Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

18
Mai19

Sobre o Panda de Ouro.

Já lá vão 2 meses e meio, mais coisa menos coisa, sem ter relações sexuais. Para já aguento-me bem. É como fazer um detox. Mas desta vez, é um detox de energias... 

 

Sabiam que quando estamos com outra pessoa captamos a sua energia?

 

Por isso é que às vezes ficamos alegres só de estar com alguém alegre, e tristes mal uma pessoa triste entra na sala...

 

Tomei a decisão do Panda de Ouro, pelas razões que expliquei no último podcast, mas também porque li algures num artigo que ao termos relações sexuais com alguém, estamos a trocar / absorver a sua energia ao mais alto nível. É uma das formas mais profundas de receber / dar a energia de alguém. É tipo aquela funcionalidade nova dos telemóveis que carregam a bateria só de estar em contacto com outro telemóvel... Com os humanos, diz-se, acontece algo parecido.

 

Depois de 1 ano inteiro de one night-stands, decidi fazer um detox energético e deixar de ter relações sexuais com rapazes que mal conheço ...

 

Queria que isto durasse 12 meses inteiros. Mas não sei se vai dar... 🤷🏻‍♀️ De qualquer forma, prometi a mim própria, esperar mais antes de dormir com alguém . Dar tempo ao tempo. Tudo com o objectivo de saber se a energia que essa pessoa emana é de "boa qualidade".... É que, diga-se de passagem, estar com o Cachalote arrumou comigo... De um ponto de vista energético, claro. Que de resto não soube bem... Não aqueceu nem arrefeceu... Ele é uma pessoa depressiva, com graves problemas de aceitação de si próprio, e eu sabia-o, e mesmo assim fui ter com ele... Not good idea. 

 

Antes dele, tinha estado com um médico todo jeitoso e lindo, mas super egocêntrico, foi o #pila3. Sobre o qual acho que não falei aqui, porque quase, quase! me apaixonei por ele. Até ao dia em que ele me fez "ghost"... Puffff!! Desapareceu! E isso não me ajudou nada... De um ponto de vista energético... Porque esse na cama até era bom (e pagava bons restaurantes) 😇 fiquei com saudades dele... 

 

Espero que percebam melhor a minha pausa nas aventuras ... Ainda estou a tentar descobrir-me enquanto pessoa e mulher sexual. Acredito que a sexualidade é uma evolução e descoberta ao longo da vida. Cheira-me que até aos 30 anos, a coisa fica boa. Muito boa! 

 

Oremos irmãos. 

🙏🏻

 

15
Mai19

Conan Osiris onde escondeste os ataques epilépticos?

Gostei muito da performance do Conan Osiris e do João na Eurovisão. Mas... Quando actuaram aqui em Portugal senti mais aquele efeito "WOW". Ele estava mais sorridente, a curtir milhões, o outro gajo la atrás a fazer a cena dele, a dançar como lhe dava na telha, um "estilo" diferente, a divertirem-se, quase como se estivessem sozinhos na sala. Ontem não vi isso, vi um Conan com uma expressão mais séria, quase agressiva, um João que fazia too much ballet, nem parecia que estavam ali juntos. Houve muito menos cumplicidade, e notou-se.

 

De um ponto de vista técnico, sinceramente, os operadores de camera não devem pescar nada daquilo, porque abriam o plano nas partes em que a dança era mais interessante. (fizeram o mesmo com a gordinha que dançou com o Bilal Hassani e outros...)

 

Tudo isto para dizer que tenho saudades dos ataques epilépticos. E que tenho mesmo muita pena da maior parte dos artistas portugueses introduzirem uma actuação cá, e depois mudarem tudo até ao último dia... Porque não manter a mesma actuação até ao final? Qual a necessidade de mudar tudo? Nesse aspecto o Salvador Sobral foi mais "daqui não saio, daqui ninguém me tira"... Fez a cena dele até ao fim (ainda hoje não sei como não tocou trompete na final 😝) e ganhou aquilo tudo.

 

Somos todos borregos. 

13
Mai19

Dizer ou não dizer?

