Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

Diário de uma dESarrumada

28
Fev20

Quando o comentário é melhor que o post #1

Antes que me acusem de ser como a Deslandes e só dar destaque aos haters, decidi criar esta rubrica para mostrar ao mundo que também recebo comentários bons e que, muitas vezes, rio-me mais com os comentários que recebo, do que com o post que fiz.

 

Porque tenho a melhor comunidade de desarrumados da blogosfera ❤️💋🍑

 

Screenshot_20200228_011450.jpg

(este comentário foi como resposta ao primeiro post da rubrica "Não sejam este tipo de pessoa" em que criticava quem não troca o rolo de papel higiénico vazio e decide simplesmente colocar o novo por cima do vazio).

 

Beijo na bunda! 💋

28
Fev20

Ele respondeu...

... A isto. Quase uma semana depois. Eu disse-lhe que ele dizia querer algo sério, mas que as suas atitudes diziam o contrário, não mostrava interesse nenhum ao demorar uma semana a responder às mensagens...

 

A resposta dele? 

 

"então mas era alguma urgência assim tão grande para responder logo?" 

 

Fiquei em modo 🤦🏻‍♀️

 

Falámos mais um pouco por SMS, numa mensagem em que só eu é que fazia perguntas, depois desejei-lhe "boa noite, beijos", e ele só desejou "boa noite"... 

 

No dia seguinte mandei bom dia às 9h, e ele só respondeu às 15h com a resposta a uma pergunta que lhe fiz, e sem um único "bom dia" ou pergunta sobre a minha vida, ainda nenhum interesse em mim. Respondi. Ele leu logo a mensagem. Às 23h ainda nada de resposta.

 

E eu com isto tudo andava uma pilha de nervos, sempre a olhar para o telemóvel à espera de resposta. Falei com um grupo de amigos no Whatsapp, disseram para bloquear, que merecia melhor que isto. Foi o pontapé no rabo de que estava a precisar, bloqueei-o logo. Saiu-me um peso enorme de cima dos ombros. Estou muito mais leve sem este gajo tóxico na minha vida... E já devo ter ido tarde. Agora é apanhar os cacos todos e seguir os conselhos da minha psicóloga, sair com vários rapazes ao mesmo tempo, para não focar a atenção só num. Vamos lá ver como corre. Ontem tive um date, e amanhã já tenho outro 🤭

 

 

24
Fev20

Guarda o teu regresso aqui.

Casa.

Vim passar o fim de semana ao Porto, estou neste momento a fazer tempo antes de ir passar a noite no aeroporto, "dormir" e ir embora amanhã de manhã muito cedo.

 

A formação já acabou, e já estou nostálgica das pessoas que conheci por lá. Ainda há pessoas boas neste mundo, e por isso agradeço. Nos últimos anos tenho tido sempre pessoas impecáveis a cruzar o meu caminho. E vocês, já agradeceram alguma coisa hoje?

 

Confesso, quando fui embora de Portugal achei que o mundo inteiro estava contra mim, achei que este país me queria mal, que as pessoas aqui eram más, basicamente, achava que nunca ia conseguir ser feliz aqui. Na altura havia uma rapariga, colega de profissão, que me fazia a vida negra lá no trabalho onde estava, a ganhar 3€/hora a recibos verdes. Saí por causa do salário, mas não só, acho que a razão principal foi achar que não tinha amigos em Portugal e que nunca ia ter. Agora apercebo-me de que tinha uma visão da vida muito distorcida e muito negativa. A maior parte das pessoas só está a pensar no seu umbigo, e não quer saber dos meus stresses e ansiedades. E curiosamente, a vida quis que eu fizesse mais amigos em Portugal nos últimos 5 anos, desde que fui embora, do que aqueles que fiz e consegui manter durante 23 anos de vida aqui.

 

A vida tem coisas do arco da velha, não tem? 

 

E a moça que me fazia a vida negra no meu antigo trabalho? 

