Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

14
Mai19

Portugueses em Game of Thrones.

(antes de começarem a ver o vídeo: tem spoilers ligeiros da season 8, episódio 3!) 

 

Como seriam os portugueses se tivessem participado na batalha de Winterfell? Vejam este vídeo para saberem mais e atentem na tradução de Unsullied. MORRI 😂

 

 

 

Instagram: desarrumada_blog

Bloglovin': Diário de uma desarrumada

Blogs de Portugal: adesarrumada

 

06
Abr19

TindAdvisor // O cachalote

Por falta de tempo para detalhar tudo, sinto que vou saltar aqui várias etapas nos relatos das minhas curtas relações do Tinder mas queria que o #pila4 aka Cachalote passasse à frente do #pila2 e do pila#3. Por razões que se resumem única e exclusivamente a ter sido uma experiência traumática para mim... 

 

Queria contar aqui esta história, porque, apesar de defender o positivismo corporal, também sou a primeira pessoa a dizer-vos que excesso de gordura faz mal à saúde, sendo umas das causas das mais diversas doenças do foro cardio-vascular, entre outras a dispneia ou falta de ar. 

 

Claro que não vos quero maçar com estes factos de saúde mas tinha mesmo que abordar esta temática visto que tive uma experiência de quase-morte e só não passei para o outro lado porque tive o discernimento de parar a coisa a tempo e só me safei sabe-se lá como. Neste momento podia não estar aqui a escrever este post. Estou viva, sobrevivi ao #pila4 e só isso merecia um daqueles posts do Diário da Gratidão tão famosos por aqui na Sapolândia. Fica aqui a dica a todos que não agradecem este género de coisas.

 

Mas sem mais demoras comecemos o relato.

 

Também conheci o cachalote no Tinder. Já o tinha adicionado em Outubro mas íamos falando de vez em quando, nada de mais... lá para Dezembro adicionámo-nos no Instagram e começámos a falar por lá. Com as nossas contas pessoais. Entretanto fui viajar e íamos falando, trocando fotos, etc. 

 

Houve uma noite em que estávamos a falar e a conversa aqueceu. Começámos a trocar fotos e o moço mandou-me uma foto da pila dele. Só vi a cabeça... referi o facto de ele não ter mostrado toda a pujança do dito instrumento ao que ele respondeu "o resto fica para quando nos virmos pessoalmente, mas aproveito para te avisar que não sou muito abonado". Ok, tudo bem. Eu disse que não havia problema, onde couberam os 25cm do Plutónio, também cabem menos. Mas estava longe de imaginar o que me esperava. 

 

Nas fotos o rapaz era girinho. Olhos verdes. Brinco de argola no nariz. Intelectual. Dono de uma rádio pirata. Já leu todos os clássicos franceses. Opah, pronto, fomos falando e quando cheguei da viagem à Austrália combinamos encontro em casa dele. Fiz uma hora de ida e outra de volta para estar com ele e até lhe fiz a proposição poética de irmos comer frango frito depois do bem bom. Que ele aceitou de bom grado.

 

Cheguei à rua onde ele morava, era de noite e liguei-lhe porque não o via. Só via um rapaz em fase de pré-obesidade, com uns chinelos felpudos de velho no meio do passeio, agarrado ao telemóvel, ao fundo da rua. Enquanto ia avançando à procura do número do prédio dele comecei a ver que me estava a aproximar do tal rapaz, decidi pegar no meu telemóvel e ligar ao moço do Tinder para que ele descesse e me viesse buscar porque estava um gajo enorme assustador no meio da rua... "que não seja ele... que não seja ele..." pego no telemóvel e o rapaz gordinho, que parecia um cachalote bebé, chama por mim, pelo meu nome!!! DESGRAÇA!!!! Era ele!!! Que me veio buscar à rua de chinelos!!!

 

TIREM-ME DESTE FILME.

 

Paniquei dentro da minha cabeça... mas disse para mim própria: dESarrumada, ele parece ter acabado de sair de algum santuário de elefantes africano, mas muita calma, o facto de ter uns quilos a mais não significa que não seja bom na cama, dá o benefício da dúvida, deixa-o mostrar o que vale. O intelecto dele convenceu-me a tentar. Mas mal eu imaginava que devia ter saído dali a correr nesse mesmo instante.

