Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

22
Abr19

Amizades sinceras... ou não.

Já vos aconteceu sentirem que alguém só fala com vocês porque tem a crença de que vocês são inferiores a ele/ela?

 

dementors_falsos_amigos_desarrumada.jpg

 

Desde muito nova que isto me acontece imenso. Não sei se por falta de auto-estima minha, ou se este meu sexto sentido é verdadeiro... Às vezes debruço-me sobre esta sensação e analiso todas as pessoas com quem a tal pessoa se dá para ver se o meu palpite é correcto. E muitas vezes é. São pessoas que estão rodeadas, não de amigos, mas de vassalos.

 

Considero-me alguém tímida, com tendência a aceitar o que os outros dizem, sem oferecer muita resistência... e quando alguém me deixa desconfortável e com a sensação que estou a pisar-me a mim própria, normalmente essa pessoa é alguém que vive rodeada de pessoas "como eu". E isto agora é um grito de alerta para mim!

 

Antigamente tentava afirmar-me, discutia com essa pessoa até, tentava "mostrar-me", tentava chamar a atenção "hey, estou aqui", "hey, olha para mim", "hey, eu existo", "hey, não estou aqui só para dizer que sim a tudo que tu queres". Mas isso acabou este ano.

 

Hoje em dia afasto-me. Quando alguém me provoca desconforto, seja de que tipo for, já não sinto aquela necessidade de agradar, simplesmente vou embora. Explicações são servem de nada com pessoas assim. São pessoas que absorvem todas as energias que estão à volta delas, e quanto mais dermos de nós, mais nos sentimos drenados, sugados, esgotados.

 

São os dementors da vida. E eu decidi dizer basta. Só este ano já foram 3 pessoas com quem deixei de falar. E estou muito melhor assim. Menos cansada, menos esgotada, sem necessidade de provar nada aos amigos que ficaram. Pessoas assim já não me fazem falta. 

 

15
Mar19

Basta deslizar um dedo...

Não me venham cá com coisas dizer que a televisão só agora ficou uma merda. Já era merda antes só que de uma forma menos escandalosa e não havia outras escolhas... Big Brother, Quinta das Celebridades, etc, etc. A malta agora tem Internet fibra ótica, imagine-se. Pode ver séries e filmes em streaming a toda a hora. O YouTube está a abarrotar de documentários grátis, há TedTalks fabulosas, existem podcasts com temáticas inimagináveis e sites com pessoas especialistas em diversas áreas. E os blogs? São para todos os gostos! E pasmem-se, no meio de tanto blog, alguns (muitos!) são sobre temas eruditos.

 

Há cada vez mais livros interessantíssimos a serem lançados e grandes obras a ser traduzidas para português. Tudo é tão acessível. Nunca uma geração teve tanto conhecimento à mão. Literalmente, basta deslizar o dedo num ecrã e temos acesso a conhecimento infinito.

 

Concluo que só vê televisão quem quer. E por isso, actualmente, posso afirmar que permanecer burro é uma escolha. 

07
Mar19

Em Ponto Maria: Deixar a Porta Aberta?

Hoje vai-se falar sobre deixar, ou não, a porta do WC aberta enquanto fazemos as necessidades básicas. À vista de "todos" ou não? Eis a questão.

 

Enquanto rapariga consigo resumir esta dissertação numa frase muito simples: depende de há quanto tempo conhecemos a pessoa! 

 

Imaginemos duas situações: primeira vez que dormimos no mesmo espaço e 2 anos de relação. Não vou falar de como reagiria com mais tempo de relação do que isto porque não conheço, nunca been there, nunca done that!

 

Primeiro encontro, uma pessoa está ali em casa do moço... antes de chegar lá já comeu uma tábua de charcutaria francesa, bebeu um bom copo de vinho tinto , depois foi para um bar e bebeu uma cerveja... epah... dá aquela vontadinha de fazer cocó mesmo ali quando uma pessoa já está aos beijos no corredor do prédio e a entrar em casa dele... horror dos horrores, chega à casa de banho e só há um resquício de papel higiénico no rolo e fica com vergonha de pedir mais... opah, foda-se!

 

Como fazer nesta situação? Uma pessoa faz as necessidades físicas mesmo ali, contrai o esfíncter e tenta seguir em frente nas actividades coitais, ou sai a correr e diz sayonara ao moço? Pois. Eu decidi fazer mesmo ali, no WC de um desconhecido. Mas digo-vos já: não é fácil. Só os fortes conseguem. Como tal, e visto que começo a ter alguma experiência no assunto, vou ensinar-vos algumas técnicas para minimizar o constrangimento da situação:

 

- Quando querem fazer cocó sem barulho de puns - afastem as nalgas! Assim, mesmo como estão a pensar, uma mão de cada lado dos glúteos a criar uma abertura entre os ditos. Vão ver que o peidinho sai sem barulhinho nenhum. Palavra de dESarrumada.