 

Morreu no verão passado, de cancro, com 31 anos. Andava a tentar ser mãe e descobriu um cancro entretanto, que evoluiu muito rápido. Eu soube tudo pelas redes sociais... E quando alguém partilhou a foto dela no perfil dela, com a data de nascimento e data de falecimento, percebi que a vida pode ser muito curta, demasiado curta. E sinceramente, ao ver a foto dela, percebi que já não a odiava. Não por já não estar entre nós, todos sabemos que o cemitério está cheio de pessoas que ainda são muito odiadas - é o caso da minha avó paterna, da qual não podemos falar lá em casa, tal é o ódio que o meu pai lhe tem, e no entanto já faleceu em 2000 - mas porque percebi que o que ela me fez só me ajudou a tomar uma decisão que mudou completamente o rumo da minha vida, e que sem esse rumo que acabei por tomar, não teria tomado a decisão que tomei nestes últimos dias. E não seria quem sou hoje. Obrigada. 

 

Sei que hoje estamos aqui e amanhã já não estamos. Que tudo que sonhamos pode vir a desmoronar de um dia para o outro, e que já esperei tempo de mais para ser feliz... Está na hora. 

 

Decidi a maior decisão da minha vida, hoje, mas também pode não ter importância nenhuma, amanhã. Como quando esperamos durante meses um evento importante e depois o dia chega, e passa super rápido... Dizemos "já passou" e viramos as ideias na direção de outra coisa não é?  

 

Os projectos são assim, a maior parte do tempo não vale a pena fazer um grande alarido, após serem concretizados o cérebro passa para o próximo projecto muito rapidamente. Por isso é que a decisão mais importante a tomar, é a de aproveitar a jornada, aproveitar cada dia como se fosse o último. Porque um dia temos razão. A cada segundo alguém vive o seu último dia em vida na terra. 

 

E sobre Portugal... Cheguei à conclusão que este país não me odiava, nem as pessoas me odiavam, eu é que me odiava a mim mesma. Achei que estar longe era o melhor para mim. E na altura foi. Foi o que precisei para crescer, e talvez ainda precise de estar longe para aprender a amar-me e a descobrir o caminho de regresso até mim. Mas, ultimamente, sinto que estou cada vez mais perto de encontrar esse caminho. E que quando estamos bem connosco próprios, pouco importa o país, pouco importa a casa, pouco importa o salário... 

 

Não sei se já leram o livro O Alquimista do Paulo Coelho? Eu li no ano passado quando fui à Austrália (Já passou um ano? Como assim?), e identifiquei-me muito com o fim. Porque me sinto como aquele pastor. 

 

Sinto que, às vezes, muitas vezes, vamos dar uma "ganda volta", para voltar exactamente ao lugar de onde partimos. Como é que só vi isto agora? Foi a viagem que me mudou e fez-me perceber que, o lugar onde comecei esta caminhada, já era o meu destino. 

 

Sei que estou a chegar a casa.

 

 

21
Fev20

Antónios há muitos #2

Muitos queriam saber como correu o date com o António. Então vou contar! Ele é 50% italiano, e eu confirmei em primeira mão que o mito do italiano engatatão e bom amante é real. 

 

Estive quase para fazer um post de TindAdvisor, mas como não conheci o moço através do Tinder, não vai dar para fazer isso. Vou só contar como foi num post normal. Espero que gostem, eu gostei, muito. 

 

Então foi assim, desde que nos encontrámos no restaurante chinês o moço ligou-me uma vez para marcarmos encontro num café ali da zona. Chegámos lá e ficámos na esplanada, daquelas aquecidas com um daqueles coisos que deitam chamas e que quase que uma pessoa fica ali com os coiratos todos tostados. Pedimos 2 cidras e um guacamole. Comemos aquela merda enquanto o gajo me olhava nos olhos e dizia cenas do género "és tão linda, sinto uma atração enorme por ti" e nisto ia mexendo nos meus cabelos e fazia festinhas na cara e tudo. Quase que podia ter sido lindo e maravilhoso, excepto que ele só falava da pila dele, e do quanto ela era grande e fodilhona.

