Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

24
Set19

Opção C "o Mal-Cheiroso" aka outro post do qual não me orgulho.

No dia 8 de Julho escrevi um post do qual não me orgulho. Era sobre o Gui. Entretanto apercebi-me que não contei por aqui como acabou a história com ele, e vou já remediar essa situação. Também me tenho apercebido, que às vezes começo assuntos aqui no blog, que não acabo... por isso, assumo aqui a missão de ler todos os posts dos últimos 2 anos, e proporcionar uma closure a certos assuntos.

 

Esta closure é tanto para mim, como para vocês - às vezes algumas alminhas desarrumadas mais atentas ao blog perguntam-me, através do email ou no Instagram, como acabou determinada história - e é aí que me apercebo que não é correcto deixar de dar novidades sobre determinado assunto de um dia para o outro.

 

Por isso hoje venho falar sobre o Gui.

 

O Gui era simpático... mas tinha um defeito, aliás dois. Um é mais fútil do que o outro, mas ambos são extremamente importantes para mim. 

 

Defeito nº 1) fala pouco! 

Sinceramente, não suporto estar com alguém que só ouve e pouco fala... eu sou alguém que fala muito de si própria - sim, já me apontaram este defeito e ando a tentar mudar - mas sei que, para equilibrar a coisa, preciso de estar com alguém que também fale muito sobre si próprio, sem que eu esteja propriamente sempre a fazer perguntas... uma vez disse-lhe que não sabia se tinha irmãos, ele respondeu "nunca me perguntaste"... *facepalm*

Se eu falo do meu irmão espontaneamente, acho normal a outra pessoa falar sobre os seus... não quero estar sempre a perguntar coisas sobre a outra pessoa, até porque tenho noção que, quando tenho confianca com alguém, essa pessoa vai saber tudo sobre mim, sem sequer ter que perguntar. Sou muito open nas minhas partilhas pessoais... talvez demasiado. Mas pronto, foi algo que me incomodou neste rapaz.

Saímos durante quase 2 meses, começamos a dormir juntos no 4º encontro, e desde aí, sempre que saíamos havia sexo... mas eu estava sempre com o mindset de "somos só sex friends" até que houve um dia que ele me convidou para ir a casa dele ver um filme, eu respondi "num vai dar, estou com o período". E foi aí que a nossa história de amigos com benefícios atingiu o limite da sua data de validade.

 

Ele respondeu:

 

E depois? Podemos mesmo SÓ ver o filme.

 

E pumbas... de um momento para o outro senti-me o gajo da relação, a mazona que tem que acabar com tudo porque o outro começa a querer mais... já passei por isto várias vezes, porque normalmente sou sempre eu que quero mais e o rapaz não está nem aí para histórias românticas.

 

Mas com este rapaz não dava mesmo para continuar... porque para além de estar sempre mudo, havia outra coisa.

 

Defeito nº2 ) cheirava mal da boca... e "lá em baixo"

 

questionário.jpeg

 

Pois é meus caros, o Gui é o gajo da opção C, e ganhou a alcunha aqui no blog de Mal-Cheiroso... e daqui em diante, será tratado por este nome...

 

Se há coisa que não suporto é pessoas com má higiene oral, passo-me se alguém chega a um encontro a cheirar mal da boca! Opah, se nos encontramos depois de um dia de trabalho e há aquele cheiro típico de quem ainda não lanchou e está "em jejum" há algumas horas, tudo bem, normalmente depois de comer a coisa passa. Mas com ele não era assim! Com ele nunca passava! E mais tarde descobri porquê!

 

Durante os dois meses que saímos, fui várias vezes a casa dele. E a escova de dentes dele estava sempre imaculada no mesmo sítio, nunca a trocou, e ela não apresentava um único sinal de utilização. Eu bem fiz tudo para que ele percebesse a mensagem:

levei a minha escova de dentes sempre que ia vê-lo

dizia "vou lavar os dentes" de uma forma um bocadinho sugestiva, como quem diz: vem comigo

quando era em minha casa perguntava-lhe se tinha trazido a escova de dentes

e uma vez em casa dele - mesmo antes de mandar tudo ao ar - perguntei directamente se ele não ia lavar os dentes? a resposta dele: estou com preguiça.

e não, nunca o vi lavar os dentes, nem à noite, nem de manhã. Levantava-se e ia trabalhar tal e qual como acordou. Nem a cara o vi lavar... nem um banho o vi tomar...