 

- Quando querem evitar o barulho do PLOC no momento em que o cocó mergulha para a sua morada final - penso que esta já é um clássico, meter montes de papel dobrado por cima da água da sanita! O Senhor Castanho cai ali naquela caminha fofa de papel e nem um som é audível pelo gato que está à vossa espera na sala...

 

- E quando há pouco papel e não dá para fazer a caminha do cocó??? Nada temam!!! A dESarrumada tem a solução: sentem-se o mais à beirinha possível do tampo da sanita e controlem o esfíncter de forma a que o cocó caia muuuuuito devagarinho, fazendo escorrega até à água, em vez do clássico mergulho de cabeça. De certeza que é um momento de fim de vida menos glorioso para o cocó, mas, gosto de acreditar que ao menos enquanto escorrega se está a divertir e a gritar YOLO!!! Advertência: certifiquem-se de que existe piaçaba ao lado da sanita antes de efectuarem esta técnica. Não há nada pior que estarem debruçadas em cima da cagadeira de um desconhecido, a limparem cocó que ficou agarrado à louça da sanita, com um nico de papel higiénico bem dobrado à volta dos dedos para não conspurcarem as unhas!

 

E porque é que uma mulher se tem que dar ao trabalho de andar com estes esquemas todos??? Porque, segundo o mito, os homens não sabem que as mulheres fazem cocó! Shhhhhiu! Já imaginaram se eu fosse a primeira mulher a quebrar este crença popular tão enraizada??? Que vergonha isso ia ser para a raça feminina  

 

Dois anos depois... bem, isto já foi há uns bons séculos atrás! Já não me lembro de estar numa relação mais do que um ano há praí uns 7 anos! Mas sei que quando a coisa começa a chegar ali ao primeiro ano já faço xixi em frente ao moço. Lembro-me de na minha ultima relação mais duradoura o moço estar a fazer cocó e eu a tomar banho, ou  eu estar a fazer xixi e ele a lavar os dentes... mas... nunca aconteceu eu fazer cocó em frente a um gajo.

 

Por isso, não vos sei dizer ao certo se devem fechar a porta ou deixar aberta! Mas imagino que só custe a primeira vez. Os meus pais, por exemplo, são casados há quase 29 anos e fazem TUDO em frente um ao outro... às vezes até se fecham na casa-de-banho, enquanto um faz as necessidades, o outro lava os dentes, e vice-versa!  De vez em quando é com cada cagadela após feijoada que eu até fico vesga dos olhos só de me aproximar do corredor em frente à casa-de-banho tal é o cheiro nauseabundo que emana pelas frestas daquela porta!... e eles os dois fechados lá dentro, tranquilos, impávidos e serenos. Isto só pode ser amor minha gente! Para mim isto é #goals numa relação.

 

Resumindo e concluindo: cabe a cada casal decidir, de forma orgânica que isto não exige cá uma reunião formal, se quer partilhar os seus momentos pós-feijoada / pós charcutaria / pós-kebab um com o outro. Eu cá ainda fico à espera do homem que se queira fechar comigo no WC e partilhar o meu cheiro de cocó fedorento pós-bebedeira! 

 

Beijo na bunda! 

 

 

 

*******************************************************************************************************

Em Ponto Maria Oficial.jpg

 

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

28
Fev19

Em Ponto Maria: O Tamanho Importa?

Hoje vamos falar sobre pila. Bilau. Caralho. Em todas as suas formas e feitios. E responder à famosa questão: o tamanho importa?

 

Gostava de dizer que não. Que o tamanho não influencia a performance do dito cujo bilau. Mas influencia e bastante. Só que depende da situação. Já explico melhor.

 

Atentem na seguinte situação: vocês estão doidas, doidonas, todas molhadinhas ali à espera do dito cujo. E o senhor entra, sem bater à porta, e vocês ficam tipo "oi? quem anda aí?". Ninguém. Só umas cóceguinhas de nada. Porque o pobrezinho ficou ali a nadar naquele mar de fluídos corporais escorregadios.  Dizem que olhos que não vêem, coração que não sente, mas neste caso é mais: olhos que não vêem o pilau raquítico, vagina que não sente.