Quando era mais novinha contava os meus planos futuros a toda a gente que conhecia e isso trazia-me alguns dissabores, especialmente se não os cumprisse.... "então não disseste que ias fazer X?", "então afinal mudaste de ideias?", "oh, isso é outra coisa que nunca vais cumprir..."

Isto acontece-me porque mudo de ideias frequentemente... Ultimamente tenho evitado contar os meus planos a toda a gente. Só conto aos mais próximos, aos que sabem que os meus planos, às vezes, são só rascunhos 😇, e que muitas vezes, ainda vou aperfeiçoar a ideia, ou aperceber-me que afinal esta não me convém e passar a outra coisa. Pois, esses são poucos, cada vez menos. Mas não é fácil encontrar pessoas de confiança, pessoas que não julguem os outros pelas suas escolhas... E às vezes, quem mais julga os outros por mudarem de ideias, são aqueles que nunca decidem nada, que estão sempre na mesma...

E pensar que durante anos me deixei afectar pela opinião de pessoas assim... 🤔

09
Mai19

Em Ponto Maria: Ejaculação Feminina

É difícil fazer um post sobre este assunto sem entrar em detalhes técnicos... vou tentar não ser muito chata, ok? Vamos lá!

 

Ejaculação feminina, a eterna questão! Será que existe? Será que é tudo um mito criado pela indústria da pornografia? Pois. Talvez a ejaculação feminina como a conhecemos não seja real! Falo do squirt que vemos nos filmes porno; aquilo sai assim tipo esguicho mortal, direcionado aos olhos de alguém até é capaz de vazar uma vista.

 

Efectivamente, durante o orgasmo algumas mulheres libertam um líquido pela vagina, de quantidades variáveis, que ainda não está 100% identificado. Nalgumas mulheres esse líquido é esbranquiçado e em pequena quantidade, noutras o líquido é mais abundante e transparente, e até já se fizeram estudos recorrendo a ultra-sons, que mediam a quantidade de urina na bexiga antes e após orgasmo, e sim, verificou-se que algumas mulheres perdem urina durante as relações sexuais, e ainda mais durante o orgasmo (não há razão para ter vergonha aqui! acontece mais vezes do que aquilo que se pensa e muitas vezes no calor do momento passa despercebido...) 

 

A maior parte das mulheres que refere já ter tido uma ejaculação feminina, descreve uma sensação quente e de "libertação" de líquido, assim tipo tsunami, como se uma "porta de barragem" se abrisse, e não um jacto de líquido como se vê nos filmes porno... Tenho cá para mim que o que vemos nos filmes é SÓ urina... não pude ir analisar esta situação em detalhe porque não tenho dados móveis suficientes para tal, mas daquilo que me recordo, já vi filmes de squirting em que se vê claramente que a mulher está a fazer força para o jacto sair... se fosse uma "ejaculação" feminina verdadeira, não era preciso fazer força...

 

E é isto meus caros... desta vez não tenho nenhuma experiência ou história pessoal para vos contar porque nunca vivi isto. Nunca tive algo a que possa chamar "ejaculação feminina"... só me lembro de uma vez me estar a masturbar, ter tido um orgasmo super forte (e bom!) e ter um líquido branco nos dedos... será que era? Como tinha acabado de tomar banho pensei que fosse sabão e não liguei hahahaha. 

 

Hmmmm.... tenho que ficar mais atenta para ver se volto a ver algo do género... 

 

E vocês, homens e mulheres que estão a ler este post, já se depararam com esta situação? Meninas, já alguma vez ejacularam? 

 

Beijo na bunda! 

 

**************************

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

 

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

 

22
Abr19

Amizades sinceras... ou não.

Já vos aconteceu sentirem que alguém só fala com vocês porque tem a crença de que vocês são inferiores a ele/ela?

 

dementors_falsos_amigos_desarrumada.jpg

 

Desde muito nova que isto me acontece imenso. Não sei se por falta de auto-estima minha, ou se este meu sexto sentido é verdadeiro... Às vezes debruço-me sobre esta sensação e analiso todas as pessoas com quem a tal pessoa se dá para ver se o meu palpite é correcto. E muitas vezes é. São pessoas que estão rodeadas, não de amigos, mas de vassalos.