 

Com o avançar do tempo apercebi-me que a palavra higiene, era algo que não constava no dicionário do Gui-Mal-Cheiroso. Quando houve aquelas duas vagas de calor extremo em Paris, durante a segunda, eu fui a casa dele para pinarmos, tomei banho na banheira dele, fiz-lhe alta lap dance  ainda com o cabelo a escorrer, com direito a música e tudo, e na hora do sexo oral, apercebi-me que ele não tinha tomado banho antes de eu chegar! E saber que ele já estava em casa há 3 horas!!!! E que recusou tomar banho comigo!!! (tentativa frustada de o levar a tomar banho antes do pinanço...) Fiquei enojada, tentei ao máximo evitar de meter a boca ali... peguei num preservativo e foi o que me safou. Mas não me safou de lamber as zonas anexas ao pirilau, que também estavam com um cheiro a bedum do pior. 

 

Mas jurei que nunca mais punha a boca naquele rapaz. E cumpri.

 

Homens deste mundo, se sabem que vão foder no final de um dia de trabalho, o mínimo que podem fazer é TOMAR UM BANHO. Eu faço-o sempre! Quem não o faz... que merda de desrespeito para com a outra pessoa é esse?

 

E foi assim a história do Mal-Cheiroso. Entretanto comecei a evitá-lo. Sempre que ele me convidava para fazer algo eu fingia estar sempre ocupada. Até que ele me perguntou directamente se o andava a evitar, e confessou estar interessado em mim para algo mais... eu disse que não o andava a evitar, mas marquei encontro com ele no Sacré Coeur para falarmos sobre a parte de ele querer algo mais.

 

Tudo acabou onde começou. Deitados na relva, eu recusei-me a beijá-lo... não sei se já vos aconteceu, quando não querem ver mais uma pessoa, o simples facto de sentirem a sua presença vos provoca repulsa... neste caso havia essa sensação de repulsa por não estar interessada, e a sensação de repulsa devido ao cheiro da boca dele... disse-lhe as tangas do costume que as pessoas dizem quando querem acabar por outros motivos, todos, excepto aqueles que se verbalizam. Tangas que também já ouvi vezes e vezes sem conta, e que hoje sei que não queriam dizer exactamente coisa nenhuma:

 

Não estou pronta para uma relação.

Tu és fantástico mas o problema sou eu.

Se estivesse mais disponível para uma relação era contigo que estaria.

És especial e vais encontrar alguém que te mereça.

 

Mesmo assim, fiquei triste com esta situação. Mas passou-me rápido. Admito, estava a ser complicado ficar a menos de 1 metro deste rapaz... Parece que quando vejo um defeito em alguém, depois já só consigo ver esse defeito... E com muita pena minha, porque na verdade estou mais do que pronta para ter uma relação séria, com este rapaz, não deu para continuar.

 

Já vos aconteceu descartarem alguém devido aos seus odores corporais?

 

Beijo na bunda! 

 

 

Ps: este post faz parte do movimento #sexosemculpa. Posso não me orgulhar de certas situações que vivi, mas arrepender-me? NUNCA. 

05
Set19

Estimulação anal masculina e o dia em que penetrei um homem.

Lembram-se deste questionário? Pois bem, ganhou a resposta a). Basicamente as opções foram votadas pela ordem em que estão, por isso vou contar e postar nessa ordem. Sei que já andam à espera há muito tempo, mas ainda continuo naquela vida de metro - trabalho - metro - casa. Apesar de já estar mais folgada e de já conseguir ter tempo para me masturbar de vez em quando, o blog tem andado ao ritmo que Deus quer. O importante é haver saudínha.

