Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

Diário de uma dESarrumada

29
Jul20

Montanhas.

Há exactamente cerca de um ano atrás comecei a fazer sessões ao domícilio a uma velhinha acamada. A senhora não vê, a vida dela consiste em encadear dias infinitos, com o pescoço em hiperextensão e os olhos fixos no tecto, enquanto emite sons indistintos ou palavras soltas em árabe. De vez em quando lá diz uma palavra em francês, para chamar a filha... filha essa que a vai visitando, uma vez por mês, se tanto.

Eu vou vê-la duas vezes por semana, durante 1 ano inteiro só falhei uma semana em Dezembro de 2019, a única semana de férias que tive desde que me mudei para Paris.

Durante a sessão a auxiliar da senhora, Madame Dembele, uma senhora africana que veste aqueles vestidos típicos com mil cores e que tem sempre um sorriso na cara, pega numa cadeira e fica sentada aos pés da cama, a ver a sessão enquanto me conta coisas da vida dela e de outrém, de França ou de além-mar.

Esta senhora é positiva, sempre de bem com a vida, já passou por muita merda, e mesmo assim está ali, com um sorriso na cara e palavra leve para tornar o quotidiano daquela velhinha acamada, o melhor possível...

Hoje cheguei lá, como todas as terças e quintas-feiras meti a minha mala no chão, tirei os sapatos e fui lavar as mãos (cenas pós-corona, os sapatos, as mãos já lavava antes), e a Madame Dembele veio atrás de mim para a casa-de-banho para me dizer que na quinta-feira não ia haver sessão. Era o último dia daquela senhora naquele apartamento, a filha tinha anunciado que ia mudá-la para um lar de idosos. 

Fiquei em choque. Talvez pela naturalidade com que ela me disse aquilo, como se a rotina fosse continuar a ser a mesma, como se nada fosse mudar para ela. Adoro quem consegue aceitar as mudanças da vida assim, num piscar de olhos aceita-se a nova realidade que está ali, sem questionar, sem resistir.

Fiz a minha sessão sem dizer nada à frente da senhora, porque não é suposto ela perceber que vai deixar a sua casa dos últimos 50 anos para ir morrer viver um lar. Não querem preocupá-la, palavras da filha, diz-me a Madame Dembele. Quanto ao apartamento, este será provavelmente vendido por um milhão de euros antes do final do verão. 

No fim da sessão, lavei as mãos, peguei na minha mala, calcei os sapatos e antes de sair pela porta fora disse à Madame Dembele "obrigada por este úlitmo ano, aprendi muito consigo, desejo-lhe uma boa continuação". Sorri-lhe, mas estava com máscara e ela não viu.

Ela sorriu-me de orelha a orelha, estava sem máscara, por isso eu vi-lhe o sorriso branco a sobressair, em parte, graças à pele escura.

"Tenho a certeza que ainda nos encontramos por aí! O mundo é pequeno, só as montanhas é que não se voltam a encontrar."

 

Muito obrigada Madame Dembele.

 

montanha_blog_desarrumada.jpg

 

04
Jan20

Resoluções para 2020.

Meus queridos desarrumados, não podia deixar de começar o ano sem fazer este post. É um cliché das internetes por isso: vai ter que ser!

 

Ora vejam lá aquilo a que me proponho relizar em 2020:

 

Fazer 5 viagens

|| para já tenho planeado um fim-de-semana em Genebra em Abril e quase duas semanas em Itália para Maio. Gostava de ir à Grécia, Croácia e Praga, será que alguma destas é este ano??? Para as viagens mais distantes adorava ir à Índia (é mesmo um sonho de longa data)... Não sei como vou realizar este sonho, porque toda a gente me diz que ir lá sozinha é bastante arriscado. Vamos ver o que é que o destino me traz...


Ler 15 livros

|| pelo menos 5 de ficção , acabo por ler muito na minha área profissional ou sobre desenvolvimento pessoal e esqueço-me bastante que, ler uma história pelo simples prazer de conhecer os destinos das personagens também pode ser bastante satisfatório.


