Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

Diário de uma dESarrumada

31
Dez19

Hoje tinha um date...

Segunda-feira. Eu e o Half-french tínhamos um date marcado... Foi ele quem tomou a iniciativa. Eu disse-lhe que na segunda acabava por volta das 19h30, ele disse ok.

 

Segunda-feira, acabo o trabalho às 19h30 em ponto, mando sms "acabei, encontramo-nos às 21h no sítio X?" 

 

Resposta dele: "olha afinal já não posso ir, ainda estou doente e prefiro preservar a minha saúde para o réveillon de amanhã".

 

Olhem... Até vi estrelas! Então o gajo ficou à espera que eu mandasse mensagem para cancelar tudo? Que c*r*lh* é isto???

 

Mandei mensagem, um bocado a quente, a dizer algo do género: " e não podias ter dito antes que estavas doente? É que estás mesmo a cancelar em cima da hora, não se faz".

 

Ele não respondeu a esta mensagem. Coitado, deve estar tão doente que desmaiou de cansaço antes de conseguir responder... Afinal, tem que estar bem descansado para ir para a borracheira amanhã. 

29
Dez19

Hoje quero dar-vos uma dica de savoir-vivre.

Imaginem a seguinte situação, que não foi, de todo, baseada em factos reais... Vocês estão muito tranquilos na Serra da Estrela. Decidem ir para Lisboa no sábado à noite porque o vosso voo é no domingo às 17h e querem chegar lá cedo, porque alguém se lembrou de cagar uma greve de 3 dias durante um fim de semana crítico. Fazem check-in do voo, nada de cancelamentos, ficam esperançosos e alojam-se num hostel super bem localizado em Lisboa. Acordam na paz, passam a manhã de domingo a passear nas Praças do comércio dessa vida, ainda por cima, imaginemos que nesse dia estava um céu azul espectacular e solzinho do bom.

 

Entretanto, quando se aprontam para apanhar o metro para o aeroporto, vamos lá ver que horas poderiam ser neste cenário completamente imaginário... Hmmm... 12h12? Vá, 12h20 e não se fala mais nisso. Recebem Email da companhia, a dizer que o vosso voo foi cancelado e que têm que escolher outro... Olham assim de repente no Skyscanner e só há voos que custam 500€ a sair de Lisboa. 

 

Hmmm... Vocês decidem ir directamente ao aeroporto ver se há outras alternativas mais baratas ou se a companhia vai facultar voos extra... É que gastar um salário mínimo (português) num voo, num mês tão crítico como dezembro, em que também já não ganharam muito por causa da greve de Paris (imaginem que moram em Paris, trabalham na área da saúde, e 50% dos vossos pacientes apanha metro para ir às vossas sessões, o que vos fez ganhar nem metade do salário que costumam ganhar... Sorry, já é muita coisa para imaginar, mas prometo que já, já, chega a conclusão deste cenário).

 

Vocês chegam ao aeroporto de Lisboa às 14h e esperam numa fila enooooooorme que avançou praí de metade até às 18h30... Nos entretantos, decidem comprar um voo que custa 200 e tal mocas, a sair do Porto, porque estão a ver que em Lisboa só se safam lá para o dia 3 de Janeiro...

 

Vocês estão em Lisboa, no aeroporto Humberto Delgado, relembro. Às 18h30 decidem bazar do aeroporto e dizer foda-se para a fila que nunca mais andava e correm para a estação do Oriente para apanhar algum comboio de jeito para o Porto.

 

Conseguem. Pumbas, 31€ de Alfa-pendular e não bufa. Agora estão dentro do Alfa, pela primeira vez na vida. A classe turística é mais espaçosa e chique que a primeira classe do intercidades e está um gajo todo bom sentado ao vosso lado... Mas já estou a desviar o foco da história.

 

Quando já estavam no comboio há cerca de 1h decidem contar o que se passou a uma amiga (portuguesa) que vos pergunta "Então, como correu o voo? Que tal Paris ?", porque essa pessoa sabe que já era suposto estarem em Paris, enfiados num 12m2 a preparar-vos para roncar. 

 

Vocês contam a história, com todos os detalhes possíveis e imaginários, inclusivé que tiveram que anular os vossos pacientes da manhã todos, e que, provavelmente, devido à greve em Paris, vão acabar por ter que anular toda a gente, do dia todo de segunda-feira. 