 

Então vamos lá saber como é que aqui a vossa querida dESarrumada penetrou um homem pela primeira vez??? Vamos pois!

 

Ele chama-se Carpete. Conheci-o pelo Tinder (whatelse? esta app foi a patrocinadora das minhas melhores quecas neste último ano. Não sei como é que ainda não me ofereceram de bandeja um contrato de parceria milionário às custas da publicidade que lhes faço aqui, GRATUITAMENTE! mas isso são outros quinhentos... RESSABIADA, eu??? Nunca! *emoji a revirar os olhos*)

 

Depois do Cachalote, do Cacahuètes, e de outros tantos, que ainda não contei aqui a história porque fui preguiçosa, mas que também tinham nomes muito giros, tais como Deliciosa, Motoqueiro, Mal Cheiroso, Brasileiro... chegou a vez do Carpete!!! E porque é que o moço foi baptizado com este apelido tão fofo? Porque está revestido de pêlos da cabeça aos pés. Li-te-ral-men-te! 

 

Se há coisa que não me incomoda nada, é pêlos. Quantos mais melhor. Sobretudo se o gajo for todo bem feitinho como o Carpete. Ele é ginásio todos os dias, ele é jejum intermitente, num daqueles protocolos mesmo hardcore em que só pode comer numa janela de 4 horas diárias, ele é barbeiro todas as semanas para ter a barba perfeitamente aparada ao mílimetro, qual gajo bom do Instagram na hashtag #beardedman. Digamos que o moço leva a sua aparência física muito a sério. E o seu ego. Mas isso já são outras histórias... afinal, meus caros, só estamos aqui para falar de sexo! sentimentos e merdas do género...? ninguém-quer-saber! N'est-ce pas???

 

Mal começámos a falar no Tinder ele perguntou-me se o Super Like que lhe dei foi de propósito ou se o dedo me escorregou... eu disse que foi de propósito! Acreditem ou não, só dei um Super Like na vida, e foi ao Carpete... mesmo com aquela intenção de "epahhhh... este gajo é o meu estilo da cabeça aos pés... vou comê-lo."

 

Escusado será dizer, que comi. E bem 

 

 

No início, começámos a falar de sexo, tipo, logo. A primeira coisa que ele me disse é que é um homem de mente aberta. Eu perguntei se era só a mente que era aberta, ele mandou logo um pisquinho de olho... para bom entendedor, meia palavra basta! E aqui a vossa dESarrumada já não é uma virgenzinha inocente, já começa a perceber umas coisas na arte do sexo...

 

No primeiro date só falámos sobre sexo... apesar de ter pensado em tentar algo mais "profundo" emocionalmente com este moço, o facto de só falarmos deste assunto, e de ele ser 3 anos mais novo, levou-me a acreditar que daqui não ia sair nada sério. Mas pronto, "enquanto procuras o certo, diverte-te com os errados" foi o lema que se me aflorou à memória. E meti as minhas decisões de vida nas mãos de Deus e fui em frente... sem pensar duas vezes.

 

Meus caros, ao segundo date fomos para o meu estúdio de 12m2 porque ele é um recém-licenciado, a ganhar o salário mínimo, que não tem onde cair morto, e por isso mora num quarto numa casa com um casal de velhinhos, através de um daqueles programas de partilha de alojamento entre seniors e jovens em início de carreira. Eu não tenho muito espaço, mas ainda bem que não fomos para casa dos velhos porque, ao que parece são muito religiosos, e iam deitar as mãos ao céu ao ouvir a chinfrineira que nós fizemos a pinar.

 

Os preliminares foram qualquer coisa do outro mundo! Ele lambe bem... mesmo bem... e por todo o lado! Quando digo todo o lado, é mesmo TUDO! Já há muito tempo que não me lambiam o rabo, e que bem que soube...principalmente quando é bem feito. Tive 2 orgasmos só com esta brincadeira. Ainda bem que não estávamos na casa dos velhos. 