 

Considero-me alguém tímida, com tendência a aceitar o que os outros dizem, sem oferecer muita resistência... e quando alguém me deixa desconfortável e com a sensação que estou a pisar-me a mim própria, normalmente essa pessoa é alguém que vive rodeada de pessoas "como eu". E isto agora é um grito de alerta para mim!

 

Antigamente tentava afirmar-me, discutia com essa pessoa até, tentava "mostrar-me", tentava chamar a atenção "hey, estou aqui", "hey, olha para mim", "hey, eu existo", "hey, não estou aqui só para dizer que sim a tudo que tu queres". Mas isso acabou este ano.

 

Hoje em dia afasto-me. Quando alguém me provoca desconforto, seja de que tipo for, já não sinto aquela necessidade de agradar, simplesmente vou embora. Explicações são servem de nada com pessoas assim. São pessoas que absorvem todas as energias que estão à volta delas, e quanto mais dermos de nós, mais nos sentimos drenados, sugados, esgotados.

 

São os dementors da vida. E eu decidi dizer basta. Só este ano já foram 3 pessoas com quem deixei de falar. E estou muito melhor assim. Menos cansada, menos esgotada, sem necessidade de provar nada aos amigos que ficaram. Pessoas assim já não me fazem falta. 

 

08
Abr19

Perioditivismo // Um pedido para todas as mães de menino(s)

perioditivismo.png

Mães desse país à beira mar plantado chamado Portugal. Mães portuguesas que estão noutro país. Mães de outras nacionalidades que encontraram aqui o blog mais desarrumado da Internet.

 

Por favor, tal como falam sobre o período com as vossas filhas, falem sobre esse assunto com os vossos filhos. Estou farta de ouvir homens falar sobre o período como se fosse o diabo encarnado nas suas mulheres / namoradas, de falarem disso como se fosse uma incapacidade, ou fazerem piadas, ou terem nojo, quase pior que tudo isto: TEREM VERGONHA DE ABORDAR ESSE ASSUNTO!

 

Aconteceu-me no ano passado: saí alguns meses com um rapaz que sempre que eu estava com o período me mandava a boquinha "Ainda tens isso? Porque não tomas daquelas pílulas que param o período? A minha ex tomava e era o paraíso para ela e para mim". Pois, chocante ouvir um discurso destes em pelo século XXI, não???

 

E sempre que lhe dizia ou falava de período tinha a impressão que esse assunto o aborrecia ou o deixava irritado, como se ele encarasse a menstruação como algo acessório na mulher, prescindível, uma doença que deve ser exterminada, uma verruga que deve ser arrancada. "Trata disso" dizia ele. Tratar como? Deixar de ser mulher? Impedir o meu corpo de fazer aquilo para o qual foi programado? Parar de ovular só porque o menino não queria ter 7 dias sem sexo? Não tenho dores na menstruação, não tenciono tomar nenhuma contracepção hormonal, não me incomoda nada ter relações durante o período (respeito se o sangue incomodar o rapaz com quem estou e não obrigo ninguém a nada)... mas tomar algo só porque algum rapaz não acha bem eu ter o período. NUNCA. NEVER. JAMÉ!

 

Fiquei a questionar-me sobre esses assuntos... Quantas mulheres tomam a pílula devido a pressão psicológica exercida pelo parceiro? Quantas mulheres não têm o controlo absoluto de tudo que ingerem ou colocam no seu corpo? Os rapazes não são educados para aceitar o período como algo que faz parte de ser mulher? E este problema vem de onde? Não tiveram contacto com mulheres ao crescer? Elas não falaram sobre esses assuntos com eles? Se estivermos à espera que seja o pai a falar sobre período com os filhos homens... acho que, na maior parte dos casos, podemos esperar sentadas.

 

Eu lembro-me da minha mãe, mal eu tive o primeiro período, me ter metido um caixotinho do lixo no quarto para eu não deitar os meus produtos menstruais usados na casa-de-banho familiar, evitando assim que o meu pai e irmão vissem... quando íamos às compras com eles nunca comprávamos pensos higiénicos ou tampões... a minha mãe comprava quando fazia compras sozinha. E conheço outras famílias onde isto acontece. Só hoje em dia me apercebo do quão tóxico este comportamento pode ser. Apercebo-me que, como este assunto fica sempre escondido, muitos homens partilham a casa, durante uma infância e adolescência inteiras, com as suas mães e irmãs sem nunca se aperceberem que elas têm o período. Depois, já adultos, começam a sair com uma rapariga e quando ouvem falar em período é o "ai meu Deus, que doença nojenta é essa? Livra-te disso!"

