Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

27
Abr17

Síndrome da mala vazia.

Estão a ver aquele momento tão conhecido dos universitários que é o bloqueio inspiracional antes de começar uma tese? Aquela fase em que passam dias ou semanas a olhar para um documento Word aberto, sem escrever uma palavra que seja. Pois bem, esta manifestação de procrastinação é conhecida como a "síndrome da página branca".


 


Eu para além de sofrer desta, sofro da "síndrome da mala vazia". Isto acontece quando uma pessoa antes de ir apanhar um avião, ou comboio, ou seja o que for, passa os dias anteriores a olhar para a mala aberta no chão do quarto, sem meter lá rigorosamente nada. Nadinha.


 


Até chegar à noite da véspera da viagem, panicar um monte porque ainda não se meteu nada na mala e acabar por fazer tudo em 30 minutos. Depois é vê-lo a chegar, o pânico, o horror, quando já estamos no dito cujo avião ou comboio, e apercebemo-nos que nos esquecemos das cuecas em cima da cama, e que a viagem é de 4 dias.

24
Out16

Crianças perdidas no supermercado...

Hoje estava a fazer as minhas comprinhas do supermercado, e sim, consegui resistir à vontade de comprar chocolate (yeah!). Já era quase hora do fecho por isso o supermercado estava praticamente vazio.


Estava eu no corredor dos enlatados e eis que passa na fila do lado (um daquelas filas junto à parede do fundo onde normalmente estão a água, o leite, os sumos e assim) uma menina muito pequenina, a caminhar no máximo de velocidade que as suas pernitas lhe permitiam. Devia ter praí uns 2 anos, estava a andar completamente sozinha e a chamar "maman, maman, maman" a um ritmo demasiado insistente. Vi que estava perdida. Eu fiquei a olhar para ela, olhei à volta e não vi ninguém, mas mesmo ninguém.


Sabem aquele momento em que uma pessoa congela e não sabe se há-de avançar e ajudar a criança, mas ao mesmo tempo não avança porque tem medo que a mãe chegue e pense que a estamos a tentar raptar ou algo do género? Pois, foi o que me aconteceu. Fiquei a olhar para a miúda, com uma lata na mão, fiquei a segui-la com o olhar, pronta a reagir caso ela continuasse sozinha por muito mais tempo. Eis então que ao meu lado passa uma mulher a correr e se dirige na sua direção. Era a "maman" dela. Ainda me lançou um olhar furtivo do género "estavas a olhar para ela e não fazias nada sua besta", penso eu.


Este tipo de situações de merda são sempre difíceis de gerir internamente. Imagino que a mulher deva ter entrado em pânico, no lugar dela eu teria entrado, mas não larguei os olhos da menina um segundo desde que a vi. Se isso servir de alguma coisa já é bom... mas acho que só serve para consolar a minha alma, que neste momento estou a sentir-me um ser humano incompetente. Como vou algum dia conseguir cuidar dos meus filhos?

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D