 

Quando eu já estava quentinha e bem a escorrer da cona, fodemos. Básico. Primeiro devagar para aquecer as máquinas ali em modo "voltinha no teleférico do zoológico de Lisboa" e depois cada vez mais rápido até chegarmos ao modo "animal da savana que não come há 1 semana".  Pumbas, mais 3 orgasmos... ele disse que nunca tinha conhecido uma mulher que conseguisse ter tantos orgasmos... nesta vamos dar-lhe o desconto equivalente à idade, ok? Ainda bem que não estávamos na casa dos velhos.

 

Depois foi a vez de eu o chupar e masturbar. Ele disse que preferia vir-se assim. Estive ali, quase a apanhar uma caimbrã nos músculos extensores da cervical e no músculo orbicular da boca, masseters e afins (pesquisem suas porcas, o Google serve para isso!) e ele não chegava lá... perguntei se queria que recorresse à arma secreta chamada "sou um homem de mente aberta... e não só", respondeu: "estava a ver que nunca mais perguntavas".

 

Comcei a lamber os amendoins e fui descendo... estava ali naquela parte entre os tomates e o ânus que, curiosamente, mesmo num gajo peludo, aquilo é o equivalente ao deserto do Sahara, nem um único pêlo... e cheirava bem. Pensei que, ao transpor este território outrora desconhecido para a minha boca e nariz, fosse ficar nauseada... mas muito pelo contrário... adorei o cheiro a rabo masculino. Ainda bem que ele não largou uma bufa como a do Triptofano. Eu teria ficado em pior estado que o gato da história... e a carecer de cuidados médicos intensivos, como os que quase tive que recorrer após entrar em contacto directo com o Cachalote.

 

Ao lamber o rabo do moço senti que ele estava a curtir milhões e comecei a passar um dedinho maroto na abertura do ânus... Ele disse que para além da língua, nunca ninguém ou nenhum objecto tinha trespassado os limites do seu esfíncter anal... "afinal não és assim tão aberto quanto isso!!", exclamei. O moço tinha-me mentido. Ele desculpou-se dizendo que não se pode revelar logo tudo de uma vez e que tem que se manter uma certa aura de mistério relativamente a certos assuntos... ou seja, um homem tem que parecer mais experiente do que aquilo que é. Vá-se lá perceber.

 

Continuei com o dedinho maroto enquanto lambia os colhões e fui deixando cair saliva, muita saliva, bastante saliva... chegou-se a um ponto em que o ânus do moço já estava mais escorregadio que o cu de um caracol! 

 

E eis que introduzi o meu polegar... que diga-se de passagem entrou mais facilmente no cu dele do que numa barra de manteiga deixada ao sol em pleno verão. Isto tudo enquanto com a mão esquerda o masturbava vigorosamente. Ainda bem que não estávamos na casa dos velhos.

 

Yah, eu sei que não estão habituados a contemplar este nível de eloquência por aqui. Mas deixem-me usar palavras como «vigorosamente» em paz.

 

Fiz uns quantos movimentos de vai-e-vem com o polegar virado para cima... mesmo ali em cima da prostata (a escolha deste dedo foi claramente propositada, porque atendendo à corpulência do moço, eu sabia que o polegar ia tocar ali directamente na dita cuja prostata sem muito esforço da minha parte...) E não é que ele se veio logo? Ejaculou imenso, e a mim deu-me um gozo imenso ver um gajo a contrair-se todo e a vir-se ali mesmo em frente aos meus olhos... Ainda bem que não estávamos na casa dos velhos.

 

"Fogo, que foi isto? Nem consegui controlar o orgasmo. Parecia que me estava  a vir pelo cu." disse-me ele. 

 

"Meu caro, acabaste de ter o teu primeiro orgasmo pela prostata". disse-lhe eu, com uma pontinha de orgulho que mal conseguia esconder.