 

Mal chegámos ao apartamento minúsculo dele, serviu-me um sumo de laranja TOP BUDGET num brick. Não percebo estes gajos de hoje em dia, querem paxaxa a baixo custo, sem avançar um único euro de investimento na manutenção do estado hídrico da sua parceira de actividades nocturnas. Logo ali senti-me defraudada "então eu faço uma hora de carro para vir aqui vê-lo e ele nem sequer me serve um daqueles sumos mais caros com pedaços de polpa verdadeiros?" Começamos mal.

 

Foi fumar um cigarro à janela. Só faltava isto, fuma. Imaginei logo o fumo a sair pelo buraco na cabeça de cachalote. Fui à casa-de-banho, ainda com esta ideia mental. A rir para não chorar. A tentar ganhar coragem para o que vinha a seguir.

 

Saí. Agarrou-se a mim qual baleia branca assassina, parecia que não via um filet mignon há muito tempo. Acredito que fosse o caso. Beijámo-nos. Mas porra, beijar um gajo que fuma é das piores sensações do mundo. Não fumem. Não sejam obesos. Olhem as doenças cardio-vasculares, as causas de morte diversas e variadas que advêm de um estilo de vida desregrado. E a mais importante de todas: a morte por esmagamento. Não para ele, mas para quem vai para a cama com ele.

 

Era aqui que queria chegar. Ele lambeu. Ele meteu dedos. Houve muita coisa gira. Mas depois veio o momento de baixar os boxers. E... o pânico, o horror! Não havia nada, excepto uma espécie de apêndice de carne de 7cm. Juro. No meio dos pêlos todos havia uma coisita tímida a espreitar. Ele tentou meter preservativo e aquilo quase que ficou a boiar... Tentámos penetração e MINHA GENTE.... nunca tinha tido esta sensação na vida: não senti nada. Quando digo nada é mesmo nada! O típico "já meteste?"

 

Ele tentou compensar com movimentos fortes de vai-e-vem, eu comecei a olhar para o tecto a tentar perceber como cheguei àquele ponto da minha vida. Ele transpirava que nem uma baleia molhada, a barriga dele caía em cima de mim, uma tristeza, porque, o moço já não sendo muito abonado, ainda por cima tem uma barriga enorme que lhe rouba preciosos centímetros de pila! Ninguém merece ter tanta pouca sorte na vida.

 

A gota de água que fez transbordar a minha paciência - literalmente! - foi quando vi uma gota de suor dele a cair directamente da sua testa em cima da minha... parecia que estava a ver a cena em slow motion. Tínhamos literalmente acabado de começar e ele já estava a ter um pré-enfarte. Estava com sintomas de angina de peito, de certeza. Fiquei na dúvida se devia chamar logo ali o INEM e dizer que um cachalote deu à costa na minha vagina ou se fingia uma diarreia e ia embora. "Desculpa, não estou muito em forma" - diz ele. "Devias praticar algum desporto" - disse eu, empaticamente. 

 

"Dói-me a barriga. Tenho que ir ao wc" e empurrei-o de cima de mim. Peguei em metade da minha roupa que estava no chão e fui vestir-me para o WC. Saí de lá já meia vestida a aleguei uma caganeira. "Sou intolerante à laranja." "Ah não queres ficar mais um bocado? Mesmo que não acabemos o que começámos, podemos ficar a trocar mimos e até podes dormir aqui." Ouvi o som do mar a ecoar na minha mente, a rebentação das ondas a ressoar no meu cérebro, um barulho de cachalote bebé no fundo do horizonte...

 

Fui embora... e fui comer o frango frito sozinha. Era por demais evidente que o moço não precisava de mais gordura saturada na vida dele. Disse que mandava mensagem quando chegasse a casa e foi o que fiz... para ele não pensar que morri ou algo do género. Mas nunca mais lhe falei. E entretanto nunca mais fui ao Tinder. Consigo auto-diagnosticar-me com stress pós-traumático pós-cachalote. Uma doença real e documentada. Por mim. E enquanto me lembrar desta experiência não volto a sair com um gajo sem ir tomar um café antes para uma avaliação não formal do material. Para evitar voltar a ficar soterrada debaixo de um peso daqueles, com os pulmões a pedir clemência, com os alvéolos a entrar em necrose com falta de oxigénio e o cérebro a entrar em isquemia. Não me apanham noutra destas tão cedo. 

