Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

11
Ago18

E quando uma pessoa preenche aquele vazio com comida?

Mais um desabafo triste, cá vai mais disto. Ultimamente a minha alimentação tem andado completamente descontrolada. Ao almoço levo marmita para o trabalho e é o mais saudável que possam imaginar, legumes, hidratos de carbono e proteínas na medida certa, o equilíbrio perfeito dos macros todos! 

 

No final do dia de trabalho, quando chego a casa, começa a desgraça. Ando às voltas, ando às voltas pelo apartamento, faço exercício, como uma maçã, depois um pêssego, um bocado de queijo e nada me "enche" esta puta de sensação de vazio. Vou a correr ao supermercado comprar um chocolate ou umas batatas fritas que como de empreitada quando chego a casa e às vezes ainda no carro. O facto de morar super perto do supermercado não ajuda, no entanto, sendo uma adulta responsável que já paga as suas contas sozinha há alguns anos, devia controlar melhor este aspecto da minha vida.

 

E ando a fazer desporto regularmente. Que acho que é o que mantém o meu peso mais ou menos decente, sem entrar ali na pré-obesidade. Mas sei bem que podia perder uns 8 ou 10 kg e continuava a sentir-me bem, o meu joelho esquerdo agradece, que desde que engordei nas férias de verão tem-me doído imenso... mas mal penso nisto sou bombardeada de pensamentos do género "não vais conseguir, é muito difícil, vais estar a privar-te do que gostas escusadamente, come o que tiveres vontade, aceita-te como és". Mas não consigo aceitar-me. Quando me olho ao espelho acho o meu corpo, comparado com o que era antes, nojento. Estas gorduras de lado na barriga e este inchaço constante na parte inferior da barriga causam-me náuseas.

 

Não gosto de me ver assim, eu não era assim antes. E tenho saudades dessa pessoa. Nunca tive uma relação formidável com a comida (a viver com os pais que tenho é óbvio que sempre cometi muitos excessos e sempre vi a comida como um reconforto)... mas o corpo sempre se aguentou num peso "magro". Desde que vim para França foi o descalabro total, os chocolates mais baratos deram logo cabo de tudo, lembro-me de nas primeiras semanas ir comprar tabletes grandes da Milka porque só custam 2€ e pouco aqui, perdi a cabeça e "habituei-me" muito mal. Mais uns croissants, e uns macarons, e muuuuuito queijo, com muitas tostas. Entretanto as tostas pararam por causa da minha glúten-fobia, sim, isto é real. Mas o queijo agora como-o à fatia directamente com a faca. Os croissants e os macarons também se foram com a tal glúten-fobia, mas os chocolates e as batatas fritas, oh deus, esses vieram para ficar. Parece que preciso disto para sobreviver e sinto-me tão mal por ser assim... por pensar na quantidade toda de comida que como durante os episódios de binge-eating... no mal que isto me faz aos intestinos (que têm andado mesmo muito mal...) e ao meu bem-estar psicológico.

 

E se um dia tiver uma doença grave por causa disto? E se ficar diabética? E se nunca recuperar aquele corpo que tinha antes? E se nunca mais conseguir ir às compras de roupa porque não consigo ver-me naquelas cabines minúsculas e mal iluminadas? (neste ano que passou, sempre que vou às compras fico ali a olhar para a minha celulite no espelho, as lágrimas afloram-me aos olhos e dou por mim a sair dali a correr sem comprar nada...) ahhhhhhhhhhhh.... isto tem de parar, a continuar assim vou dar em maluca! Só me apetece arrancar a gordura toda à facada qual peru trinchado no Thanksgiving!

 

E vocês, como é a vossa relação com a comida? Já passaram por alguma fase mais descontrolada?

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos aqui:

Desarrumações antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D