Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

13
Set18

Isto são fases, senhores.

[atenção, texto que pode conter triggers para pessoas ansiosas]

 

Hoje foi dia de consulta com a psicóloga. Acabei por lhe dizer que não me tenho sentido tanto com um aperto no peito como antigamente. Que me sinto melhor nesse aspecto, a vontade de chorar é menor. No entanto, disse-lhe que ando a sentir uma raiva constante, uma vontade de gritar com tudo e todos. Uma injustiça constante. Como se alguém me estivesse sempre a passar a perna. Isto de ter colegas infantis não ajuda... "se não tiver aquelas férias de Natal que quero despeço-me...", "ficar com estagiários é uma merda, porque é que aceitas isso?"... "dizes que sim a tudo, depois andas sempre a correr e não ganhas mais por isso."

 

Foda-se tu e as tuas merdas! Vai pó caralho e deixa-me estar! Quanto andaste a estudar também gostaste que alguém te tivesse recebido enquanto estagiária, não foi? Que mundo cão. Que bosta de gente, imbecilidade ao metro quadrado, só olham para o umbigo deles. Não sabem o que é fazer algo pelo prazer da fazer, pelo prazer de evoluir. Eu não preciso de ganhar mais para querer fazer mais no meu trabalho. Que mundo seria este se ninguém fizesse mais do que aquilo para que é pago? Como poderia haver progressão? Ainda por cima ter estagiários faz parte do contrato de trabalho que assinei, ninguém está a fazer mais do que aquilo que é suposto. E eles também assinaram o mesmo contrato que eu, ou não?... No deles havia alguma cláusula a dizer que as ordens do chefe não valem nada? Que os valores da instituição são para desrespeitar? 

 

Há gente que só anda no trabalho à espera do dia de pagamento. Só isso, não há um único pingo de consciência profissional. Estão-se a cagar para tudo e todos. Ide todos pó caralho bando de enculés.

 

A psicóloga diz que eu sou como uma cebola, e que as minhas camadas estão a cair. Primeiro foi a tristeza, depois apareceu a raiva. E que isso é uma coisa boa. Querer mandar vir com toda a gente nem sempre é mau, segundo ela. Às vezes não é o ser simpático que nos leva longe, é o ser real. E eu ainda não passei a essa fase de dizer o que penso. Guardo, acumulo, e depois sofro de implosão! Expludo para dentro! Ela diz que chego lá. Eu acho que estou numa fase em que já me apercebi que a vida vai ser sempre uma linha com altos e baixos, que a minha meta de felicidade eterna não vai acontecer. Que para lá do arco-íris não vou encontrar o pote de ouro. E isso é uma porcaria, porque sempre me prometeram felicidade. E sempre tive grandes sonhos. E a vida é só uma grande merda, e que afinal são os pequenos momentos que valem tudo. Mesmo assim estimo bem que eles se fodam todos.

 

 

8 comentários

Comentar post

Vamos escolher um nome para o meu vibrador?

Crie seu próprio questionário de feedback de usuário

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos aqui:

Mais sobre mim

foto do autor

Desarrumações antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D