 

Quantas estrelas merece este moço?


ZERO



Opinião:

 

Pontos positivos : o colchão era confortável.

 

Pontos a melhorar : deitar os chinelos fora. Deixar de fumar! Fazer exercício físico por motivos de saúde e performance 

 

Beijo na bunda! 

 

28
Mar19

Em Ponto Maria: Morangos

O tema desta semana é docinho, docinho como só ele sabe ser! O belo do morango pode ser consumido com chocolate, açúcar, chantilly ou ao natural directamente do corpo musculado de um jeitoso, morenaço, alto, forte, mãos grossas... pronto dESarrumada, pára de sonhar, volta para o post.

 

Já voltei. Há tanto para dizer sobre morangos e ao mesmo tempo é um tema que só pelo título já diz tanta coisa. Conhecem a famosa expressão "toma lá morangos"??? Pois!!! Os morangos são, ali de mãozinhas bem dadas com as bananas, um dos frutos do prazer.

 

Têm uma forma sensual, ali entre um coração se vistos ao longe, e uma fenda de rabo se vistos de perto. Quem nunca ficou a olhar para aquela fenda lateral do morango com uma vontadezorra de lamber aquilo tudo de cima abaixo??? Eu cá gosto de lamber os meus morangos com vontade antes de os comer.

 

E, se pensarmos bem, eles são sensuais e até entram nos critérios do body positivity sem querer, porque têm aqueles buraquinhos das sementes que podem ser comparados aos buraquinhos da celulite na pele. Por isso, fazendo aqui uma conclusão óbvia, os morangos são uns sensualões celulíticos do carago que se estão a cagar para a opinião dos outros porque são gostosos comó raio e estão-se nas tintas para quem fala mal deles porque qualquer gato pingado vai ter vontade de os comer!

 

Ufa! Chegar a este raciocínio não foi fácil! E fazer um post sem uma lista também não! Mas só para apimentar um bocado a coisa, imaginem a seguinte situação: um@ gaj@ aparece em tua casa com uma caixa de morangos e diz que são para a sobremesa... literalmente, porque vão comê-los enquanto fazem sexo de forma tresloucada SOBRE-a-mesa 

 

Estou a delirar bem sei... esta falta de sexo (já lá vão quase 4 semanas!) está a dar cabo de mim! Tragam-me uma travessa de morangos com todos, por favor! Com todos entenda-se com um gajo ou dois a segurar a bandeja. E continuem a passar por aqui às 5as-feiras que a rubrica só agora está a aquecer...

 

Beijo na bunda! 

 

**************************************************

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

 

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

21
Mar19

Em Ponto Maria: Lubrificante

O tema desta semana é altamente escorregadio: Lubrificante! Esse produto essencial para diversas actividades sexuais (e não só!) Acho que algumas delas vos passam logo pela cabeça, mas há outras que talvez vos surpreendam!

 

Tenho-me apercebido que gosto de fazer listas nesta rubrica, por isso este tema não vai ser excepção e também vai ter direito à sua mini-lista. Meninos e meninas, vamos falar sobre actividades onde a utilização de lubrificante seja altamente recomendável???

- Siiiim gritam vocês em uníssono!

- Então vamos lá! - respondo eu em modo Avó Cantigas do Sexo.

 

Masturbação: Seja a si próprio numa sessão a solo ou com outra pessoa, adicionar lubrificante durante a masturbação é uma garantia de prazer a dobrar. Não há nada melhor do que ter ali os dedos bem escorregadios enquanto se coça o grelo ou a mão a deslizar que nem manteiga enquanto se esgalha o "pessegueiro" de um gajo. E, sem esquecer aqueles lubrificantes que dão sensação de calor ou frio. Não há nada melhor que sentir a paxaxa toda geladinha.  Uma vez exagerei tanto naquilo que a minha vulva ficou toda anestesiada. Posso dizer-vos que fazer coisas lá em baixo quando não se tem sensibilidade pode ser muito excitante, mas se exagerarmos na dose a sensação é o equivalente a espalhar molho de churrasco num peito de frango acabado de sair do frigorífico.