 

Ligou-me todos os dias depois desse date, por volta da meia noite e meia, para me dizer o quanto se sentia atraído por mim e o quanto o bráulio dele era enorme.

 

Ainda tentei manter um bocado de dignidade e seriedade na conversa, mas quando ele me ligou a dizer "não te posso prometer nada de duradouro ou sério, mas posso prometer-te um serão extremamente agradável".

 

Não aguentei mais. 

 

Quando dei por ela estava em casa dele, de joelhos, a lamber-lhe os colhões enquanto ele me dava chapadas na cara e me chamava de puta e cadela submissa. 

 

Desarrumados da minha vida! Tenho a dizer-vos que foi das melhores quecas da minha vida. Top 10 das fodas mais bem dadas de sempre.

 

E sim, ele tinha um salsichão grande e sabia usá-lo, houve ali um momento em que ele me pegou pelas pernas, com os pés nos ombros dele, e deitou-se em cima de mim, ele meteu aquilo tudo lá dentro de uma vez e até vi estrelas. Juro. Mas que soube bem, lá isso soube! 

 

Estar de quatro, a levar com ele, enquanto me puxava os cabelos com força, no  estúdio minúsculo de um gajo quase-italiano em Paris, foi algo que nunca imaginei acontecer. 

 

No dia seguinte bloqueei-o no whatsapp e não voltámos a falar... Apesar de ele morar a 5 minutos do meu trabalho e até poder dar jeito ter uma boa queca debaixo de olho para possíveis emergências, prefiro continuar na minha busca por algo sério. E manter este momento como uma boa lembrança, um dos melhores comboios de orgasmos que tive desde que estou em Paris. Depois do motoqueiro... Shame on me, nunca contei a história do motoqueiro 🤦🏻‍♀️

 

Isto foi só um "acidente" de percurso, do qual não me arrependo nada by the way. É vocês, contem lá como foi a vossa melhor queca dos últimos tempos?

 

"Quecas no meu caminho? Guardo todas, um dia vou construir um bordel."

 

Beijo na bunda, da vossa sempre dESarrumada 💋🍑

 

20
Fev20

A ausência de resposta já é uma resposta.

Respondi ao Half-french, a dizer que houve certas atitudes dele que me desagradaram e que se fosse para nos voltarmos a ver seria só um copo e mais nada... Na altura pareceu-me uma boa ideia. 

 

Mais de 24 horas depois e ainda não respondeu. Acho que o moço só queria mesmo ficar com a última palavra nesta história... Sou mesmo parva, mais valia não ter respondido nada. Também é verdade que tecnicamente não lhe disse que sim nem não - foi uma espécie de Nim estranho - mas para os homens deste tipo qualquer pingo de atenção é considerado um sim... Da próxima vez não respondo nada, prometo. 

19
Fev20

...

Quase um mês depois o Half-french voltou a mandar mensagem...  dizia que tinha pena que as coisas tivessem terminado como terminaram e que teve medo porque saiu há pouco tempo de uma relação e eu estava a pedir-lhe satisfações como se estivéssemos a namorar... Depois terminou dizendo que se eu tinha expectativas para as coisas entre nós, ele também, porque também estava há procura de algo sério e que achava precipitado eu ter tomado esta decisão assim tão rapidamente. Nem bom dia nem nada. Como de costume. 

 

Respondi-lhe que precisava de tempo para pensar numa resposta à mensagem dele. Mensagem que ele viu e não disse nada. 

 

Pretendo não responder nada... Não sei como interpretar a mensagem dele, não sei no que estará a pensar, mas acredito que ele não me ache a mulher da vida dele... Visto que sou do estilo de criar conflitos (segundo palavras dele...), por isso não percebi esta SMS. 

 

 

Pág. 1/2

Bem-vindos ao meu diário, um lugar seguro onde podemos falar sobre tudo. Já comentaram hoje? Bisou, da vossa dESarrumada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D