Pesar menos de 65kg

|| infelizmente, ou felizmente, a greve em Paris aumentou os meus níveis de actividade física drasticamente! Mais de 2h de marcha contínua por dia, e aos fins de semana, muito mais! Se no início do mês de Dezembro pesava 68kg, agora estou com 66kg. Mais uma semana ou duas de greve e chego ao meu objectivo! O objectivo é nunca mais voltar a ver um 7 como primeiro número na balança...Keep going dESarrumada!


Deixar crescer o cabelo o mais naturalmente possível

|| Tive um casamento em Junho de 2019 e na mesma semana conheci o método Curly Girl... Nesse casamento estiquei o cabelo bem esticadinho - como manda a lei dos casamentos - mas decidi dizer fuck a esses standards de beleza em que só o cabelo liso parece ser maioritariamente aceite e, não só nunca mais o estiquei, como nunca mais o sequei com secador! Tem sido uma ginástica do catano esta história... desde que o Inverno começou nunca mais lavei o cabelo à noite para não ir para a cama com ele molhado. A logística da coisa no início foi complicada, mas agora já me habituei e não quero mais nada! O meu cabelo verdadeiro está a chegar, e isso vale todo o esforço!

 

Falar mais ao telefone com os meus pais

|| Sim, nunca pensei vir a dizer isto porque antigamente me queixava de ter a "chamada diária obrigatória para os pais" que me roubava bastante tempo para outras coisas. E agora, às vezes, sinto falta dela... Definitivamente este é um dos objectivos do ano, ouvir a voz dos meus pais mais vezes.

 

Estar mais em contacto com a natureza

|| Viver numa cidade tão grande como Paris pode ser desgastante. Às vezes sinto-me stressada e a correr em demasia, sem ter verdadeiramente razões para tal. Só porque estão todos a correr, eu também corro... Mais passeios no parque, a andar nas calmas. É tudo que desejo para a minha sanidade mental em vinte-vinte.


Partilhar mais

|| decidi falar mais com os meus amigos. Responder logo às mensagens. Não ter medo de dizer quando estou a passar por alguma dificuldade, etc. às vezes guardo tudo para mim ou acabo por só partilhar aqui no blog, ou em lado nenhum, e gostava que isso mudasse.

 

Meditar ou praticar yoga todos os dias

|| comecei a fazer o desafio de Yoga de 30 dias da "Yoga with Adrienne" no Youtube (ela também envia um email diário quando posta um vídeo do desafio) Passem por lá, ainda só estamos no dia 3. Estão a tempo de apanhar este comboio de Yoga diário durante 30 dias. Quando não consigo fazer yoga, faço meditação. E isto desde o dia 6 de Dezembro.

 

Fazer um post sobre o melhor do mês todos os meses

|| estou sempre a inventar coisas novas para fazer, ler, ver... vejo filmes e séries dos quais não falo aqui... gostava de partilhar um bocado mais este lado real. Vou mesmo tentar manter este objectivo! 

 

Acabar o curso online sobre Marketing Digital para...

|| ...começar o tal projecto profissional online que ando a tentar ganhar coragem para lançar há anos.

 

Libertar-me da síndrome do Impostor

|| Já estive mais longe deste objectivo! Todos os anos têm sido uma constante aprendizagem.

 

Libertar-me do julgamento dos outros

|| e desta sensação de ter que encontrar alguém antes da data X ou trabalhar no sítio X antes dos 30... etc....

 

Escrever a minha missão e lista de valores and stick to it

 

Experimentar desportos novos

|| aqui em Paris gostava de experimentar ter aulas de: escalada, standing paddle, golf, mindfulness e desenho. Se houver tempo, alguma actividade desportiva colectiva que ainda vou escolher.

 

Organizar as minhas fotografias e enviar a quem de direito

|| globalmente gostava de arrumar a minha desarrumação online e ter um disco externo exemplar como a J... em que está tudo organizado por pastas e datas. Talvez não chegue a tanto extremismo (ela é mesmo uma organização-freak, eu sou, bem, eu sou uma desarrumada estadio 4 de cronicidade ).

 

Voltar a conseguir correr 5km

 

Dar entrada para uma casa no Algarve

|| Gostava de ter uma casa ou apartamento em Portugal. Até aos 30 a ver se torno este projecto uma realidade. Se souberem de algo fixe que esteja à venda mandem mail. 

