Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

10
Dez17

Quando a personagem principal do teu blog morre.

Eu sei que é o 3º post no mesmo dia, dia de arrumações dá nisto, é pena é só me dar destas coisas ao Domingo, quando ninguém está a ler. Prometo que paro de vos chatear em breve. Preciso só de tirar algo do peito aqui num instantinho. Estive a ler alguns posts do meu blog antigo e gostei do que li. Posts divertidos, com ironia, sarcasmo, tudo de bom, portanto. A dESarrumada começou como uma personagem que criei para o blog. Ela era javarda, sarcástica, irónica, sem papas na língua, uma sem vergonha, doida varrida, a melhor amiga que se podia ter numa altura tão difícil para mim. E eu adorava sentar-me em frente ao computador, numa altura em que não tinha amigos nenhuns aqui, deitar abaixo todos os filtros e escrever assim, sem pensar duas vezes em chocar-me ou chocar os outros.

 

 

Ainda me lembro do mítico post lá no início de 2015 em que falei de ter sexo com o período e fiz um apelo aos homens corajosos, os "navegadores do mar vermelho", como eu lhes chamei. E tantos e tantos episódios de caganeira que eu descrevi aqui no blog. Muitos mesmo. Ou quando descrevi as minhas sessões de masturbação a solo. Bons velhos tempos que recordo com carinho, malta. Não sei se ainda há alguém aí dessa época. Se estiverem aí acusem-se! Muitas das expressões da época ficaram na minha memória, e quando penso no que isto de "ser blogger" representa, é nessa época que penso, quando me divertia à brava a escrever deitando abaixo os meus tabus ao mesmo tempo. Foi uma parte muito importante do meu desenvolvimento enquanto pessoa, embora para quem lesse do exterior aquilo parecesse uma mixórdia de temas e posts parvos. A dESarrumada foi uma amiga para mim. Ela ajudou-me a enfrentar os primeiros 2 anos em França e a esquecer o meu ex-namorado, ela foi mais do que terapia, foi através dela que exorcizei os meus medos e que deitei tudo cá para fora. Com ela passei bons momentos, fiz posts literalmente a partir a rir, com lágrimas que caíam no teclado a cada palavra, como por exemplo aqueles em que falava do porno visto pelos olhos de uma mulher, e depois fiz outros posts regados com um tipo de choro diferente, um choro de saudade, um choro de "que merda fui eu fazer à minha vida?". Ela ajudou-me mais do que aquilo que alguma vez vou conseguir agradecer-lhe.

 

 

No entanto, sinto que já não consigo escrever assim, sinto que preciso de começar tudo outra vez, com "outra identidade" aqui neste mundo dos blogs. Não desgosto dos posts que escrevo agora, sinto é que estou numa fase em que amadureço a ideia de criar um blog mais profissional na minha cabeça, e manter este blog mais descontraído tem-me feito bem para espairecer, no entanto acho que antes a minha escrita era mais leve, divertia-me mais com isto. A impressão que tenho quando leio este blog e o antigo é a de ler duas pessoas diferentes, sendo que a primeira é mais divertida e esta deste blog mais "realista", acho. Se calhar não devia ter começado vários blogs, devia ter continuado com o 1º, assim talvez não achasse a escrita tão diferente. O "problema" é que tinha lá muuuuuitos relatos da minha vida sexual da altura e tive receio de ser "descoberta" por alguém conhecido... não sei se já fui descoberta ou não, mas esses posts já não estão visíveis e isso de certa forma reconforta-me, no entanto há toda uma essência deste alter-ego que é para mim a dESarrumada, que foi embora com esses posts. Posts onde escrevia sobre literalmente tudo, sem medos nem vergonhas, como já disse em cima. Agora tenho um pouco de vergonha de dizer certas coisas, admito, daí achar que a essência da dESarrumada se foi, para dar origem a um blog da pessoa real que eu sou. A pessoa da vida real entrou aos pouquinhos no blog e, infelizmente, a personagem que criei foi desaparecendo.

 

 

Num ponto qualquer desta minha vida de blogger abandonei aos poucos a personagem e fiquei só eu. A dESarrumada morreu.

 

 

Sinto que não sou a única a quem isso acontece. Já segui vários blogs que começaram com uma personagem e que vão perdendo a sua essência ao longo do tempo. Alguns continuam e assumem o seu EU real no blog continuando com a sua vidinha na blogosfera. E depois há os outros como eu, os eternos insatisfeitos, os que preferem acabar com tudo do que continuar com um blog que não cumpre a função para a qual nasceu. Já vi bloggers deixarem de escrever de um dia para o outro. Pensei nisso. Mas não consigo fazer isso com os poucos leitores que ainda ficaram... sim, porque aqui o blog perdeu muito em visualizações quando deixei de falar de sexo regularmente. Entretanto, claro, outros leitores chegaram, leitores mais reais, que conhecem o meu EU mais real, e são pessoas de quem eu gosto imenso, pessoas de quem me imagino a ser amiga na vida real, pessoas com quem me imagino a ir tomar cafés. Mas nunca dei nenhum passo nesse sentido, porque este blog era e será sempre para a dESarrumada, e não para mim. Sinto que me apropriei de algo que não era meu. Era dela. E ela já não está aqui. Cumpriu bem a sua função de me ajudar a ultrapassar tudo o que tinha para ultrapassar, mas foi embora, e sinto muito por ela, porque apesar de todos os esforços, não consegui resgatá-la.

 

Façamos o luto da sua alma de badalhoca destemida. E esperemos que um dia ela volte numa manhã de nevoeiro, com o seu dildo de 25 centímetros na mão.

 

IMG_20150110_122817 (2).jpg

Eu na semana em que criei o blog, Janeiro de 2015.

 

17 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos aqui:

Follow

Desarrumações antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D