 

A vossa amiga responde:

 

"Xiiiii, coitada ! Estás na merda!"

 

Por favor. Não sejam este tipo de pessoas. 

 

É tudo. 

 

28
Dez19

Joyeux Noël.

O título deste post foi exactamente a mensagem que recebi do Half-french no dia 25 de manhã... Eu pensava que estava tudo morto entre nós devido à discussão parva que tivemos antes de eu vir embora de férias... Afinal a coisa ainda mexe. 

 

Hoje enviou mensagem a perguntar quando volto para França e quando podíamos ver-nos... Respondi que voltava no domingo e que estava disponível na segunda-feira.

 

Não sei se faço bem em manter contacto com este moço... Ele por mensagens é mais frio do que esta temperatura de gelar os cornos que se faz sentir aqui na Serra... Mas durante o tempo de pausa em que não falámos decidi que, se por acaso ele voltasse, ia incluí-lo como VIP-guest na lista de One Night Stands de Paris que criei mentalmente.

 

Já tenho uns quantos na calha para o meu regresso. Este moço não foi o único a enviar-me aquele "Joyeux Noël" maroto, que é como quem diz "não quero nada sério que justifique uma mensagem de Feliz Natal com cabeça, tronco e membros, mas decidi enviar qualquer coisa só para que saibas que a minha pila continua disponível"...

 

Universo, já percebi a mensagem. Só andas a meter gajos que não prestam no meu caminho... Mas, meditei muito durante as férias, e cheguei à conclusão de que uma parte de mim, talvez aqueles 70% que são constituídos por água, tem medo e não se sente pronta para uma relação... Daí só estar a encontrar estronços pela frente. E por trás. E pelos lados. É como calha. 

 

Ora... Temos pena... Estou outra vez com vontade de dar umas curvas... E a minha última (que foi a primeira) com o Half-french, soube-me a pouco... Confesso, quero provar mais daquele half-saucisson/half-chouriço

27
Dez19

Preciso da participação de todos que lêem este blog regularmente.

Então é assim, o Natal já lá vai, e este ano foi, pela primeira vez em algum tempo, passado em família para variar! #vidadeemigrante

 

Apesar de triste, por causa do falecimento recente do meu avô... conseguimos passar bons momentos juntos e isso é o mais importante.

 

No entanto, sinto que entramos naquela fase estranha do ano, em que estamos assim tipo em suspensão no tempo, ainda estamos em 2019, mas já estamos ali com um pézinho no próximo ano, mas ainda não chegámos lá completamente... isso leva-nos a fazer o balanço do ano. Tanto pessoal, como profissional. E eu fiz o meu. 

 

O meu balanço pessoal e profissional não vou falar por aqui, pelo menos para já... mas fiz o balanço da evolução aqui no blog e reflecti sobre alguns assuntos que gostava de partilhar com vocês. Apesar de saber que a maior parte vai revirar os olhos e dizer "who cares?", que o meu anónimo de estimação vai perguntar se ainda não tenho nenhum problema a sério, tipo cancro, ou hemorróidas, e que só a meia dúzia de dESarrumados do costume (amores da vossa Boss venham aqui à mãe ) é que vão ler e responder a este post. 

 

Eu sofro de uma síndroma sobejamente conhecida no mundo da auto-ajuda (para quem já me vai conhecendo melhor, sabe que sou uma adepta incondicional deste tipo de livros, sites, vídeos...). Ela é a Síndrome do Impostor. 

 

Basicamente, e assim muito resumido, consiste em achar que se é uma fraude, ou que nunca somos bons o suficiente, mesmo após vários sucessos... e essa síndrome provoca um efeito colateral que é a auto-sabotagem.

 

Eu sofro disso, muito. E então aqui no blog tem sido demais.... Fico tão assoberbada por esta sensação de incompetência que não consigo fazer nada deste blog. Tenho montes de ideias e nada avança! Arranjo sempre uma ou outra desculpa para não avançar... Pelo menos nada daquilo que imaginei para o blog... mais uma vez "who cares?", pensam vocês em uníssono, mas eu importo-me.