 

Por isso, mães de meninos, irmãs de meninos, tias de meninos, avós de meninos, falem sobre o período com os homens da vossa vida. A futura mulher dele agradece.

 

Beijo na bunda! 

21
Mar19

Em Ponto Maria: Lubrificante

O tema desta semana é altamente escorregadio: Lubrificante! Esse produto essencial para diversas actividades sexuais (e não só!) Acho que algumas delas vos passam logo pela cabeça, mas há outras que talvez vos surpreendam!

 

Tenho-me apercebido que gosto de fazer listas nesta rubrica, por isso este tema não vai ser excepção e também vai ter direito à sua mini-lista. Meninos e meninas, vamos falar sobre actividades onde a utilização de lubrificante seja altamente recomendável???

- Siiiim gritam vocês em uníssono!

- Então vamos lá! - respondo eu em modo Avó Cantigas do Sexo.

 

Masturbação: Seja a si próprio numa sessão a solo ou com outra pessoa, adicionar lubrificante durante a masturbação é uma garantia de prazer a dobrar. Não há nada melhor do que ter ali os dedos bem escorregadios enquanto se coça o grelo ou a mão a deslizar que nem manteiga enquanto se esgalha o "pessegueiro" de um gajo. E, sem esquecer aqueles lubrificantes que dão sensação de calor ou frio. Não há nada melhor que sentir a paxaxa toda geladinha.  Uma vez exagerei tanto naquilo que a minha vulva ficou toda anestesiada. Posso dizer-vos que fazer coisas lá em baixo quando não se tem sensibilidade pode ser muito excitante, mas se exagerarmos na dose a sensação é o equivalente a espalhar molho de churrasco num peito de frango acabado de sair do frigorífico.

 

Brinquedos sexuais: Ando com vontade de experimentar um strap-on num gajo, por isso este é o primeiro exemplo que me vem à cabeça. Esfregar lubrificante a dar com um pau num dildo bem gostoso agarrado à minha cintura, direcioná-lo ao rabo de um moço com muita vontade e TOMA LÁ DISTO que é chouriço!!! 

Tirando esta fantasia de penetrar gostoso e lentamente um homem... fiquei a pensar em algo que vejo muitas vezes nos filme porno: os robots sexuais! Não sei bem o nome oficial daquilo mas basicamente é quando uma máquina com uma haste enorme, onde foi instalado um dildo na ponta, está a fazer movimentos de vai-e-vem sem fim e há uma pobre rapariga (ou rapaz!) a levar com aquilo tudo durante horas a fio... Cheira-me que é algo onde o uso de muiiiiiito lubrificante possa ser útil... quem é que já experimentou isto? Gostaram? Estou a perguntar para uma amiga...

 

Sexo Vaginal: Como é óbvio, há situações em que a mulher não fica a escorrer litros e litros antes do acto sexual. Às vezes até estamos bastante excitadas, mas a coisa não fica molhada por nada neste mundo... isto pode acontecer antes ou depois do período! Mas nesses dias nada temam! Façam uns bons preliminares, espalhem uns bons litros de lubrificante pelo mastro acima (ou ler os 2 pontos anteriores sobre masturbação e brinquedos sexuais), e dêem-lhe com a vida! A secura vaginal é muito normal durante a pré-menopausa e na menopausa... o mesmo princípio deve ser seguido, muuuuito lubrificante! Muito amor! Muita paciência!

