Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

24
Out18

Ao telefone com a minha mãe #7

Lembram-se do furacão Leslie, certo? O maroto, depois de passar em Portugal, veio fazer uma visitinha a França, com algumas inundações, destruições, feridos e outras coisas mázinhas que só um furacão sabe fazer.

 

Estava a falar com a minha mãe ao telefone sobre os estragos que o Leslie provocou no sul de França e ela sai-se com isto:

 

Mãe: Oh, fiquei triste por não ter sabido com mais antecedência que o furacão Leslie ia passar em França.

Eu: Então porquê mãe?

Mãe: Se soubesse tinha-lhe dado um Queijo da Serra para ele te entregar!

Eu:  

 

dESarrumada,

a ficar sem resposta desde 1991

 

 

 

 

 

Outros telefonemas épicos:

#1 A segurar a vela

#2 O panaché 

3# O estetoscópio 

4# O botão 

5# O cavalo manco

6# Isto é tudo muito bonito

 

 

 

Beijo na bunda! 

 

21
Set18

Ao telefone com a minha mãe #6

No domingo passado a minha mãe fez 50 anos. Um número tão redondinho merecia um carinho especial e por isso decidi enviar-lhe um postal todo XPTO com o relevo de uma estrela dourada na capa, umas linhas douradas e azuis todas fofas e chiques e uma frase linda e bem desenhada a dizer "Parabéns. És a minha estrela".

Escrevi sobre o quanto ela significa para mim e o quanto lhe agradeço ela estar nesta vida a aturar-me com muito amor e com taaaanta paciência.

 

Na terça-feira, quando finalmente o postal chegou lá - sim, faço de propósito para as minhas prendas chegarem depois da data porque sou um bocado supersticiosa e não quero desejar o aniversário antes - ela telefonou-me com a seguinte conversa:

 

Mãe: Ai filha que postal tão lindo! Gostei muito da mensagem que escreveste! Sinto-me mesmo uma mãe muito especial.

Eu: Obrigada, ainda bem que gostou. Eu só enviei uma estrela para outra estrela.

Mãe: Mas olha, o pai quando viu o postal disse que te queria falar... Vou passá-lo, espera aí.

... 

Pai: Estou!?! (diz ele aos gritos para ter a certeza que o som chega cá bem a França sem sequer precisar do telefone)

Eu: Estou pai? Que foi?

Pai: Olha isto é tudo muito bonito, a desejares os parabéns à tua mãe com um postal todo chique, mas enfiares lá dentro 50€ por ela te aturar tanto é que nada!

 

dESarrumada, 

a ser explorada desde 1991

 

 

 

Outros telefonemas épicos:

#1 A segurar a vela

#2 O panaché 

3# O estetoscópio 

4# O botão 

5# O cavalo manco

 

01
Jun18

Ao telefone com a minha mãe #5

A minha mãe teve-me a mim e ao meu irmão antes dos 23 anos... Por isso, às vezes tenho direito a ouvir comentários do género "demoras tanto tempo a arrumar a casa, até parece que tens um rebanho de filhos a sujar tudo", "acordas tão tarde, eu na tua idade já te tinha a ti e ao teu irmão a acordarem-me às 7h da manhã para ver os bonecos" e tantas outras observações do género.

Eu não levo a sério e gozo com a situação, então a minha solteirice acabou por se tornar numa private joke entre mim e a minha mãe.

 

Hoje foi assim:

 

Mãe: Olha a tua amiga é que tem sorte em ter o namorado dela a ir buscá-la à saída do trabalho. Eu nunca tive nada disso do teu pai, e tu também não tens ninguém à tua espera quando sais do trabalho.

Eu: Oh mãe, deixe lá, o príncipe está a demorar a vir porque vai ser uma coisa do outro mundo. As melhores encomendas são sempre as que demoram mais a chegar.

Mãe: Eu acho que o teu príncipe deve vir montado num cavalo manco para estar a demorar tanto.

 

* respiro fundo e prossigo a conversa mudando de assunto *

 

Eu: Agora que o mano saiu aí de casa, vocês os dois deve ser só guardar dinheiro! Jasus!

Mãe: Estás a brincar? O teu pai disse que era este ano que ficávamos ricos e ainda não vi nada. Já estamos em Junho e a riqueza ainda não chegou.

Eu: Oh mãe deixe lá! Ela deve estar a caminho montada no mesmo cavalo manco que traz o meu futuro namorado!

 

 

dESarrumada,

a dizer as verdades desde 1991

 

 

 

 

 

 

03
Mar18

Ao telefone com a mãe v.2 #4

Se ainda não sabem, ficam a saber, os telefonemas com a minha mãe estão sempre na origem dos melhores posts aqui do blog. Não sei porquê, mas vocês adoram ver-me a "desesperar" com as conversas dos meus pais.

Desta vez foi, mais uma vez, sobre peso.

 

Mãe: Ai filha, eu e o teu pai bem tentamos fazer dieta, eu lá vou conseguindo comer menos, mas o teu pai continua a enfardar pães com manteiga todas as noites.

Eu: Ainda essa história dos pães? Deixem de comprar pão e fica resolvido.

Mãe: Eu bem queria, mas não dá. Se ele não comer pão todos os dias diz que fica com fome. 

