Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

Diário de uma dESarrumada

08
Mar20

Quarto date.

Quarto date com o Ti... E a gostar tanto de sair com ele.

Ontem fomos passear ali para os lados de République e comemos num restaurante top... O date acabou em casa dele... Numa noite de sexo tórrido... Uma vez... Duas vezes... Très vezes já de manhã. Sabe tão bem estar com um homem que não nos tira as mãos de cima. E que gosta de dormir agarradinho, e dar as mãos, e olhar olhos nos olhos... Ai, opah... Com vontade que esta sensação dure para sempre. 

21
Fev20

Antónios há muitos #2

Muitos queriam saber como correu o date com o António. Então vou contar! Ele é 50% italiano, e eu confirmei em primeira mão que o mito do italiano engatatão e bom amante é real. 

 

Estive quase para fazer um post de TindAdvisor, mas como não conheci o moço através do Tinder, não vai dar para fazer isso. Vou só contar como foi num post normal. Espero que gostem, eu gostei, muito. 

 

Então foi assim, desde que nos encontrámos no restaurante chinês o moço ligou-me uma vez para marcarmos encontro num café ali da zona. Chegámos lá e ficámos na esplanada, daquelas aquecidas com um daqueles coisos que deitam chamas e que quase que uma pessoa fica ali com os coiratos todos tostados. Pedimos 2 cidras e um guacamole. Comemos aquela merda enquanto o gajo me olhava nos olhos e dizia cenas do género "és tão linda, sinto uma atração enorme por ti" e nisto ia mexendo nos meus cabelos e fazia festinhas na cara e tudo. Quase que podia ter sido lindo e maravilhoso, excepto que ele só falava da pila dele, e do quanto ela era grande e fodilhona.

 

Ligou-me todos os dias depois desse date, por volta da meia noite e meia, para me dizer o quanto se sentia atraído por mim e o quanto o bráulio dele era enorme.

 

Ainda tentei manter um bocado de dignidade e seriedade na conversa, mas quando ele me ligou a dizer "não te posso prometer nada de duradouro ou sério, mas posso prometer-te um serão extremamente agradável".

 

Não aguentei mais. 

 

Quando dei por ela estava em casa dele, de joelhos, a lamber-lhe os colhões enquanto ele me dava chapadas na cara e me chamava de puta e cadela submissa. 

 

Desarrumados da minha vida! Tenho a dizer-vos que foi das melhores quecas da minha vida. Top 10 das fodas mais bem dadas de sempre.

 

E sim, ele tinha um salsichão grande e sabia usá-lo, houve ali um momento em que ele me pegou pelas pernas, com os pés nos ombros dele, e deitou-se em cima de mim, ele meteu aquilo tudo lá dentro de uma vez e até vi estrelas. Juro. Mas que soube bem, lá isso soube! 

 

Estar de quatro, a levar com ele, enquanto me puxava os cabelos com força, no  estúdio minúsculo de um gajo quase-italiano em Paris, foi algo que nunca imaginei acontecer. 

 

No dia seguinte bloqueei-o no whatsapp e não voltámos a falar... Apesar de ele morar a 5 minutos do meu trabalho e até poder dar jeito ter uma boa queca debaixo de olho para possíveis emergências, prefiro continuar na minha busca por algo sério. E manter este momento como uma boa lembrança, um dos melhores comboios de orgasmos que tive desde que estou em Paris. Depois do motoqueiro... Shame on me, nunca contei a história do motoqueiro 🤦🏻‍♀️

 

Isto foi só um "acidente" de percurso, do qual não me arrependo nada by the way. É vocês, contem lá como foi a vossa melhor queca dos últimos tempos?

 

"Quecas no meu caminho? Guardo todas, um dia vou construir um bordel."

 

Beijo na bunda, da vossa sempre dESarrumada 💋🍑

 

06
Fev20

Antónios há muitos.

Fui comer ao chinês. Pensam que vou falar do Coronavírus? Descansem a passareca, não vou.

Quase todas as quartas-feiras vou jantar ao restaurante chinês que fica em frente ao sítio onde trabalho.