 

Ele sorriu, e agradeceu. Gosto destes gajos que agradecem... mas ando a considerar começar a cobrar uns trocos por estas coisas que tenho feito gratuitamente... ao menos não ficava rica com a minha profissão, porque já se sabe que enveredar pela área da saúde é, na maior parte das vezes, por amor à camisola, mas ficava rica a usar os meus conhecimentos anatómicos para dar prazer a homens (e mulheres vá, não fiquem invejosas, que eu chego para tod@s).

 

Estou a brincar, malta. Não venham cá com comentários de haters a chamar-me de pêga. Deslarguem-me!  #sexosemculpa

 

Por isso é oficial... aqui a vossa boss tirou a virgindade anal a um gajo!  E que tal? Homens que lêem este blog, já tiveram a vossa estimulação anal do dia???... se ainda não, de que estão à espera???

 

 

Beijo na bunda! 

 

 

E digam lá... foram pesquisar a hashtag #beardedman no instagram não foram, seus badalhocos?

 

 

20
Ago19

Pode uma mulher falar abertamente sobre sexo na internet?

Olá desarrumados da minha vida, este post é um apelo a todos vós!

 

Chegou o momento de deitar tudo cá para fora... pre-pa-ra!

 

sexo_internet_blog.jpg

 

Na internet e na vida, até mesmo na minha profissão, tenho poucos tabus quando abordo o assunto da sexualidade. Mas hoje, vou abordar a minha relação com o blog e o porquê de estar mais afastada. Recentemente tive uma crise nos stories do Instagram, mas como sei que muita malta não tem Instagram - fazem bem porque aquela merda é muito viciante - vou partilhar tudo aqui.

 

Criei o blog em 2015. E desde o início dos inícios daqueles tempos, o blog sempre foi pautado de muito humor, muita javardice, e alguns momentos mais tristes à mistura. Esta porra é o MEU diário, por isso meto aqui o que me vai na real gana. E entre a multitude de assuntos que abordo, um deles é: a minha vida sexual.

 

Nunca, mas nunca, tive problemas em contar aqui detalhes das minhas relações, vitórias e falhanços pessoais... mesmo sabendo que isso me torna vulnerável aos olhos de muita gente.

 

Neste último ano que passou, estando solteira, decidi explorar mais a minha sexualidade, estou no meu direito, e isso acaba por trazer mais conteúdo ao blog nesse sentido. No entanto, algumas alminhas não contentes com a minha exploração sexual PESSOAL decidiram começar a achincalhar aqui o barraco, e a minha pessoa. Ya, ya, já estou a ouvir alguns velhos do Restelo a dizer: se não queres que te chateiem, não fales sobre isso. Mas aí é que está o ponto fulcral da questão: eu quero falar sobre o que bem me apetecer no meu blog! Porque tenho esse direito!!!

 

Vamos detalhar um bocadinho mais esta merda?

 

Vamos, pois!

 

Acontece que, o que outrora era um ou outro gato pingado a querer saber mais sobre a minha vida, ou a fazer questões mais pessoais, ou até mesmo, aconteceu-me de adicionar alguns leitores masculinos nas minhas redes sociais pessoais... isto acabou por, pouco a pouco, mas principalmente desde janeiro deste ano, se transformar num desfilar de tarados e haters nos comentários aqui do blog, nos mails e nas mensagens do Instagram.

 

Vou partilhar algumas das coisas que me têm dito, não para que tenham pena de mim, mas porque andei a engolir muita coisa, sem nunca falar no assunto, e essa opressão levou a que quase desistisse do blog. Hoje partilho eu o assédio que sofri, mas a minha partilha do fim-de-semana no Instagram, levou a que várias mulheres tenham vindo falar comigo sobre experiências que também viveram. E é essa partilha que quero começar a ver mais aqui no blog e nas redes sociais! Se a minha experiência servir para isso, então estamos um passo mais perto de lutar contra a sociedade patriarcal que nos tenta culpar, mulheres, por termos uma sexualidade aberta e sem culpas.

