Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

Diário de uma desarrumada

. desarrumações . emigração . humor parvo . lifestyle . badalhoquices . coisas de gaja .

27
Jul18

Carência.

Um dos meus maiores defeitos, sem dúvida.

Sou carente. E muito.

Conheço alguém que me pareça minimamente aceitável e já esqueço todos os meus padrões e exigências.

Contento-me com o "mais ou menos", com o "vamos ver no que isto dá", com o "benefício da dúvida", com o "antes isto do que pior", com o "ele até faz isto e aquilo que são coisas boas".

Depois todas as minha relações acabam da mesma forma. Eles afastam-se.

Escondo tanto do que sou ao início que quando começo a mostrar quem verdadeiramente sou eles ficam confusos. Mas quem é esta? E a minha carência deve ver-se a léguas de distância, que os moços nem têm coragem de me dizer "já não te acho interessante", "quero acabar".

Nada, fica ali um vazio, uma dúvida a pairar no ar: "será que ainda estamos a fazer isto juntos?", "será que ele ainda quer um relacionamento comigo?".

E depois sofro. Sofro bastante, porque não fui exigente, deixei-me levar pelo "mais tarde logo se vê" e anulei-me enquanto mulher e pessoa. 

Não se enganem, os narcisistas, manipuladores e coisas do género eu consigo topar, duram no máximo alguns meses e depois mando-os dar uma volta. 

O meu problema, o maior problema, são os rapazes "assim-assim", aqueles em que olho para eles e digo "nhé, nada de especial, mas vai ter que remediar".

Nunca arrisco naqueles que deixariam o meu mundo de pernas para o ar. Na minha cabeça um rapaz assim não iria apaixonar-se por mim, porque o faria ele? Eu não sou merecedora de uma grande história. Estou destinada a situações inacabadas, coisas por dizer, dúvidas eternas sobre "o porquê?" do afastamento. Afinal, eu tinha dado tanto à relação, porque tinha que acabar assim? Sem ter sequer direito a uma explicação?

E sofro, e volto a sofrer, e as coisas vão se tornando cada vez mais curtas, pois agora as "aplicações de encontros" permitem tornar tudo mais rápido... falas uns dias com a pessoa, 2 encontros depois estás em casa dele a fazer amor com ele, nos lençóis dele, e 3 semanas depois ele deixa de falar contigo gradualmente, só te responde por educação, e quando deixas de ser a primeira a meter conversa, nunca mais tens notícias dele.

E tu que já tinhas dado tanto.

Um ciclo repetitivo. Algo com o qual não vou conseguir lidar, não estou a conseguir lidar, nunca conseguirei aceitar. 

E no fundo, bem lá no fundo, sei que a culpa é minha. Não me amo, e atraio este tipo de situações para a minha vida. Em vez de estar sossegada a viver a minha vida, a acreditar que o que será meu, às minhas mãos virá parar. Não. Ando a forçar coisas, a querer ter nem que seja tirado a ferros, um romance do outro mundo.

Uma sonhadora. Uma rapariga carente. Alguém que cresceu a acreditar que não merecia ser verdadeiramente amada, que nenhuma das suas escolhas era a correcta, que precisava de alguém para decidir tudo. Alguém que pensa que é um homem que vai salvá-la desta solidão que sente todos os dias, deste vazio no peito, desta vontade de nunca estar onde está, de que podia estar melhor noutro sítio. Mas qual sítio?

A eterna insatisfeita hoje vai dormir com todas estas questões no peito. A questão aqui nunca foi receber o raio da mensagem, ou que ele se apaixona-se por mim, a questão aqui é não me amar o suficiente para saber que, mesmo que a mensagem não chegue, ou que o amor dele não surja, está tudo bem.

E ficará sempre tudo bem enquanto me tiver a mim.

Só preciso de amar mais esta pessoa que tenho sempre comigo.

Mas parece-me que isto vai ser um projecto para a vida toda.

 

9 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

Diário em fotos aqui:

Desarrumações antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D