Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

31
Ago15

Dar um título à relação, ou não?

Ora bem, para quem ainda não sabe (mas devia saber!), eu ando a falar com um rapazito que está em Portugal (o plutónio-man, nome carinhosamente dado por um leitor meu, e que eu aceitei de bom grado, porque o moço, efectivamente, cresceu num campo de plutónio).

E... a coisa vai não vai, entre férias,quecas tórridas, passeios giros e conversas mais sérias, decidimos ser exclusivos um  ao outro... Mas! Vem aí um mas minha gente... Aqui a dESarrumada, que é uma pessoa muito pensadora está com um problema grave (que aflige muitas mulheres pensadoras), passo a citar: nunca houve a palavra namoro no horizonte. 

Eu cá gosto de ter as coisas bem definidas e, começando a analisar demais a situação, cheguei a diversas conclusões e a outras que ainda me deixaram mais em dúvida...

Primeira questão, gosto imenso dele e ele gosta imenso de mim (palavras dele!), mas definir um namoro com 1400 km de distância a separar-nos seria algo difícil, certo? Mesmo falando todos os dias, o dia em que nos vamos voltar a ver é sempre uma incógnita, as épocas festivas seriam (quase) sempre passadas à distância, entre outras coisas giras, que com tanto (maldito) quilómetro a separar-nos seria difícil de ultrapassar. Mas, a modos que... para esta questão não encontro resposta. Já aceitei que a distância é um facto, agora é ir um dia de cada vez... certo?

Segunda questão, o sexo é óptimo, parece que estamos em sintonia, as coisas que eu gosto encaixam exactamente nas que ele gosta, e nunca senti tanto prazer e conexão com alguém antes dele. Já para não falar no bónus tamanho! Esta questão do sexo entra porquê, perguntam vocês? Porque podia simplesmente aproveitar esta componente fantástica e aproveitar estes dias tão bons que passo com ele. Cagando em rótulos, títulos, e sendo feliz, até acabar o bem bom (ou não!).

Ou seja, exponho-vos aqui a minha situação porque estou "confundida" (já dizia a outra!). Quero assumir algo sério com ele, mas ao mesmo tempo tenho medo de ser a pior ideia de sempre! Tenho medo de deixar arrastar isto, e quando me quiser afastar já estar tão envolvida que vou sofrer horrores. E tenho medo de andar cada um no seu canto a meter os palitos como bem quiser, se nunca definirmos isto (eu cá não gosto de traições, mas se não houver nada definido ele pode comer quem bem quiser, e supostamente eu também). Merda para isto. Ele é um rapaz porreiro, mas a longo prazo não me imagino a voltar para Portugal... e não sei se ele viria para aqui.

Estou sem ideias sobre o que fazer a seguir. Tenho noção que estou a pensar demais e a estragar a magia da coisa, que é muita! Por isso ou cago no assunto e deixo andar, ou tomo alguma atitude, que não sei bem qual. Se alguém já passou por isto, ajudem aqui a pobre. 

20 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D