 

Brinquedos sexuais: Ando com vontade de experimentar um strap-on num gajo, por isso este é o primeiro exemplo que me vem à cabeça. Esfregar lubrificante a dar com um pau num dildo bem gostoso agarrado à minha cintura, direcioná-lo ao rabo de um moço com muita vontade e TOMA LÁ DISTO que é chouriço!!! 

Tirando esta fantasia de penetrar gostoso e lentamente um homem... fiquei a pensar em algo que vejo muitas vezes nos filme porno: os robots sexuais! Não sei bem o nome oficial daquilo mas basicamente é quando uma máquina com uma haste enorme, onde foi instalado um dildo na ponta, está a fazer movimentos de vai-e-vem sem fim e há uma pobre rapariga (ou rapaz!) a levar com aquilo tudo durante horas a fio... Cheira-me que é algo onde o uso de muiiiiiito lubrificante possa ser útil... quem é que já experimentou isto? Gostaram? Estou a perguntar para uma amiga...

 

Sexo Vaginal: Como é óbvio, há situações em que a mulher não fica a escorrer litros e litros antes do acto sexual. Às vezes até estamos bastante excitadas, mas a coisa não fica molhada por nada neste mundo... isto pode acontecer antes ou depois do período! Mas nesses dias nada temam! Façam uns bons preliminares, espalhem uns bons litros de lubrificante pelo mastro acima (ou ler os 2 pontos anteriores sobre masturbação e brinquedos sexuais), e dêem-lhe com a vida! A secura vaginal é muito normal durante a pré-menopausa e na menopausa... o mesmo princípio deve ser seguido, muuuuito lubrificante! Muito amor! Muita paciência!

 

Sexo Anal: dentro de todos os actos sexuais que precisem de lubrificante, se tivesse que escolher um rei seria este! Ou seja, a coroa do acto mais doloroso se não for bem preparado vai para "levar com uma pila no cu!". Há quem leve com uma nêspera no cu... aqui estamos só a falar de pila. Não se apoquentem... que este post não serve para stressar ninguém! Se houver muito lubrificante a coisa corre bem e é muito saborosa. Um bom lubrificante à base de água é a melhor coisinha para apanhar no rabo com preservativo sem o estragar. O preservativo, não o rabo. Esse só sofre os estragos que uma pessoa deixar *wink wink*

 

Dupla Penetração: será que este tópico precisa de muitas explicações? É óbvio que se vão ter os dois buracos penetrados têm de caprichar no lubrificante! Metam muito! E quando acharem que já meteram o suficiente... metam mais um bocado  levar com duas pilas, em dois buracos diferentes, não é fácil! Mas isto sou só eu com dor de cotovelo por nunca ter experimentado...

 

Fisting: *imaginar um rufar de tambores*

O fisting é uma actividade, que tal como o sexo anal, ganha a coroa do acto onde o lubrificante é obrigatório!!! Fist quer dizer "punho", por isso, como podem deduzir, esta actividade consiste em introduzir um punho inteiro num orifício à escolha dos praticantes! Há quem goste de fazê-lo só com uma mão e há quem até faça com as duas e bata palminhas...! Gostos não se discutem! E por falar nisso... qual será a sensação de ter uma mão inteira no ânus? Estou a perguntar para uma amiga...

 

 

Espero que tenham gostado desta lista que inclui as actividades que exigem o uso de muito lubrificante. Que têm a dizer sobre isto? Esta dissertação sobre o lubrificante agradou-vos? É um tema tão vasto como as preferências sexuais. E muito podia ter sido dito sobre esta temática... partilhem as vossas opiniões na caixa de comentários, vamos dissertar juntos sobre esta temática tão fracturante 

 

Beijo na bunda!

