Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

26
Jan17

Eu também sei perdoar...

Sim, recebi a tua mensagem de perdão há uns meses. Aquela em que dizias que "apesar de tudo" o nosso namoro ficou marcado na tua memória como o melhor ano da tua vida.


 


Sabes que mais? Eu menti quando te disse que para mim não foi um dos melhores anos. Sim, foi perfeito, e tu sabes disso. Mas também sabes, bem lá no fundo, o quanto me fizeste sofrer quando quebraste tudo de um momento para o outro. Sabes bem que durante 3 meses comi pouco mais do que uma maçã por dia. O sentimento de estar viva sem ti era inconcebível, só queria sofrer, entrei numa espiral de auto-flagelação da qual demorei imenso tempo a sair. Não valia nada, só queria desaparecer e nunca mais voltar. Demorei mais de 2 anos a reconstruir-me e outros 2 para conseguir viver sem ti. Nesses anos tive duas relações falhadas, nas quais eu imaginava estar contigo mesmo estando com outro... mas isso nunca o admitirei para ninguém, nem para mim própria.


 


Sabes que quando vim para França fui sincera na carta que te enviei. Naquela em que dizia que serias sempre o homem da minha vida e que só conseguia imaginar-me a ter netos teus. Depois de ti, a ideia de ter filhos com outro homem provoca-me pânico... será que é porque idealizei essa vida perfeita contigo? Será porque foi contigo que essa realidade esteve mais perto de acontecer e tudo se desvaneceu naquela tarde de Fevereiro sem eu estar à espera?


 


A verdade é que tive que abandonar aquela casa que sonhámos ter, aquela vida a dois que planeámos, aqueles filhos de olhos verdes que ia ter contigo, num dia perfeito que aconteceria numa sucessão infinita de outros dias mais-que-perfeitos... e custa abandonar os sonhos, oh se custa. Só agora estou a conseguir sonhar outra vez, e a vida tem-me dado muito material para sonhos, oh se tem.


 


Já se passaram mais de dois anos desde que os abandonei (os sonhos partilhados contigo!), no entanto, o que escrevi naquela carta tem perdido o sentido pouco a pouco. Já vivi outros bons momentos e agora a minha realidade é outra. É como se tudo tivesse acontecido numa outra vida. Não te consigo dizer isto e acho que nunca te direi na cara, porque não consigo olhar para ti sem sentir ódio e raiva. Mas escrevo-o aqui, mais para desabafar do que para ser lido por alguém: um dia vou perdoar-te, sei que sim. E esse dia já esteve mais longe.


 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D