 

Sexo Anal: dentro de todos os actos sexuais que precisem de lubrificante, se tivesse que escolher um rei seria este! Ou seja, a coroa do acto mais doloroso se não for bem preparado vai para "levar com uma pila no cu!". Há quem leve com uma nêspera no cu... aqui estamos só a falar de pila. Não se apoquentem... que este post não serve para stressar ninguém! Se houver muito lubrificante a coisa corre bem e é muito saborosa. Um bom lubrificante à base de água é a melhor coisinha para apanhar no rabo com preservativo sem o estragar. O preservativo, não o rabo. Esse só sofre os estragos que uma pessoa deixar *wink wink*

 

Dupla Penetração: será que este tópico precisa de muitas explicações? É óbvio que se vão ter os dois buracos penetrados têm de caprichar no lubrificante! Metam muito! E quando acharem que já meteram o suficiente... metam mais um bocado  levar com duas pilas, em dois buracos diferentes, não é fácil! Mas isto sou só eu com dor de cotovelo por nunca ter experimentado...

 

Fisting: *imaginar um rufar de tambores*

O fisting é uma actividade, que tal como o sexo anal, ganha a coroa do acto onde o lubrificante é obrigatório!!! Fist quer dizer "punho", por isso, como podem deduzir, esta actividade consiste em introduzir um punho inteiro num orifício à escolha dos praticantes! Há quem goste de fazê-lo só com uma mão e há quem até faça com as duas e bata palminhas...! Gostos não se discutem! E por falar nisso... qual será a sensação de ter uma mão inteira no ânus? Estou a perguntar para uma amiga...

 

 

Espero que tenham gostado desta lista que inclui as actividades que exigem o uso de muito lubrificante. Que têm a dizer sobre isto? Esta dissertação sobre o lubrificante agradou-vos? É um tema tão vasto como as preferências sexuais. E muito podia ter sido dito sobre esta temática... partilhem as vossas opiniões na caixa de comentários, vamos dissertar juntos sobre esta temática tão fracturante 

 

Beijo na bunda!

 

*******************************************************************

Em Ponto Maria Oficial.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

20
Mar19

Tag: Opiniões Impopulares

opiniões-impopulares-tag.png

A Senhora Doutora Carta convidou-me para esta rubrica que ainda não conhecia. E admito que adorei! Gostei da originalidade da dita cuja! É uma rubrica que sai fora da caixa e deixa-nos confessar - e até mandar vir - sobre coisas que toda a gente gosta... menos nós 

 

1) Um livro ou série popular de que não gostas

 

FRIENDS. Admito que vi alguns episódios e achei engraçado. Mas não sou aquela fã rendida e obcecada que viu as temporadas todas vezes e vezes sem conta e que até tem a coleção toda em DVD. Acho que vi o primeiro episódio e o último e fiquei a perceber a história toda. 

 

STRANGER THINGS. Desculpem, mas detestei. Vi os três últimos episódios e, mais uma vez, percebi a história toda. Só conseguia pensar: isto parece tão fake!

 

GAME OF THRONES. Adoro a série e sou alta viciadona! Ansiosa que Abril chegue para ver a próxima temporada que será a última!  Mas tentei ler os livros e não consegui... #sorry

 

2) Um livro ou série que todos parecem odiar mas tu adoras.

 

Hmmmmm, não consigo pensar em nada flagrante porque a palavra odiar é muito forte... mas eu adoro de morrer a série THIS IS US e as minhas amigas daqui só acham MEH. Nada de especial... enquanto que para mim a série está uma masterpiece.

 

3) Um triângulo amoroso onde a personagem principal terminou com o personagem que tu não querias ou um OTP de que não gostas.

 

Senti-me velha quando vi esta pergunta... não sabia o que era OTP. Fui procurar e parece-me que é uma cena do TUMBLR... quer dizer "one true pairing" e basicamente consiste em duas personagens fictícias que gostássemos de ver juntas! Mesmo que de filmes ou series diferentes...

 

Admito que no Harry Potter fiquei um bocadinho triste quando o Harry ficou com a Ginny... acho que sempre o imaginei com a Fleur Delacour. Já o Ron para mim teria ficado com a Luna Lovegood que também era apanhada dos cornos como ele.

Maaaaaaas.... A Hermione e o Cedric Diggory são o meu OTP de Harry Potter!!! 

 

Agora se deixar a imaginação fluir digo-vos que adoraria ver um threesome bissexual entre o Christian Grey (50 Sombras de Grey), o Jacob Black (Twilight) e a Daenerys-mother-of-Dragons (Game of Thrones)... mas algo bastante tórrido com um strap-on à mistura!!!