 

E pronto, para já foi isto.... depois vou ajustando ao longo do ano, mas gostava que o meu ano de 2020 seguisse na mesma linha que estes objectivos.

 

E vocês, meus pequerruchos desarrumaditos, já escreveram a vossa lista de resoluções 2020???

 

Beijo na bunda! 

 

25
Out19

2. Estúdio.

No estúdio onde moro tenho exactamente 7 móveis (dos quais constam 2 cadeiras de plástico do IKEA), 4 prateleiras num dos muros, que estão cheias de livros, um lavatório com um armário encastrado em baixo, que decidi não considerar como móvel por fazer parte do muro, onde cabem os meus produtos todos de beleza e higiene pessoal. Num dos cantos, uma cabine de duche AKA poliban.

 

Dentro da parte inclinada, está o que parece uma mini despensa separada com portas de correr, mas onde nem consigo entrar de pé... Nesse espaço tenho três caixas de arrumação de plástico, daquelas para os brinquedos das crianças, onde cabe, literalmente, a minha roupa toda. E mais 3 mini prateleiras no muro interio, onde consegui colocar algumas toalhas, as minhas meias e restante roupa interior, em caixinhas. Tenho outra caixa com produtos de limpeza que trouxe da casa antiga... Demasiados para aqui. Neste sítio a limpeza faz-se em 15 minutos. Sim, já contei. 

 

Tenho um mini-espaço para cozinhar, com um mini lava-louça, daqueles que fica cheio com um prato e um copo. Ao lado, duas placas para cozinhar. Por acaso aquilo aquece rápido e até vou conseguindo cozinhar qualquer coisa de jeito ali. É o que me safa. Mas isso começou há cerca de duas semanas, os primeiros 4 meses aqui, alimentava-me de pratos preparados, e encomendava muito em aplicações. Mas isso não é vida... Começou a custar-me ver tanto dinheirinho a voar assim... Já não bastava o outro que gasto com o chocolate. 

 

Num cantinho do chão, vou metendo os legumes que compro e que não cabem no frigorífico, que como podes imaginar, é daqueles tipo frigorífico de hotel, com 1 mini congelador em que a porta nem fecha bem e acaba por ficar geio de gelo em 2 tempos, depois já não cabe lá mais nada, e tenho que descongelar. Um ciclo sem fim... Uma vez por mês lá estou eu, de rabo para o ar, a secar a água que caiu para o chão durante o descongelamento. Esse frigorífico tem, mais duas prateleiras de fresco, uma gaveta em baixo, supostamente para legumes, mas onde só cabem 2 courgettes e 3 tomates de cada vez, e na porta, uma prateleira para ovos, mais precisamente, seis. 

 

O estúdio tem uma porta, e única, a da entrada. E de saída. Uma janela estilo Velux na parte inclinada do tecto, daquelas com vista para os telhados de Paris, que fica mesmo por cima do sofá-cama, oferecendo-me, em dias de chuva, o melhor ASMR para dormir que podia ter pedido.

 

A outra janela, proporciona-me uma vista para o "local" do lixo do prédio e é onde consigo avistar, ao longe, a torre de Montparnasse, com a sua luzinha azul sempre no pisca-pisca.

 

Estou aqui deitada no sofá-cama a escrever-te isto. E à espera que os dois aquecimentos eléctricos minúsculos aqueçam a divisão. Sim, moro numa única divisão. Agora, a minha vida toda cabe em 12m2. E ainda falta destralhar muita coisa. Quem diria. 

 

A casa de banho? Essa fica no corredor. Num cubículo minúsculo, onde só vou para fazer xixi e cocó. Que partilho com mais 4 estúdios como o meu. Creio que os outros sejam estudantes, porque nunca estão cá ao fim de semana. Aliás, nunca estão cá, ponto. Tenho o sexto andar, e meio!, só para mim. Nunca pensei viver num meio andar... 50% de um andar, no topo de um prédio, em Paris... Well, podia ser pior. Ao menos tem elevador. 

 

Já te disse que vendi o meu carro? A minha caixinha de fósforos que tanto me levou para sítios? Vou só ali dormir um bocadinho, amanhã já te conto mais sobre isto. 

 

02
Ago19

Extremismo.

Sou uma pessoa de extremos.