 

*******************************************************************

Em Ponto Maria Oficial.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

14
Mar19

Em Ponto Maria: Cócegas

Quando soube que o tema desta semana ia ser "cócegas" até deitei as mãos à cabeça! Uma só palavra, tímida, pacata. E ia ter que dissertar sobre ela... Pois bem...! não gosto de me sentir vencida e vou lançar-me neste desafio. Mas aviso já que este texto vai ficar uma merda. Pronto, já avisei. Agora vamos lá.

 

Cócegas. Vou dividir este tema em cócegas físicas e cócegas espirituais.

 

Cócegas físicas são aquelas em que alguém vem com as suas unhacas das mãos (ou dos pés!) tocar nas nossas partes sensíveis com o objectivo de nos fazer rir / gritar /esbracejar /pontapear /sufocar / vomitar. Não necessariamente nesta ordem. Mas já vi alguém vomitar depois de receber um ataque de cócegas.

 

Falei dos pés porque não há nada mais sexy do que estar a dormir com alguém e sentir aqueles pézinhos com unhas mal cortadas a vir esfregar-se na planta dos nossos pés macios e bem cuidados #SóQueNão

 

Já viram alguém vomitar depois de um ataque de cócegas? Eu já. E não foi bonito. Vi duas pessoas, uma delas era criança e a outra estava bêbada. Conselho para a vida: nunca façam cócegas a uma rapariga bêbada! Nunca! Ou levam com um jacto de grego nas ventas que nunca mais se endireitam!

 

Cócegas espirituais incluem as chamadas "comichões na alma". Quando uma situação está ali entre o agradável e o desconfortável. Quando uma pessoa já começa a sentir que a vida lhe está a fazer umas cociguitas na alma, quando sente que certas situações já não escorregam bem, quando temos que forçar para sermos felizes. Ninguém quer uma vida arrancada a forceps, ser feliz, ou é natural ou não é. No entanto, apesar de na maior parte das vezes não termos poder de escolha sobre determinadas condições externas, na outra parte, se abrirmos bem os olhos, deparamo-nos com uma escolha que passa a ser evidente! Como se sempre tivessemos sabido a resposta.

 

E quando existem aquelas situações de injustiça? Aquelas que fazem cócegas ali na aceitação do mundo, na visão que temos do que é justo ou não... Aquelas cócegas no espírito que nos fazem gritar até rebentar as artérias: "isto não devia estar a acontecer assim", "que merda de mundo é este?", "porque é que coisas más acontecem a pessoas boas?". E outras frases clichés relativamente às injustiças que saem da nossa boca quando acontece algo para o qual não temos explicação.

 

Não é fácil falar sobre cócegas. Eu avisei que este texto ia ficar cocó. Esta semana estou numa onda mais séria. Uma situação que me deixa toda comichosa... Deve ser o período que está para chegar! E a vocês, que situações vos deixam mais comichentos?

 

Beijo na bunda! 

 

*************************************************************************************

Em Ponto Maria Oficial.jpg

 

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

28
Fev19

Em Ponto Maria: O Tamanho Importa?

Hoje vamos falar sobre pila. Bilau. Caralho. Em todas as suas formas e feitios. E responder à famosa questão: o tamanho importa?

 

Gostava de dizer que não. Que o tamanho não influencia a performance do dito cujo bilau. Mas influencia e bastante. Só que depende da situação. Já explico melhor.

 

Atentem na seguinte situação: vocês estão doidas, doidonas, todas molhadinhas ali à espera do dito cujo. E o senhor entra, sem bater à porta, e vocês ficam tipo "oi? quem anda aí?". Ninguém. Só umas cóceguinhas de nada. Porque o pobrezinho ficou ali a nadar naquele mar de fluídos corporais escorregadios.  Dizem que olhos que não vêem, coração que não sente, mas neste caso é mais: olhos que não vêem o pilau raquítico, vagina que não sente.