 

Já assim numa de YOLO gostava de ver o anão de Game of Thrones (Tyrion Lannister) com a Kate Pearson de This is Us  queria ver se ele era menino para a areia daquele camião !

 

4) Um género popular de livros que raramente lês.

 

Ficção científica. Never.

 

5) Uma personagem adorada ou popular de que não gostas.

 

CRISTINA FERREIRA!!!!  

Era para falar sobre livros e series?? Lá terá que ser a sonsa da Anastasia Steele de 50 Sombras de Grey... e por falar em sonsas... a Sansa Stark de Game of Thrones é boa que se farta... mas está a fazer um papel que valha-me Deus, só apetece mandar duas estaladas à moça para acordar para a vidaaaa!

 

6) Um autor popular de que não consegues gostar.

 

Tentei ler, juro que tentei: Afonso Noite-Luar.

 

7) Um cliché literário que estás cansada/o de ver.

 

Livros sobre maternidade e como ser mãe é difícil... admito que se não for feito de uma forma bastante divertida e inteligente - como a Gorda faz - ouvir ou ler sobre mães a queixarem-se da vida que têm, só me causa ansiedade...

 

8) Uma série popular que não tens interesse em ver.

 

Grey's anatomy... Quase todas as coisas da moda na Netflix... acho que enjoei...

A Star is Born.... Admito que estou curiosa, mas decidi ver este filme só quando o hype todo passar 

 

9) Já diz o ditado "o livro é sempre melhor que o filme", mas qual é a adaptação para filme ou série que achas melhor que o livro?

 

Bridget Jones!!!! Gostei dos filmes! O livro comecei a ler mas deu-me o enfado...

#GirlBoss... a serie está gira, mas não consegui acabar o livro!

 

 

Os próximos convidados a responder são *rufar de tambores* :

Joana

Triptofano 

Urso

Fátima

Tudo Mesmo

 

Agora desenrasquem-se lá com isto!  

Beijos na bunda a todos! 

15
Mar19

Basta deslizar um dedo...

Não me venham cá com coisas dizer que a televisão só agora ficou uma merda. Já era merda antes só que de uma forma menos escandalosa e não havia outras escolhas... Big Brother, Quinta das Celebridades, etc, etc. A malta agora tem Internet fibra ótica, imagine-se. Pode ver séries e filmes em streaming a toda a hora. O YouTube está a abarrotar de documentários grátis, há TedTalks fabulosas, existem podcasts com temáticas inimagináveis e sites com pessoas especialistas em diversas áreas. E os blogs? São para todos os gostos! E pasmem-se, no meio de tanto blog, alguns (muitos!) são sobre temas eruditos.

 

Há cada vez mais livros interessantíssimos a serem lançados e grandes obras a ser traduzidas para português. Tudo é tão acessível. Nunca uma geração teve tanto conhecimento à mão. Literalmente, basta deslizar o dedo num ecrã e temos acesso a conhecimento infinito.

 

Concluo que só vê televisão quem quer. E por isso, actualmente, posso afirmar que permanecer burro é uma escolha. 

28
Fev19

Em Ponto Maria: O Tamanho Importa?

Hoje vamos falar sobre pila. Bilau. Caralho. Em todas as suas formas e feitios. E responder à famosa questão: o tamanho importa?

 

Gostava de dizer que não. Que o tamanho não influencia a performance do dito cujo bilau. Mas influencia e bastante. Só que depende da situação. Já explico melhor.

 

Atentem na seguinte situação: vocês estão doidas, doidonas, todas molhadinhas ali à espera do dito cujo. E o senhor entra, sem bater à porta, e vocês ficam tipo "oi? quem anda aí?". Ninguém. Só umas cóceguinhas de nada. Porque o pobrezinho ficou ali a nadar naquele mar de fluídos corporais escorregadios.  Dizem que olhos que não vêem, coração que não sente, mas neste caso é mais: olhos que não vêem o pilau raquítico, vagina que não sente.

