qual foi programado? Parar de ovular só porque o menino não queria ter 7 dias sem sexo? Não tenho dores na menstruação, não tenciono tomar nenhuma contracepção hormonal, não me incomoda nada ter relações durante o período (respeito se o sangue incomodar o rapaz com quem estou e não obrigo ninguém a nada)... mas tomar algo só porque algum rapaz não acha bem eu ter o período. NUNCA. NEVER. JAMÉ!

 

Fiquei a questionar-me sobre esses assuntos... Quantas mulheres tomam a pílula devido a pressão psicológica exercida pelo parceiro? Quantas mulheres não têm o controlo absoluto de tudo que ingerem ou colocam no seu corpo? Os rapazes não são educados para aceitar o período como algo que faz parte de ser mulher? E este problema vem de onde? Não tiveram contacto com mulheres ao crescer? Elas não falaram sobre esses assuntos com eles? Se estivermos à espera que seja o pai a falar sobre período com os filhos homens... acho que, na maior parte dos casos, podemos esperar sentadas.

 

Eu lembro-me da minha mãe, mal eu tive o primeiro período, me ter metido um caixotinho do lixo no quarto para eu não deitar os meus produtos menstruais usados na casa-de-banho familiar, evitando assim que o meu pai e irmão vissem... quando íamos às compras com eles nunca comprávamos pensos higiénicos ou tampões... a minha mãe comprava quando fazia compras sozinha. E conheço outras famílias onde isto acontece. Só hoje em dia me apercebo do quão tóxico este comportamento pode ser. Apercebo-me que, como este assunto fica sempre escondido, muitos homens partilham a casa, durante uma infância e adolescência inteiras, com as suas mães e irmãs sem nunca se aperceberem que elas têm o período. Depois, já adultos, começam a sair com uma rapariga e quando ouvem falar em período é o "ai meu Deus, que doença nojenta é essa? Livra-te disso!"

 

Por isso, mães de meninos, irmãs de meninos, tias de meninos, avós de meninos, falem sobre o período com os homens da vossa vida. A futura mulher dele agradece.

 

Beijo na bunda! 

Bem-vindos ao meu diário, um lugar seguro onde podemos falar sobre tudo. Já comentaram hoje? Bisou, da vossa dESarrumada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D