Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

13
Dez16

Quando fazer aquilo numa relação?

Quem me segue desde o início sabe que antes era uma fresca do pior, não ligava muito aos sentimentos e queria era aproveitar a vida... depois caí nesta coisa de ter "sentimentos" e a coisa foi-se por água abaixo. Até os meus posts no blog perderam aquele "calor" tão característico, mas pronto, entre alguns seguidores a menos, houve outros que chegaram e que se identificam mais com o meu novo eu. Nem tudo foi negativo.


Acabei com o plutónio-man no dia em que me apercebi que "se é QUASE amor, então NÃO é amor". É verdade que o sexo era fantástico, mas faltava o resto, TODO o resto. Na cama não havia romantismo, não havia beijos durante o acto e quase que não havia no fim, aliás, aquele moço só conhecia o acto de beijar como algo que precede directamente o sexo.


Por tudo isto é que sempre me arrependi de ter feito com ele assim logo no início, sem ver no que a relação poderia dar, sem me aperceber que ele só mantinha a relação por motivos de ego... na altura pensava que ele só me queria para sexo, talvez não fosse só isso, porque a coisa até ia aguentando apesar da distância, mas também acho que se não fosse a distância, não tinha aguentado tanto tempo...


A verdade é que dizer que não ao sexo numa fase inicial da relação é algo que para mim continua bastante difícil... já sabem que estou numa relação nova há cerca de uma semana, e sinceramente, não consegui resistir a dormir com ele no primeiro dia... por razões completamente diferentes, não porque achei que o sexo com ele fosse ser algo de bombástico ou porque estivesse com imensa fome, não, estive com ele porque o dia foi perfeito, foi super romântico, e à noite, como não poderia esperar outra coisa, o ambiente propiciou a que acontecesse...


Só de pensar fico arrepiada... os beijos que ele dá, a forma como me toca, a sensação de estarmos juntos e sermos um só corpo. Admito que nunca senti isto assim, nunca senti isto desta forma. Senti que o que estávamos a fazer ia muito para além do corpo. Se antes sabia o que era ter um orgasmo físico, agora acho que sei o que é ter um orgasmo espiritual... e se foi assim na primeira vez, como será nas próximas?


Posso estar enganada, mas se este rapaz não for o TAL não sei quem poderá ser. Estou esperançosa e ansiosa para ver o que o futuro reserva. Os momentos que vivemos, apesar de curtos, foram intensos, e esses já ninguém mos tira. Se Lisboa antes não significava nada para mim, agora aquelas ruas ganharam todo um significado que nunca esquecerei.


E nunca pensei que este tipo de ligação tão mágica fosse acontecer com um amigo de infância, um rapaz ao qual dei o meu primeiro beijo quando tinha uns 5 anos.


Quem diria que a vida dá voltas e voltas, e às vezes a felicidade está ao lado de quem sempre esteve lá? Dê no que der esta relação, já valeu a pena estar lá e ter feito este "desvio" na minha vida para o conhecer melhor e lhe dar a oportunidade de me "conquistar", como ele diz. 


A oportunidade está mais do que dada. Estou rendida. 


 

43 comentários

Comentar post

Pág. 1/5

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D