Estava lá descansadinha da vida, eram quase 21h e entra um gajo assim em modo filme de acção, quase a dar um pontapé na porta, enquanto gritava o seu pedido. Percebi pela reação da senhora e da filha, que estavam atrás do balcão, que este moço é um habitué do restaurante...

Entretanto olhei para ele a rir imenso, porque sinceramente parti-me a rir com a entrada dele no restaurante, foi tão à la Jim Carrey na Máscara... Muito, muito engraçado 😂

 

Quando dou por ela, estava eu a comer a minha carne de vaca com cebola, o rapaz aproxima-se de mim e pergunta se sou "brasileira ou portuguesa?"

 

(mas que raio? Agora tenho a minha nacionalidade tatuada na testa? Como é que ele sabia?)

 

Respondi que sou portuguesa e entretanto, quando dou por ela, o moço estava a mostrar-me cenas do trabalho dele e a tirar a comida do saco para comer ali, sentado à minha frente... Tipo, eu só queria comer sossegadita depois de 12h de trabalho, e quando dei por ela, estava num date surpresa 😂

 

Falámos um bocadito! Ele pediu-me o número e depois foi embora... Tomar conta da planta nova que comprou para o apartamento novo😅

 

Eu não fiquei com o número dele... Só sei que se chama António... Como o meu querido António Vibrações ❤️

27
Jan20

Um abre-olhos: o teste do Rosé!

Depois deste encontro falhado na passagem de ano... só voltei a ver o Half-French mais uma vez. Perto de minha casa porque ainda havia greve e eu ainda não sou nenhuma maluquinha das trotinettes - ainda! um dia meto-me numa e nunca mais me apanham, é ver-me por aí a dar à perna por Paris a fora!...

 

Ele chegou, 2 horas atrasado, em frente ao meu prédio (só avisou à última da hora como de costume), "desce" foi a mensagem dele. Fomos jantar ao restaurante que fica literalmente do outro lado da rua, passo lá todos os dias e quando vejo alguém a comer alquele hamburguerzão com guacamole até salivo... "olha vou pedir o hamburguer, e tu?" - perguntei. "Eu estou com vontade de uma tábua de enchidos para dois, não queres?" ... "não, para mim isso não é jantar, preciso de algo que encha mais...".... "ai, tu vens lá com aqueles hábitos de Portugal de quem come dois porcos inteiros ao jantar, come a tábua comigo, vais ver que enche"...

 

Aceitei o raio da tábua. Mas já estava a ver o meu futuro a andar para trás... já vão perceber...

 

"E vinho queres?" - perguntou.

 

"Não quero alcóol, estava mais numa de Coca-cola" - disse. Sim, sou Coca-cola addict, não julguem.

 

"Bebe uma garrafa de vinho comigo, que vinho preferes, queres tinto?" (rouge em francês)

 

"Epah... se tiver que escolher um vinho, prefiro ou branco ou rosé, mas tinto não" - ele aquiesceu.

 

Estávamos na conversa , ainda sobre os hábitos alimentares de Portugal e de como ele acha que quanto mais um país dá importância à quantidade de comida em vez da qualidade, mais pobre esse país é... (sim, ele é filho de portugueses e, diz gostar de Portugal, mas não perde uma oportunidade para mandar Portugal abaixo e dizer que a França é que é requinte, classe, boa educação, etc).

Chega o garçon.

Ele pede a tábua de enchidos. "E para beber?"

"Uma garrafa de tinto se faz favor"

...

...

...

...

...

Comecei a imaginar-me dali a 3 anos numa relação de submissão com este rapaz. Em que ele vai decidir tudo, o meu futuro profisisonal, quantos filhos vamos ter, a cor das minhas cuecas (é de notar que no primeiro date ele me disse que DEVIA usar batom mais escuro para combinar melhor com o meu cabelo escuro - de notar que nesse dia tinha metido o meu batom cor de rosa clarinho da Clinique, que custou nada menos que 32€, e ele ali a pedir-me para trocar de batom - FUCK!)

 

Estava eu a pensar nisto... quando o garçon chega com a garrafa de Rouge e pergunta se eu quero provar... respondi que não, que o Monsieur podia provar. Quando o garçon foi embora o Half ainda mandou para o ar "sabes que é a mulher que prova o vinho não sabes?". "sei, mas tu também sabias que não queria tinto e pediste na mesma". Ele não respondeu, mudou de assunto.