Eu: Oh mãe, ainda estar com fome depois das refeições que vocês fazem, ao ponto de chegar a comer 3 pães com manteiga todas as noites não é normal, isso já é gula.

Mãe: E ainda por cima ele está tão gordo filha, as camisas todas já estão a deixar de lhe servir!

Eu: Diga-lhe que enquanto ele não emagrecer não há roupa nova para ninguém!

Mãe: Pois, eu bem tento dizer isso, mas ele não liga nada. Eu até já lhe disse que um dia fico cega por causa dele.

 

 

* fico boquiaberta com a mudança de assunto, mas, CORAJOSA, respirei fundo e resolvi continuar *

 

 

Eu: Mãe, fica cega?!? Como assim?

Mãe: Então, com aquelas camisas todas apertadas, eu já lhe disse, um dia vai saltar um botão e vazar-me uma vista!

 

 

 

 

dESarrumada,

a ouvir as maiores absurdidades desde 1991

 

 

 

24
Nov17

Ao telefone com a mãe v.2 #3

Meus caros, o momento que estou prestes a relatar foi surreal... sem mais delongas (respira fundo) 'bora!

 

Mãe: Olha, o pai hoje quis saber como estão os teus ovários. A ginecologista disse alguma coisa?

Eu: Sim, recebi uma carta dela, ela disse para voltar a fazer outra ecografia a seguir ao próximo ciclo menstrual.

 

* ouço a minha mãe do outro lado da linha a repetir isto ao meu pai *

 

Mãe: O pai deseja-te boa sorte e diz que espera que esteja tudo bem contigo. Cuida de ti.

Eu: Que querido em preocupar-se assim com os meus ovários, é um fofinho!

Mãe: Pois, com os teus preocupa-se, já com os meus não quer saber. Quando quero ir ao ginecologista queixa-se que é muito caro e diz-me que não preciso porque ele tem a certeza que está tudo bem.

Eu: Ai é? Não sabia que o pai agora é médico para saber que está tudo bem com os seus ovários...

Mãe: Ele diz que sim, que consegue ver que está tudo bem quando mete o estetoscópio dele lá dentro.

 

* tirem-me deste filme *

 

 

dESarrumada,

a ouvir coisas destas desde 1991

19
Nov17

Ao telefone com a mãe v.2 #2

Os meus pais estão os dois com excesso de peso. E por mais que eu diga para perderem peso eles não caem na real. Faltam-lhes muitas noções básicas de nutrição e saúde, e por mais que tente não consigo instruí-los minimamente neste assunto... Dizem que o pior cego é aquele que não quer ver... isto é um bom exemplo disso.

Para além disso, zangam-se as comadres e descobrem-se as verdades... (Só para perceberem bem a história dou outro detalhe: a minha mãe tem muito o hábito de fritar rissóis de camarão como entrada para o jantar).

 

Eu: Oh mãe, mas essa tensão arterial é muito alta, você e o pai têm que emagrecer urgentemente!

Mãe: Pois, o teu pai está sempre a dizer que a culpa de ele ter engordado foi termos acabado com as caminhadas de Verão. Mas sabes, quando fazíamos as caminhadas só emagrecemos os dois 100 gramas o Verão todo. Ele chegava a casa e enfardava todos os dias um papo-seco com manteiga e uma cerveja.

Eu: Então e a mãe, porque não emagreceu?

Mãe: Oh, eu ficava a olhar para ele a reclamar, enquanto comia o resto dos rissóis do jantar... 

Eu: Oh mãe, você reclama do pai, mas também come asneiras depois de jantar!

Mãe: Pois, eu reclamo porque ele mete-se ali a emborcar cerveja e nem um panaché me faz...

 

 

dESarrumada,

a ouvir as maiores incongruências desde 1991

 

11
Set17

Ao telefone com a mãe v.2 #1

Decidi ressuscitar esta rubrica onde escrevo sobre as conversas que tenho com a minha mãe ao telefone! Tenho tantas pérolas para meter aqui que não posso dar-me ao luxo de isto cair no esquecimento. Falar com a mãe todos os dias ao telefone só podia dar nisto! Apresento-vos portanto a versão 2 desta rubrica que me dá tanto prazer escrever!

 

Já passava da hora habitual da minha mãe me ligar e decidi ligar eu do meu fixo para o fixo lá de casa. Atende o meu irmão:

 

Irmão: Olá, acabei de chegar do trabalho. Os pais não estão cá, estão num comício do [partido político qualquer], queres ligar mais tarde?

Eu: Diz à mãe para quando chegar me ligar, então. Ah espera, ela está a ligar-me para o telemóvel. Vou atender, espera aí que eu vou meter-te em altifalante.

*atendo telemóvel*

Eu: Olá mãe, tudo bem? Estava a falar com o mano no telefone de casa. 

Mãe: Ah ele já está em casa?? Passa aí o telefone.

 

Eis que acontece a cena mais caricata do meu dia, meti o telefone e o telemóvel os dois frente a frente em altifalante, enquanto a minha mãe dizia ao meu irmão que a carne de porco estava no frigorífico e que ele só tinha que meter tudo no microondas porque eles iam ficar a comer lá no comício.

Ou seja, não falei nada nem com um nem com o outro. Fui só o intermediário!



dESarrumada,
a "segurar a vela" desde 1991

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Desarrumações antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D