Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

03
Mar19

LIBERDADE!!!

Não sei se acompanham os stories do Insta aqui da je... e antes de mais quero pedir desculpa aos seguidores do blog, mas ultimamente o tempo de fazer posts mais elaborados tem escasseado e como tal, os meus fãs (coff coff) do Instagram têm sabido todas as novidades em primeira mão... afinal, o Insta pode ser usado na casa-de-banho, enquanto que escrever posts com links no telemóvel é uma valente poia...  visto que estou no computador, e que este gajo ultimamente não tem ligado quando quero e só funciona quando lhe dá na real gana, vou aproveitar para escrever um testamento. Só lê quem quer 

 

Antes de avançarem, e para me conhecerem melhor em termos profissionais leiam:

 

Como vim parar a França

 

Pois bem, agora que já leram o link anterior e conhecem todo o meu contexto profissional:

 

DESPEDI-ME!!!

 

Depois de vários posts em que vos massacrei literalmente com o meu descontentamento no trabalho onde estou, decidi cagar no contrato de 2 anos que ainda tinha com eles até junho, e entreguei a minha carta de despedimento. Assim, de um dia para o outro!!!

 

A carta já estava escrita. As razões já estavam mais do que definidas na minha cabeça... mas faltava um quando e um como.

 

Na sexta-feira dia 22 de Fevereiro estava eu fartinha atéaojolhos das condições de trabalho, e eis que ao passar no corredor onde está o escritório dos médicos, onde também trabalha o médico chefe do serviço e que é o responsável pela equipa onde trabalho, pensei: "e se fosse agora?"... andei discretamente pelo corredor, assim como quem vai buscar fotocópias, e vi que ele estava sozinho no escritório: "nem é tarde nem é cedo, vou fazê-lo agora."

 

E entrei, a tremer que nem varas verdes, mas consegui verbalizar as palavras que há mais de dois anos não queriam calar na minha cabeça:

 

"Eu despeço-me!"

 

E foi assim. Foi assim que comecei a anunciar a minha liberdade... e que a coisa se começou a tornar real. Esperei até quarta-feira para anunciar ao resto da equipa. E desde esse dia toda a gente soube que eu me ia embora. Tenho um defeito psicológico: acho sempre que ninguém gosta de mim. Onde quer que esteja acho sempre que as pessoas fazem de conta, que ninguém me aprecia verdadeiramente. Talvez uma síndrome do impostor disfarçada? No dia em que me despedi percebi que até há algumas pessoas que me apreciam, e que afinal as minhas inseguranças são coisas da minha cabeça - ressalvo que não sou amada a 100% por toda a gente da equipa, mas o chocolate que é o chocolate e que eu amo de paixão, nem esse agrada a todos!

 

Acabo o contrato no dia 5 de Abril e depois vou fazer substituições nesta zona até meio de Abril porque tenho férias em Portugal na altura do meu aniversário... sim, sou uma Toura tardia.

 

A partir de Maio é o vazio em termos de planos. Ainda não sei o que vou fazer. Só sei que quero viajar e ver o mundo. Vi algumas ofertas na Corsega e noutras ilhas francesas, mas ainda estou a ver como posso fazer isto a nível de logística. Nunca pensei tomar uma decisão destas sem ter tudo planeado ao pormenor. Às vezes nem eu própria me reconheço... Quem me conhece desde o início do blog em 2015 sabe bem que a dESarrumada antiga NUNCA teria feito isto.

 

Eu queria controlar tudo... tudinho... até ao mais ínfimo detalhe. Acreditava que tinha um rumo a seguir profissionalmente e que se não o seguisse ao detalhe seria um grande falhanço. Para quem não sabe: quero ser professora e ter o meu negócio próprio na área em que trabalho. E achava que tinha que o conseguir antes dos 30 anos. Se não conseguisse teria falhado na vida. E esta forma de pensar estava a destruir-me. Não dá para controlar tudo na vida, e tentar fazê-lo é frustração na certa.  Todos estes "tenho que..." só me traziam ansiedade e estragavam os momentos felizes... Em vez de deixar a vida fazer a sua cena, tentava micro-controlar todos os meus movimentos e tentar escolher o caminho X para fazer a coisa Y e acabar na situação W. Aos poucos estou a conseguir abrandar. Percebi que se atingir o que quero nem que seja aos 50 anos ou mais tarde, não é grave! E talvez ser professora ou ter um negócio próprio não seja para mim... e está tudo bem.

 

No entanto, a minha mente ainda tem assim uns laivos de quase-ataque-de-pânico-oh-meu-deus-onde-me-vim-meter, mas já estou muuuuuuito melhor. A única coisa que ainda me deixa bastante desnorteada são gajos. Ah e tal é muito bonito estar numa onda de liberação sexual "vida-louca-quero-foder-até-cair", mas basta um gajo dar-me mais conversa, convidar para jantar, dormir, a coisa ficar mais íntima e já penso que encontrei o homem da minha vida... tsss.... ainda tenho muito trabalho de desenvolvimento pessoal e emocional pela frente nesta área... pouco a pouco chego lá. Acredito que tudo isto me esteja a preparar para saber reagir quando encontrar alguém especial. Estou a aprender o que quero e o que não quero. Espero.