 

Nesse momento decidi que não estava ali o homem da minha vida. E que já o devia ter percebido desde o primeiro encontro. Mas gosto de ver até onde vai o ser humano, e sou pessoa de dar segundas oportunidades... Desta vez dei, mas ele não merecia.

 

Acabámos a noite no meu quarto, e foi muito bom. Mas eu sabia que ia ser a nossa última queca e por isso aproveitei ao máximo. Gosto quando sei que não vou voltar a ver o gajo. Normalmente já sou desinibida, mas quando sei que não é para ser sério, atrevo-me mais a fazer pedidos estranhos. No final "não tens aí nada que se coma? estou cheio de fome"... "eu avisei que a tábua não enchia!" - dei-lhe um iogurte que ele comeu logo...

 

Na manhã seguinte eu tinha que ir trabalhar, ele ficou a dormir lá em casa. "Quando nos voltamos a ver?" perguntou. Eu respondi "sábado às 15h para dar uma voltinha no parque de Belleville?".

 

"Ah, ainda não sei, depois digo algo..." - este moço é incapaz de assumir um compromisso com antecedência. É sempre tudo à última da hora. Não suporto, e não mostra empenho nenhum.

 

Sexta à noite e ele ainda sem confirmar nada. Recebo mensagem às 22h da noite "olha estou a beber uns copos com um amigo na tua zona, se não acabar muito tarde posso ir aí ter contigo?"

 

PFFFFFFF.... É que nem que ele tivesse pintado de ouro eu ia aceitar ser uma booty call! Never! Nunca! Jamé!

 

"Olha desculpa mas estou cansada e tenho a minha meditação para fazer... vemo-nos amanhã às 15h em Belleville?"... Silêncio... nem uma resposta.

 

No dia seguinte fui à minha aula de Yoga, que é ao lado do parque de Belleville... o Yoga acabou às 14h30. Fui passear no parque, plena, serena, tranquila. Estava um céu azul espectacular, mas frio com'ós cornos. Às 15h10 mandei mensagem "morreste?"

 

Continuei o meu passeio, depois voltei para casa. As 16h23 recebo mensagem: "sim, morri, ontem bebi demais e só acordei agora."

 

"d'accord" respondi.

 

Até terça não recebi mais nada dele. Depois, nessa noite, perguntou quando nos voltávamos a ver... respondi que tinha pensado muito e que não queria voltar a vê-lo... "desejo-te uma boa continuação", terminei assim a mensagem que lhe mandei.

 

A resposta dele "ah então és assim? quando as coisas não correm como queres, desistes de tudo? por um lado talvez não seja má ideia ficarmos por aqui, vê-se que és o tipo de mulher que cria conflitos por tudo e por nada"...

 

Não respondi.

 

...

...

...

...

...

 

Bendito Rosé! Va de retro Satanás!

 

Este gajo é tóxico! E estou feliz e contente de me ter apercebido a tempo! E foi assim que acabou esta história do Half-french, um gajo que tem claramente problemas de auto-estima e que é, muito provavelmente, um narcissista, como o meu EX.

 

Obrigada a todos que, por aqui ou pelo Instagram, ou Whatsapp, me ajudaram a abrir os olhos! Apaguei as apps todas. Estou em fase de detox, a pensar só em mim. E que bem que tenho estado 

 

Beijo na bunda! 

11
Set19

Desperdício de maquilhagem...

Ontem tinha uma espécie de date com o Tuga. Íamos ver o jogo de Portugal juntos num tasco que não sei bem onde era... Armei-me em difícil e disse que só podia ir ver a 2a parte (a verdade é que estava a trabalhar até tarde mas não lhe queria dizer porque não quero que pense que o trabalho é a minha prioridade)... Acabei e maquilhei-me toda na casa de banho do work antes de sair... Quando já estava no metro ele cancela, alegando cansaço... A minha cara ainda nem estava besuntada há 5 minutos e já estava a levar com uma tampa!

 

Foda-se, pensei. Se ele me tivesse avisado antes escusava de ter desperdiçado cêntimos sagrados na minha cara, é que usei aquela base da Dior que me custou un balúrdio.