 

Este alter ego da dESarrumada é a bitch preferida da minha vida, e ela merece mais do que aquilo que eu lhe dei este ano... um ano marcado por dúvidas, não saber reagir aos comentários maldosos, não saber distinguir a opinião dada no blog e pensar que são ataques pessoais à minha pessoa... demorei algum tempo a perceber certas coisas... mas o apoio de todos nessa altura, em Agosto, foi essencial, e só saí dessa situação mais forte... mas ainda não consegui voltar a apanhar o comboio, e por isso, quero pedir-vos juda.

 

Relativamente a números, isto pode ser pouco para alguns, mas para mim é bastante  Em 2019 passei de 501 seguidores (485 no site do sapo e 16 pelo mail) para um total de 607 seguidores (571 no site do sapo e 36 no mail)... o que dá um total de 106 pessoas novas que seguiram o blog em 2019.  O crescimento foi portanto positivo, e por todos vós, queria fazer mais.

 

Já estou com algumas ideias para 2020... mas gostava de saber a vossa opinião.

 

Fiz um apanhado mental dos posts do ano, e houve vários tipos de categorias de posts que me saltaram mais à vista. Baseei-me nos que tiveram mais comentários, favoritos e visualizações. Gostava que, se tiverem tempo e paciência, metessem nos comentários as vossas categorias preferidas aqui no blog, sendo que o que escolherem, é o que gostariam de ver mais por aqui:

 

a) as minhas aventuras enquanto emigrante (episódios caricatos da vida em França)

b) episódios no trabalho com os meus utentes (caricatos ou mais tristes)

c) vida sentimental - isto inclui alegrias, desilusões e os dates (ou seja, a minha busca pelo amor da minha vida)

d) aventuras sexuais pessoais - cenas com as quais me vou entretendo enquanto não aparece o tal (às vezes não sei se querem ler mais sobre isto ou se acham que me exponho de mais... gostava de saber a vossa opinião)

e) conversas várias com a minha mãe e amigos

f) as minhas viagens - se gostariam que desse mais detalhes sobre as minhas viagens e até metesse fotos, este é o momento

g) contos eróticos (seria algo que gostariam de ler mais por aqui?)

h) discussão sobre sexualidade feminina e/ou feminismo

i) podcast da dESarrumada

 

Obrigada aos que responderem! 

 

Beijo na bunda com amor 

22
Dez19

9. Abraço-Casa.

Existe uma música brasileira muito conhecida que fala de alguém que tem um "abraço-casa". Ou pelo menos é assim que eu o interpreto.

 

Eu conheço este conceito de abraço-casa relativamente à minha família e aos meus amigos. Mas no campo amoroso ainda não tinha tido oportunidade de "voltar" para um abraço-casa.

 

Soube pela minha mãe que, o meu último ex (com quem tive uma relação à distância) foi trabalhar para Angola. É engraçado que, ele não quis vir morar aqui comigo em França porque era muito longe da família, mas depois foi morar para África. Ok, tudo bem, essa história tocou-me muito, mas sinto que um ano chegou para poder finalmente dizer que o "esqueci"... Quando vejo as fotos dele não sinto nada. O que é estranho, porque o que vivemos foi muito intenso... Mas pronto, é assim a vida...

 

Mas este texto não é para falar sobre Ele... Este texto é para falar sobre o primeiro amor da minha vida. O rapaz dos olhos verdes que roubou o meu coração quando tinha 20 anos. Por incrível que pareça... Foi a pessoa que mais me fez sofrer, mas também a que mais amei. 

 

Mas o nosso término foi muito triste. E traumatisante. Pensei nele durante anos, sobretudo quando quero procurar algum conforto. E ainda penso.

 

Há alguns dias mandei-lhe mensagem. Para saber como está. E para tomarmos um café quando eu chegasse a Portugal. O meu objectivo: perdoá-lo e seguir em frente. Pensei que não ia responder. Surpreendentemente, ele respondeu, e aceitou. E fomos beber o tal café ontem...

 

Falámos durante mais de 6 horas seguidas, sobre os 7 anos que aconteceram entre o nosso fim e o dia de ontem. No final foi como se sempre tivéssemos mantido contacto. Não havia mais mágoa, nem dor, só boas recordações e a certeza de que foi a melhor história da minha vida.