 

Afinal, quantos mais homens conheço mais me apercebo que: chegámos a um ponto em que nesta sociedade os homens querem uma mulher à sua disposição, submissa, pronta a fazer tudo que desejam, porque "hey, feminismo é isso mesmo, power to my vagina! fode quanto quiseres minha linda" mas... se essa mesma mulher, admitir que gosta de sexo, e que é ela que o procura, sendo ela que provoca os encontros "hey... mas qué isto? uma mulher que faz sexo porque gosta e não porque os homens querem? num pode, vamos atirá-la aos leões!".

 

É isto que me mói o juízo. As mesmas pessoas que me dizem nos comentários que sou uma puta por gostar de sexo, são os mesmos que me criticam quando recuso educadamente os seus avanços.

 

Mais uma vez, na cabeça de alguns homens tudo se resume a: "uma mulher pode gostar de sexo desde que eu queira fazer sexo com ela".

 

Algumas pérolas que já me disseram:

 

"ansioso para te dar a provar o meu caralho" - dito por um homem que nunca me viu na vida.

 

"a próxima vez que vieres a Portugal vou buscar-te ao aeroporto" - dito por um homem que nunca me viu na vida, casado.

 

"por acaso não queres ter uma aventura comigo?" - este até foi educado, mas num bai dar.

 

"já te masturbaste hoje?" - hmm... não tens nada a ver com isso?

 

"pelo que leio no teu blog deves ser muito melhor na cama do que a minha namorada / esposa" - sem comentários.

 

"à velocidade que dás o rabo não admira que tenhas problemas emocionais" 

 

"o teu namorado não te ligava nenhuma porque destravada como és tinha receio de levar um par de cornos"

 

"os teus pais devem estar orgulhosos da filha que têm" - dito num tom irónico claro está.

 

(e mais alguns que assim de repente não me estou a lembrar...)

 

Queria só deixar aqui umas coisinhas bem esclarecidas:

 

1. Se uma mulher dorme com homens que acabou de conhecer numa aplicação de encontros, isso não significa que vai abrir as pernas mal esteja contigo. CONSENTIMENTO.

 

2. Só porque uma mulher fala de sexo abertamente isso não te dá o direito de substituíres o teu "Olá, tudo bem?" por um "quero dar-te o meu caralho a provar". CONSENTIMENTO.

 

3. Se és casado e não estás satisfeito com a tua vida sexual, não recorras a desconhecidas na internet para te valorizarem o ego. Fala com a tua esposa sobre o assunto. RESPEITO.

 

4. Só porque uma mulher fala abertamente sobre a sua sexualidade, isso não te dá o direito de, com os teus juízos de valor, frutos do teu contexto bio-psico-social, julgares as suas escolhas ou tentares infligir uma qualquer espécie de culpa nessa mulher. Resolve os teus problemas, revê as tuas crenças. Segue a tua vida como TU queres e deixa-a viver a vida dela como ELA quer. RESPEITO.

 

Este post tem como único objectivo lançar um movimento! Dizer a todas as mulheres que:

podem falar sobre sexo,

podem gostar de sexo,

podem ter uma libido mais elevada que o vosso homem

 

não há nada de errado nisso! 

 

#sexosemculpa é o nome do movimento!

 

Podem usar nos posts em que falem sobre sexo. Ou não! Acima de tudo, falar ou não sobre sexo, permanece uma escolha! E quem escolhe fazê-lo não devia sentir-se culpada, ou melindrada pelos leitores ao ponto de quase desistir de o fazer.

 

Algumas meninas aqui na comunidade do Sapo já o fazem, e muito bem!

 

Mia

 

Para sempre Totó
que sem saber já começou o movimento #sexosemculpa AQUI

Obrigada

 

Bla Bla Bla

 

Se conhecerem outras mulheres que já abriram o jogo, digam nos comentários. Se tiverem testemunhos que queiram partilhar comentem aqui ou enviem para o email adesarrumada@sapo.pt

 

Vamos começar este movimento?

 

Beijo na bunda! 
Sem culpa 

 

 

 

 

Se gostam do blog partilhem com os amigos, se não gostam partilhem com as inimigas... E já sabem, há muita conversa interessante a contecer no instagram! Sigam a página por lá pesquisando por adesarrumada

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D