 

Sabendo que a vagina só tem sensibilidade no primeiro terço do canal vaginal, ouve-se muitas vezes dizer que uma pila pequena ou uma pila grande, vai dar ao mesmo. Pois bem, isto também depende da mulher! Existem mulheres que apreciam bastante o contacto da cabeça do mastro no colo do útero, e há outras - acuso-me! - que detestam! Não há coisinha pior do que sentir ali o cabeçudo a cutucar o colo do útero: pumba, pumba, pumba! E a pessoa fica pr'áli com lágrimas nos olhos a chorar de dor... "porque raio fui eu sair com um gajo que cresceu ao lado de campos de plutónio e tem uma pila com 25 centímetros???". Been there. Done that.

 

Volto a perguntar: mas será que o tamanho é o mais importante??

 

Falando das minhas experiências pessoais acho que não. Para mim o mais importante ainda é a FORMA do dito cujo. Eu prefiro a forma em foguetão - magrinho em cima e gordinho em baixo. Mas também não digo que não a um encurvado para cima. Estimulação do ponto G... há como não gostar???

 

Depois da forma prefiro a qualidade da prestação do moço nos preliminares. Tem de ter uma língua atrevida e um dedinho maroto - ou vários dedinhos malandrecos e prontos a mergulhar onde for preciso. Recentemente descobri o significado de "vou comer-te a paxaxa"... eu pensava que a expressão "comer" se referia ao acto da pilinha entrar na papoilinha, mas afinal, enganei-me. No dia em que um gajo me lambeu com a boca toda, de cima a baixo, por fora e por dentro, com vontade, senti o que era O verdadeiro sexo oral. E descobri que não curto nada quando o moço chega lá muito tímido a afastar tudo quanto é folhos da paxaxa e fica ali a passar a língua na ponta mais pontiaguda do clitóris. Não há paciência, é um enfado. E quando dou por mim já estou a deprimir porque tenho o tecto do quarto cheio de teias de aranha que nunca limpei. Nem vou limpar. Eu só queria era que ele tirasse as minhas teias de aranha internas. Será pedir muito?

 

Vou parar de divagar e voltar à minha resposta.

 

Fazendo um ponto rápido da situação, falei-vos sobre o bilau não ser demasiado pequeno, não ser demasiado grande, sobre a sua forma e sobre a importância dos preliminares - que para mim resumem esta questão de forma clara e evidente. Sem bons preliminares não há pila que entre sem provocar sensações dolorosas ou de desconforto, independentemente do tamanho! Mas falta abordar um assunto de extrema importância, para o qual o tamanho importa (e muito!) o sexo anal! Aqui meus caros, não há dúvidas: preliminares - muitos!; tamanho - entre médio a pequeno (excepto se curtirem aquela sensação de esfíncter esgaçado! Sem julgamentos, hein!); forma - foguete e curvadas (a forma "menos" desejada aqui é a do cogumelo porque a cabeça é o que vai custar mais a entrar e por isso pode ser mais doloroso... é ir com muito amor minha gente!)

 

Mas, como em tudo nesta vida e o sexo não é excepção, cabe a cada um conhecer-se e saber qual a melhor forma de utilizar aquilo que a mãe natureza lhe deu! O importante é haver muito lubrificante! Litros e litros de lubrificante... e se gostam de um mastro de 25 cm a entrar por vocês acima e a estraçalhar tudo quanto é vísceras internas enquanto têm orgasmos múltiplos... go for it! O importante é haver saúdinha...

 

Resumindo e concluindo que já divaguei bastante: o tamanho não importa, o que importa é saber o que fazer com o instrumento. 

 

Costumo dizer que nunca se aprende nada no meu blog e que saem sempre daqui mais burros do que quando entraram, hoje decidi reverter a tendência e mostrar-vos algo que vai mudar as vossas vidas. Pelo menos para quem tem um parceiro mais avantajado! Um dispositivo chamado Ohnut. Este pode ser colocado na base do objecto/orgão penetrante e serve para "amortecer" o impacto e/ou controlar a profundeza da penetração, evitando aquela dorzinha desagradável bem lá no fundo. Encomenda-se neste site ohnut.co. E não, ninguém me pagou para publicitar isto... mas tem a ver com o tema e tinha-me dado imeeeenso jeito há sensivelmente 3 anos atrás.

 

ohnut.co.jpgohnut.co_2.jpg

 

Beijo na bunda! 

 

************************************************************************************************

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D