 

Ganhei coragem e disse-lhe. Ele respondeu que também fui a melhor história da vida dele e que nunca mais viveu algo assim. Nem eu... Nem eu... E vocês bem sabem a desgraça que é a minha vida amorosa. Mas ele não sabe...

 

Abraçámo-nos e ficámos assim durante uma hora, nos braços um do outro, um momento que me pareceu apenas um segundo. Um piscar de olhos. Uma festinha no cabelo. Várias. Quase que nos beijámos... Quase... Mas... Ele tem namorada há 4 anos. Não aconteceu.

 

"não posso", disse-me. 

 

Percebi. Eu disse-lhe que, naquele momento, queria-o tanto como há 7 anos atrás. Ele disse-me que sentia o mesmo mas que não a podia trair... 

 

Percebi. Perguntei se era a última vez que nos víamos, se da próxima vez que falássemos ele já ia estar casado com ela e com um filho a caminho...

 

"prometo que não é a última vez que nos vemos", respondeu-me.

 

Eu vim embora. Dormi sobre o assunto. Hoje acordei e estou... Calma. Serena. Como já não estava há muito tempo. 

 

Não vou tentar contactá-lo de novo. Não lhe quero estragar a vida. Mas sei que ele volta. Quando estiver pronto... 1 ano, 5 anos, 10 anos. Seja o que for. Sinto-o com todas as forças do meu ser. Sei que tenho ali o meu abraço-casa... E que ele tem o dele aqui.

 

"não olhes assim para mim, isto não é um adeus."

 

Aos últimos vagões ❤️

 

 

 

Envelhecer contigo. 

Momento eterno 

Eu também sei perdoar...

Perdão. 

Ao segundo dia ressuscitou. 

 

 

... 

15
Dez19

sem motivação...

tenho um sonho... aliás, tenho vários sonhos... mas tal como o outono que chega e manda abaixo as folhas das árvores, também a notícia sobre a morte do meu avô chegou deitando-me abaixo... embora não pareça... a verdade é que já não andava bem antes... mas sinto-me um "sobe-e-desce" emocional... ora estou super alegre e com montes de projectos, ora estou a deprimir e a chorar as pedras da calçada. Não gosto de estar assim, não gosto de ser assim, não gosto de me ver assim... sinto que não há grande coisa que me consiga fazer verdadeiramente feliz neste momento. e por outro lado sei que tenho que pensar positivo, vibrar positivamente para atrair cenas boas e todas essas balelas do "the secret"... às vezes só me apetece arrancar cabelos, e voltar para uma situação onde tudo fosse mais fácil... mas não sei como...

12
Dez19

Conversas com a mãe #1

Sim, as conversas ao telefone com a minha mãe foram substituídas pelas mensagens no Whatsapp... porque aqui em Paris não tenho telefone e porque simplesmente não dava para passar uma hora ao telefone com ela todas as noites, infelizmente, já não posso dar-me a esse luxo. 

 

E só vos digo isto :

A minha mãe é a rainha dos emojis 😊

 

Screenshot_20191211_231846.jpg

 

dESarrumada,

a evitar mal entendidos desde 1991

👶🏻

11
Dez19

França, não enviaste o formulário X!

França é o país da burocracia. Isto é papéis, formulários, pedidos de formulários e impressos para preencher por todo o lado. Quando se está a trabalhar em estatuto liberal... Então é o pesadelo... Comecei há 7 meses e o estúdio onde moro já não chega para guardar a quantidade astronómica de dossiers que tenho...

 

Este vídeo bastante antigo foi-me mostrado por uma amiga. E retrata bem, de forma satirizada, mas real, a confusão que é tratar de assuntos burocráticos por aqui. Pode parecer exagero, mas já me disseram muitas das frases que vão ouvir neste vídeo. E algumas delas são tão ridículas, que quando questionamos a pessoa, nem ela sabe explicar o que acabou de nos dizer...

 

O primeiro vídeo está em francês! Mas não vos apoquentais... Encontrei o mesmo em inglês! 😂

 

 

 

Beijo na bunda! 💋

 

Pág. 1/2

Bem-vindos ao meu diário, um lugar seguro onde podemos falar sobre tudo. Bisou, da vossa dESarrumada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D