 

Sabendo que a vagina só tem sensibilidade no primeiro terço do canal vaginal, ouve-se muitas vezes dizer que uma pila pequena ou uma pila grande, vai dar ao mesmo. Pois bem, isto também depende da mulher! Existem mulheres que apreciam bastante o contacto da cabeça do mastro no colo do útero, e há outras - acuso-me! - que detestam! Não há coisinha pior do que sentir ali o cabeçudo a cutucar o colo do útero: pumba, pumba, pumba! E a pessoa fica pr'áli com lágrimas nos olhos a chorar de dor... "porque raio fui eu sair com um gajo que cresceu ao lado de campos de plutónio e tem uma pila com 25 centímetros???". Been there. Done that.

 

Volto a perguntar: mas será que o tamanho é o mais importante??

 

Falando das minhas experiências pessoais acho que não. Para mim o mais importante ainda é a FORMA do dito cujo. Eu prefiro a forma em foguetão - magrinho em cima e gordinho em baixo. Mas também não digo que não a um encurvado para cima. Estimulação do ponto G... há como não gostar???

 

Depois da forma prefiro a qualidade da prestação do moço nos preliminares. Tem de ter uma língua atrevida e um dedinho maroto - ou vários dedinhos malandrecos e prontos a mergulhar onde for preciso. Recentemente descobri o significado de "vou comer-te a paxaxa"... eu pensava que a expressão "comer" se referia ao acto da pilinha entrar na papoilinha, mas afinal, enganei-me. No dia em que um gajo me lambeu com a boca toda, de cima a baixo, por fora e por dentro, com vontade, senti o que era O verdadeiro sexo oral. E descobri que não curto nada quando o moço chega lá muito tímido a afastar tudo quanto é folhos da paxaxa e fica ali a passar a língua na ponta mais pontiaguda do clitóris. Não há paciência, é um enfado. E quando dou por mim já estou a deprimir porque tenho o tecto do quarto cheio de teias de aranha que nunca limpei. Nem vou limpar. Eu só queria era que ele tirasse as minhas teias de aranha internas. Será pedir muito?

 

Vou parar de divagar e voltar à minha resposta.

 

Fazendo um ponto rápido da situação, falei-vos sobre o bilau não ser demasiado pequeno, não ser demasiado grande, sobre a sua forma e sobre a importância dos preliminares - que para mim resumem esta questão de forma clara e evidente. Sem bons preliminares não há pila que entre sem provocar sensações dolorosas ou de desconforto, independentemente do tamanho! Mas falta abordar um assunto de extrema importância, para o qual o tamanho importa (e muito!) o sexo anal! Aqui meus caros, não há dúvidas: preliminares - muitos!; tamanho - entre médio a pequeno (excepto se curtirem aquela sensação de esfíncter esgaçado! Sem julgamentos, hein!); forma - foguete e curvadas (a forma "menos" desejada aqui é a do cogumelo porque a cabeça é o que vai custar mais a entrar e por isso pode ser mais doloroso... é ir com muito amor minha gente!)

 

Mas, como em tudo nesta vida e o sexo não é excepção, cabe a cada um conhecer-se e saber qual a melhor forma de utilizar aquilo que a mãe natureza lhe deu! O importante é haver muito lubrificante! Litros e litros de lubrificante... e se gostam de um mastro de 25 cm a entrar por vocês acima e a estraçalhar tudo quanto é vísceras internas enquanto têm orgasmos múltiplos... go for it! O importante é haver saúdinha...

 

Resumindo e concluindo que já divaguei bastante: o tamanho não importa, o que importa é saber o que fazer com o instrumento. 

 

Costumo dizer que nunca se aprende nada no meu blog e que saem sempre daqui mais burros do que quando entraram, hoje decidi reverter a tendência e mostrar-vos algo que vai mudar as vossas vidas. Pelo menos para quem tem um parceiro mais avantajado! Um dispositivo chamado Ohnut. Este pode ser colocado na base do objecto/orgão penetrante e serve para "amortecer" o impacto e/ou controlar a profundeza da penetração, evitando aquela dorzinha desagradável bem lá no fundo. Encomenda-se neste site ohnut.co. E não, ninguém me pagou para publicitar isto... mas tem a ver com o tema e tinha-me dado imeeeenso jeito há sensivelmente 3 anos atrás.

 

ohnut.co.jpgohnut.co_2.jpg

 

Beijo na bunda! 

 

************************************************************************************************

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D