 

Ora tenho 5 anos, como daqui a uns dias já tenho 80. Corro todos os dias ou passo um dia inteiro de papo para o ar a ver uma season inteira de La Casa de Papel. Posso passar uma semana inteira a encomendar jantar no Uber Eats, como na semana a seguir só como saladas. Às vezes digo foda-se para o ginásio, outras vezes estou lá batida todos os dias, com uma assiduidade invejável.

 

Às vezes amo de mais e quero alguém para sempre, outras vezes só quero foder como se não houvesse amanhã e pedir-lhe para atirar comigo contra a parede enquanto me chama de puta.

 

Por vezes sonho em casar e ter filhos, o relógio biológico faz tic tac cá dentro e quando, na rua, vejo um recém-nascido num carrinho, toda eu sou sorrisos parvos. Com a certeza absoluta analítica sintética de que um pedacito de gente daqueles era capaz de me fazer derreter toda por dentro. No dia seguinte acordo e só penso que se foda ter descendência, vou mandar tudo para o ar e tirar um ano sabático para dar a volta ao mundo. Ir meditar para um ashram na Índia, onde ninguém me conhece. 

 

Gosto de poupar, guardar dinheiro, e sou super organizada com isso, tenho objectivos claros que quero manter. Mas, depois chegam aqueles dias, em que gasto cinquenta euros num fond de teint da Dior. Sem nenhum arrependimento. No dia seguinte lavo o cabelo com shampoo no poo, sem sulfatos e parabenos, porque estou a tentar recuperar as minhas ondulações naturais. E depois canso-me e estico tudo.

 

Às vezes adoro estar no estrangeiro e só penso que se foda a terrinha, e depois chega o dia em que até o sino da igreja da aldeia me dá saudades... Dias em que dava tudo para ouvir um rebanho de ovelhas a passar à porta, poder dizer bom dia ao pastor. Isto tudo naqueles dias em que quero voltar, meter tudo em meia dúzia de sacos e ir procurar trabalho para "casa". Sem olhar para trás. Mas depois fico com saudades deste novo país que me acolheu e não vou embora. 

 

Porque sou de extremos. Não consigo estar quieta nem decidir o que quero... Ora sonho com uma grande carreira, numa grande cidade, ora sonho em viver numa quinta e plantar / criar a comida que como. Viver da natureza. 

 

Já disse, tenho vontade de amar, mas não me amo a mim própria. E depois há dias em que sim, sou a maior do mundo! Amo-me, amo-me, amo-me ! E vou esperar que a pessoa ideal chegue! Só que depois já não quero... Passar a vida toda com a mesma pessoa??? Nesses dias já só preciso que um perfeito desconhecido me deite nos joelhos dele e me dê palmadas no rabo até arder. 

 

Sou de extremos. Por isso tenho 28 anos e não há um único pingo de estabilidade na minha vida. Admito... Tento mudar, tento querer e fazer o que os outros fazem. Tantas e tantas vezes. Mas, por enquanto, não dá para ser de outra forma. 

 

 

Beijo na bunda 💋

09
Jan19

E se o blog tivesse um Podcast?

Está na moda. Toda a gente está a fazer um. Mas aqui a vossa dESarrumada às vezes até gosta de estar na moda. E gosto de falar! Muito! Falo pelos cotovelos. Às vezes no meio da rua os meus amigos até fingem que não me conhecem...  

 

Isto hoje foi só um teaser onde vos falo de uma nova espécie de animais que migrou para França no ano passado... por isso ficou curtinho... e, apesar de não gostar de coisas curtas decidi partilhar na mesma! Porque vos amo  e porque sou um bocado sádica!  não se preocupem, se não gostarem o botão de pausa está lá pronto a usar!

 

E claro, por motivos de experiência social e antropológica, não queria impedir-vos de conhecer o meu sotaque franco-serrano e até, quiçá, poderem gozar um bocado com isso! Ouçam e digam de vossa justiça se é para continuar ou se devo dedicar-me ao meu sonho de infância de ter uma criação de ovelhas na serra da Estrela.

Beijo na bunda! 

 

 

Bem-vindos ao meu diário, um lugar seguro onde podemos falar sobre tudo. Já comentaram hoje? Bisou, da vossa dESarrumada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D