 

A vida faz-se caminhando. E se já fossemos "grandes e crescidos" desde que nascemos... que piada teria esta puta de viagem? Eu não sei... mas como uma pessoa muito inteligente um dia me disse "Se eu tivesse asas era um avião"  E nesse dia, essas palavras tão simples mas tão sábias eram o que estava a precisar ouvir para me deixar de merdas.

 

Beijo na bunda 

02
Out18

Quem sou eu?

Uma pessoa passa uma vida a acreditar em várias coisas.

 

Elas são frases que nos são ditas repetidamente, conceitos abstractos, críticas que ouvimos vezes e vezes sem conta, por vezes elogios às nossas capacidades que só os outros conseguem ver. E uma pessoa acaba por dizer para si própria: "se os outros pensam isto sobre mim, então é porque deve ser verdade".

 

Inconscientemente todas as decisões que tomamos têm por base estas crenças. Se escolho este emprego é porque me vejo desta forma, se escolho aquele companheiro é porque me vêem com alguém deste género, se vou para determinado país é porque esperavam que tomasse essa decisão, se troco de vida é porque é o que é suposto eu fazer.

 

Ultimamente, apercebo-me que pouca coisa na minha vida foi uma escolha minha. Escolhi muito pouco para mim porque me conheço muito pouco. Limitei-me a fugir da prisão em que me meti ao longo dos anos. Mas continuo acorrentada. Desta vez com correntes ainda mais compridas que as anteriores, com milhares de quilómetros entre elas.

 

Quem sou eu? Para onde vou? Não sei. Porque, e isto só o soube recentemente, nunca me dei oportunidade de me conhecer. Sempre me vi através dos olhos dos outros e sempre esperei a validação de terceiros para tomar as minhas decisões.

 

Quando choro não é por tristeza por causa da minha vida estar onde está, choro porque não tomei algumas decisões que queria ter tomado, choro porque não sei qual das decisões é a correcta. E hoje escrevo este post porque ando a martirizar-me com a procura de respostas que simplesmente não existem.

 

Não há decisões definitivas. Não há uma verdade absoluta. A minha verdade não é a tua. A minha verdade hoje pode ser uma e amanhã será outra.

 

Hoje disseram-me: "Falhar não existe. Falhar é um conceito abstracto."

 

E era tudo o que precisava ouvir hoje.

 

07
Ago17

Já se sabe que um dia a coisa descamba...

Quando estamos habituados a viver sozinhos e recebemos alguém aqui em casa durante uns dias muita coisa pode correr "mal". Neste caso não foi algo horrível (acho que vou sobreviver a isto) mas foi algo que pode meter aqui alguns posts ou todo o blog em risco 

O menino descobriu uma imagem relativamente aqui ao blog, mas sem saber que ela se referia ao blog. Agora estou cheinha de medo que ele pesquise o nome no google e encontre este antro... é que sabendo que ele ou alguém conhecido lê isto já não serei tão genuína no que escrevo (já para não falar que já confessei aqui coisas que nem lembram ao diabo mais diabólico da terra)... e terei com certeza de apagar alguns posts mais "chocantes" para os meus conhecidos...

Fogo, não sei que fazer! Talvez seja a hora de fazer uma pausa (grande) neste projecto e começar outro que tem andado a martelar aqui na minha cabeça (um blog sobre alimentação, vida saudável e outras áreas de interesse que tenho - apesar de não se notar nadinha que tenho interesse nessas áreas porque neste blog só escrevo sobre os podres da minha vida, bem sei!).

Bem, vou reflectir sobre este assunto de mudar 100% de estilo e começar algo novo, desta feita com o meu nome verdadeiro (ando com vontade de dar a cara num projecto mais "sério"). Acho que ainda tenho uns dias antes de ele descobrir isto...

Entretanto gostava de saber as vossas opiniões... malta que escreve sobre assuntos mais "pessoais/íntimos", vocês contaram aos vossos entes queridos sobre a existência do blog?

25
Abr17

Pirei de vez #continuaçãododesafiodochocolate

11 dias meus caros. Aguentei 11 dias sem comer uma tablete de chocolate inteira em casa. E hoje só "quebrei" porque a minha mãe me mandou para o meu aniversário, entre outras coisas, uma tablete Milka, que chegou este sábado. E mesmo assim esta aguentou 2 dias aqui em casa. O que antes seria impossível.


 


Isto só mostra que: EU CONSIGO! EU VOU CONSEGUIR!


 


Hoje volto à estaca zero. Com 11 dias no buxo que nunca pensei serem possíveis. 11 dias em que só comi 3 ovinhos kinder daqueles pequenininhos. E foi no trabalho. Em casa nem chocolate preto comi. Estou tão feliz. 


 


Posso ter quebrado hoje, mas o chocolate não vai ganhar!


 


Pronto, agora que acabei com o meu discurso pseudo-motivador sobre largar este vício do chocolate, vou trabalhar! Que este artigo não se faz sozinho.