 

Sabendo que a vagina só tem sensibilidade no primeiro terço do canal vaginal, ouve-se muitas vezes dizer que uma pila pequena ou uma pila grande, vai dar ao mesmo. Pois bem, isto também depende da mulher! Existem mulheres que apreciam bastante o contacto da cabeça do mastro no colo do útero, e há outras - acuso-me! - que detestam! Não há coisinha pior do que sentir ali o cabeçudo a cutucar o colo do útero: pumba, pumba, pumba! E a pessoa fica pr'áli com lágrimas nos olhos a chorar de dor... "porque raio fui eu sair com um gajo que cresceu ao lado de campos de plutónio e tem uma pila com 25 centímetros???". Been there. Done that.

 

Volto a perguntar: mas será que o tamanho é o mais importante??

 

Falando das minhas experiências pessoais acho que não. Para mim o mais importante ainda é a FORMA do dito cujo. Eu prefiro a forma em foguetão - magrinho em cima e gordinho em baixo. Mas também não digo que não a um encurvado para cima. Estimulação do ponto G... há como não gostar???

 

Depois da forma prefiro a qualidade da prestação do moço nos preliminares. Tem de ter uma língua atrevida e um dedinho maroto - ou vários dedinhos malandrecos e prontos a mergulhar onde for preciso. Recentemente descobri o significado de "vou comer-te a paxaxa"... eu pensava que a expressão "comer" se referia ao acto da pilinha entrar na papoilinha, mas afinal, enganei-me. No dia em que um gajo me lambeu com a boca toda, de cima a baixo, por fora e por dentro, com vontade, senti o que era O verdadeiro sexo oral. E descobri que não curto nada quando o moço chega lá muito tímido a afastar tudo quanto é folhos da paxaxa e fica ali a passar a língua na ponta mais pontiaguda do clitóris. Não há paciência, é um enfado. E quando dou por mim já estou a deprimir porque tenho o tecto do quarto cheio de teias de aranha que nunca limpei. Nem vou limpar. Eu só queria era que ele tirasse as minhas teias de aranha internas. Será pedir muito?

 

Vou parar de divagar e voltar à minha resposta.

 

Fazendo um ponto rápido da situação, falei-vos sobre o bilau não ser demasiado pequeno, não ser demasiado grande, sobre a sua forma e sobre a importância dos preliminares - que para mim resumem esta questão de forma clara e evidente. Sem bons preliminares não há pila que entre sem provocar sensações dolorosas ou de desconforto, independentemente do tamanho! Mas falta abordar um assunto de extrema importância, para o qual o tamanho importa (e muito!) o sexo anal! Aqui meus caros, não há dúvidas: preliminares - muitos!; tamanho - entre médio a pequeno (excepto se curtirem aquela sensação de esfíncter esgaçado! Sem julgamentos, hein!); forma - foguete e curvadas (a forma "menos" desejada aqui é a do cogumelo porque a cabeça é o que vai custar mais a entrar e por isso pode ser mais doloroso... é ir com muito amor minha gente!)

 

Mas, como em tudo nesta vida e o sexo não é excepção, cabe a cada um conhecer-se e saber qual a melhor forma de utilizar aquilo que a mãe natureza lhe deu! O importante é haver muito lubrificante! Litros e litros de lubrificante... e se gostam de um mastro de 25 cm a entrar por vocês acima e a estraçalhar tudo quanto é vísceras internas enquanto têm orgasmos múltiplos... go for it! O importante é haver saúdinha...

 

Resumindo e concluindo que já divaguei bastante: o tamanho não importa, o que importa é saber o que fazer com o instrumento. 

 

Costumo dizer que nunca se aprende nada no meu blog e que saem sempre daqui mais burros do que quando entraram, hoje decidi reverter a tendência e mostrar-vos algo que vai mudar as vossas vidas. Pelo menos para quem tem um parceiro mais avantajado! Um dispositivo chamado Ohnut. Este pode ser colocado na base do objecto/orgão penetrante e serve para "amortecer" o impacto e/ou controlar a profundeza da penetração, evitando aquela dorzinha desagradável bem lá no fundo. Encomenda-se neste site ohnut.co. E não, ninguém me pagou para publicitar isto... mas tem a ver com o tema e tinha-me dado imeeeenso jeito há sensivelmente 3 anos atrás.

 

ohnut.co.jpgohnut.co_2.jpg

 

Beijo na bunda! 

 

************************************************************************************************

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com o Triptofano tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

 

14
Ago18

... uma pessoa abre o coração em vez de abrir a boca (para comer) e recebe um destaque!

Em vésperas de feriado foi com grande alegria que vi que tinha sido destacada pelo Sapo no meu post sobre "fome emocional". Obrigada Sapo por este destaque! 