 

Sinceramente, não se faz. Estes homens não percebem a logística que é ser-se mulher e o preço que custam estas traquitanas todas para barrar na cara. 

 

 

* antes que digam que não me devia ter maquilhado "só para ele", eu também sou feminista malta. Eu maquilho-me porque gosto de sair à noite a sentir-me poderosa! E a maquilhagem dá-me essa confiança à noite que uma cara lavada só me dá para ir a uma aula de Yoga ou ao ginásio. Nunca iria com a base Dior para o Yoga, ó-be-vio! por isso deslarguem-me. 

12
Jun19

Updates dos dates.

O Panda morreu. Isso já vocês sabem... Por isso é assim meus caros, esta vida não tem sido para fracos. Já dizia o outro "a vida é dura para quem é mole", e eu andei 4 anos e meio a ser mole. Morar numa cidade desta dimensão aumenta a velocidade da vida a 200% e eu ainda nem sei a quantas ando. 

 

Digamos que na sexta-feira tive o tal date com o Momô de que vos falei aqui. Bistrot parisiense... mesinha e cadeirinhas típicas... pedi um rosé... vinho e mais vinho! Nunca bebi tanto vinho como o que tenho bebido nesta cidade... adoro esta vibe de Paris! Ando basicamente bêbada 4 dias por semana   mas talvez isto acalme com o tempo... a ver vamos. Voltando ao date, foi muito giro e tal, o moço tem boa conversa e é alto gato.

 

bistrot paris.jpg

 

Imaginem um moço bronzeado, olhos verdes,  barba de 3 dias, nariz partido (que em vez de o deixar com a cara desfigurada só acrescentou charme), roupa de trabalho, como quem diz camisa azul clara e uma calças vincadas, sapatinho envernizado... oh céus! Só o Deus-da-foda, e eu, sabemos o esforço sobre-humano que eu fiz para não lhe saltar para cima ali naquela mesa redonda minúscula... lembrem-se, aqui o Panda ainda estava vivo, e bem vivo!!! O que deixava a minha patarreca a pulsar de agonia cada vez que um jeitoso passava à minha frente... ninguém aguenta, aqui a oferta é diversificada e abundante. Paletes!!! ouçam o que vos digo! paletes de gajos a passar por mim na rua com aquele ar de quem se acha uma tablete da Milka prontinha a ser comida por mim!!!!

 

Era para ir ter com ele às 19h30, mas tive um imprevisto com o meu último doente e só consegui chegar 1hora depois!!! Eu pensava que ele não ia esperar tanto... mas esperou. Até mandou mensagem a dizer "demora o tempo que quiseres, eu e a minha cerveja - provavelmente vazia - estaremos aqui à tua espera".

 

Tão cavalheiro. Tão charmoso.

 

Acabei, eventualmente, por comparecer ao date. Toda desgrenhada de ter ido a andar depressa desde o trabalho para ir ter com ele... minto!!!! Eu fui é nas calmas como já me é tão característico... desgrenhada já é o meu estado natural com esta juba que trago na cabeça. Mas andar depressa??? never! jamé!

 

Cheguei, ficámos na converseta. No final sugeriu irmos comer, eu disse que não, que tinha comida em casa, depois ficámos a falar mais um bocado... e mais... e mais... entretanto ficou tarde, quem estava esgalgada de fome era eu e sugeri comermos algo rápido num sítio qualquer. Desta feita foi a vez dele de dizer que não, que já era tarde e que os colegas de casa se deitavam cedo e que ele precisava que eles lhe abrissem a porta porque está a morar com eles temporariamente e não tem chave...

 

Fomos para o metro. Ainda estivemos juntos na mesma carruagem durante 3 estações, quando chegou a minha estação ele despediu-se de mim com uma mão no ombro e dois beijos bem repenicados na cara. Fui embora, com um sorriso parvo na cara e aquela sensação de estar a andar em cima de nuvens. E aqui o Panda ainda estava vivo...

Bem-vindos ao meu diário, um lugar seguro onde podemos falar sobre tudo. Já comentaram hoje? Bisou, da vossa dESarrumada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D