16
Abr17

Pirei de vez.

Quem me vai conhecendo aqui na blogosfera sabe que sou viciada em chocolate. Quando digo viciada não é exagero. Quando estou 24 horas sem consumir chocolate fico com sintomas de abstinência, trepo paredes, só penso naquilo.


E pronto, a modos que pirei de vez, é desta.


Na quinta-feira à noite comi uma tablete de chocolate inteira antes de ir deitar... hábito que tenho vindo a desenvolver desde que sou gente, desde que me conheço... e fiquei mal disposta pelo pico de insulina, já estou habituada, é uma sensação que conheço bem e da qual penso estar dependente.


Desta vez foi diferente, tinha acabado de ver um documentário sobre alimentação e a influência do consumo de açúcar no desenvolvimento de cancro.


Tenho cinco casos de cancro na minha família próxima, avô com cancro do intestino, avó com leucemia e três tias com cancro da mama. Deitei aquele papel no lixo, qual maço de tabaco vazio, e prometi a mim própria que não volto a comprar uma tablete de chocolate para comer sozinha.


Já lá vão 72 horas.


 

01
Nov16

Decisões de vida.

Alguém se lembra deste meu dilema?

Pois bem, recebi a resposta na última quinta-feira. Fiquei tão "abananada" com a resposta que só consegui vir aqui falar disto agora.


FUI ACEITE! No meio de 82 candidatos, eu fiquei nos primeiros 30! (É uma universidade TOP em Paris... Não sei que critérios utilizaram mas acho que agora também não importa... Estou dentro e ninguém me pode expulsar agora!) 


Estou feliz! E ao mesmo tempo estou uma pilha de nervos. Ora estou a rir que nem uma parva por ter esta boa oportunidade, ora fico com vontade de vomitar e gritar "onde é que me fui meter?". Tenho medo de não estar à altura do desafio.


Amanhã (que hoje é feriado e o meu chefe fez ponte ontem!) vou finalmente contar-lhe a novidade, e esperar para ver o que eles me propõem. Se me pagam a formação ou não, se tenho que assinar com eles mais uns anos ou não. Se por um lado estou fartinha deste trabalho, por outro esta formação muda tudo.


 


[reclamação in] Antes que cheguem os típicos comentários de "dá Deus nozes a quem não tem dentes", quero desde já dizer que sou um ser humano, e tenho tanto direito de ter medo diante dos grandes desafios da vida, como de queixar-me por a vida ser uma merda devido a razões fúteis (esta vai para quem vem para o blog queixar-se que partiu a unha de gel, por exemplo). A minha realidade não é a mesma que a dos outros. Escrevo no meu blog aquilo que me apetecer. Vejo pessoas escreverem em blogs que ficaram num hotel a 500€ a noite, ou que compraram uma mala de 1000€, e toda a gente faz amén! Pronto, desabafei. [reclamação out]


 


Passo cá mais tarde durante a semana para contar novidades.


Beijos na bunda! 

25
Ago16

Como fazer a decisão correcta?

Vou aqui resumir o meu "problema" muito rapidamente: aqui no trabalho onde estou querem pagar-me uma formação muito porreira em Paris, no entanto teria que assinar com eles um contrato em que ficaria aqui a trabalhar mais três anos. Quem me segue desde o meu antigo blog sabe que estou em França a morar numa terrinha onde não se passa literalmente nada! Tenho 25 anos e sinto que a minha vida social é igual a zero... sinto que estagnei a nível pessoal. Há pouco tempo fiquei solteira, acabei com o Plutónio-man, um rapaz com quem namorava que está em Portugal, e sinto que aqui onde estou, se continuar a levar a vida que levo, bem que posso ficar solteira os próximos três anos (a menos que funcionasse algo com o gajo do banco, mas não adivinho o futuro!)


Portanto, sinto que tenho que decidir entre ter uma super formação paga (sem garantias que tenha hipótese de a exercer aqui onde estou, porque há problemas de "budget") e em contrapartida ter os piores 3 anos da minha vida e sentir-me super bloqueada pessoalmente, ou não aceito a proposta deles, vou trabalhar para outro sítio mais bem localizado e tiro a tal formação com dinheiro do meu bolso? (isto caso me aceitem uma segunda vez...)


Oh raios... só eu para me meter numa destas...

26
Jul16

Decisões de vida! #1

Sempre gostei de chá, mas como não tenho micro-ondas (tentativa de minimalismo bem conseguida até agora), tenho que aquecer a água no fogão cada vez que quero beber um. No entanto, já sabem que aqui a je é uma preguiçosa do pior e só o tempo que a água demora a aquecer é suficiente para me desmotivar da ideia e fazer abandonar o barco. Bad, too bad, dESarrumada!


Decidi comprar uma chaleira eléctrica, e a minha vida nunca mais foi a mesma! É chá quando chego a casa, é chá antes de ir dormir, é chá a toda a hora. Só não há chá de manhã porque adio o despertador 200 mil vezes antes de sair da cama.


 


chá.jpg


Fonte: google images

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D