 

E obrigada a todos os comentadores fofinhos nesse post, não tarda nada respondo a todos, prometo! Ultimamente, como sempre aliás, têm vindo aqui parar ao blog pessoas excelentes, tão queridas que até fico embevecida com as vossas carinhas de unicórnios mágicos - chuva de purpurinas para vocês todos! - e estes unicórnios fofinhos andam a multiplicar-se que nem cogumelos nas subscriçõe, sem esquecer, claro, aqueles fofuxos ali escondiditos nas subscrições por email, que só nos enchem o ego em privado, estatisticamente falando.

 

Aquece-me o coração saber que há gente que quer receber as minhas bacoradas directamente no seu email - haverá honra maior do que esta? saber que se invadiu logo pela manhã a caixa de entrada de um desconhecido? - e outros tantos que passam por aqui TODOS os santos dias, incansáveis, mesmo durante este deserto bloguístico, mais conhecido como mês de Agosto - sim, sei quem vós sois!

 

Beijos nessa bunda  meus queridos! Tantas e tantas vezes que quis desistir do blog, sobretudo quando as coisas no andar de cima não andam nada bem - estou a falar da minha cabeça, claro, mas também podia ser uma alusão ao facto de morar no quarto andar de um prédio - mas tudo isto mostra que vale a pena andar por cá! Se fizer uma pessoa rir, umazinha que seja, já me posso considerar uma mulher feliz!

 

Pumzinhos de purpurinas para os meus miguxos do blog!

unicorn2.jpeg

 

08
Mai18

Já se sabe que a malta gosta é de ver desgraças...

... é parar em plena auto-estrada para ver um acidente de carro;

... é fazer um aglomerado de gente à volta da vítima se por acaso alguém tem o azar de desmaiar num concerto;

... é ir ver um incêndio, de longe, muito longe, para se poder dizer quão mal aquilo estava (ao menos levem água aos bombeiros);

... é ficar a olhar para uma pessoa em cadeira de rodas na rua e fazer a questão mental "o que lhe terá acontecido?";

... é parar de jantar só para ver aquela notícia na televisão sobre outro atentado.

 

 

Todos gostam de ver desgraças, mesmo que não queiram admitir. Ainda que esse momento não proporcione prazer nenhum, ainda que haja aquela sensação de peso na barriga e garganta apertada, a malta pára e fica a olhar.

 

Por isso é que este post aqui do barraco foi destacado pelo SAPO. 

 

Porque a minha vida amorosa neste momento parece um acidente em que dois comboios colidiram de frente um com o outro. Já há 3 anos que assim é, e os posts das minhas breakups estiveram sempre entre os mais lidos. A malta fica especada a olhar, quer seja na vida real ou num blog! E vai voltando para ver as outras desgraças que vão acontecendo.

 

Mas eu gosto de vocês na mesma. E faço este post para dizer que são sempre bem-vindos a este cantinho desarrumado. 

Tirem os sapatos e instalem-se confortavelmente que isto ainda agora começou!

 

Beijo na bunda! 

 

05
Dez17

O Sapo está louco!!!

Dois destaques na mesma semana??? Não pode ser!!!

 

Ai, pode, pode! Aqui e aqui.

 

Obrigada Sapo, vocês são uns fofuxos!! E de vez em quando lá vêm contribuir para as montanhas do Everest no meu gráfico das estatísticas - sim, porque aqui o barraco só tem visualizações de jeito quando há um destaque - mas mudando de assunto, já me habituei à ideia e sigo em frente com as bacoradas do costume.

 

Continuem a seguir isto porque de vez em quando até acontece eu dizer algo inteligente. Prometo.

 

Beijo na bunda a todos

(excepto aos que não votaram em mim nos Sapos do ano,
a esses eu dou beijinho no ombro)

 

 

17
Mar17

Obrigada Sapo!!! Mas, WTF?

 


Eu faço textos sobre tudo um pouco.


 


Escrevo textos de amor.


Escrevo textos sobre saudade.


Escrevo sobre família e amigos.


Escrevo sobre decisões de vida.


Escrevo sobre coisas mais badalhocas...


E o Sapo, esses fofuxos, decidem meter em destaque um post que fiz sobre peidos??? 


 


Obrigadão, seu bixo verde que cuida aqui dos blogs da malta! 


 


Um beijo nessa bunda viscosa de anfíbio! 


 


 

15
Dez16

Eu tentei...

... ser discreta quando no meu último post falei sobre sexo. Mas "falhei" redondamente e agora o post está na página de destaques do SAPO.


 


Espero que o moço citado não descubra isto... porque com a quantidade de coisas que já fui desvendando neste blog sobre mim, lá se vai o anonimato. É que não é por nada, mas os meus pais se lerem isto deserdam-me!!!! 



Vá, resumindo e para não ser muito chata que a noite já vai longa: obrigada SAPO, é sempre bom ter um destaque! 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D