Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

24
Set19

Opção C "o Mal-Cheiroso" aka outro post do qual não me orgulho.

No dia 8 de Julho escrevi um post do qual não me orgulho. Era sobre o Gui. Entretanto apercebi-me que não contei por aqui como acabou a história com ele, e vou já remediar essa situação. Também me tenho apercebido, que às vezes começo assuntos aqui no blog, que não acabo... por isso, assumo aqui a missão de ler todos os posts dos últimos 2 anos, e proporcionar uma closure a certos assuntos.

 

Esta closure é tanto para mim, como para vocês - às vezes algumas alminhas desarrumadas mais atentas ao blog perguntam-me, através do email ou no Instagram, como acabou determinada história - e é aí que me apercebo que não é correcto deixar de dar novidades sobre determinado assunto de um dia para o outro.

 

Por isso hoje venho falar sobre o Gui.

 

O Gui era simpático... mas tinha um defeito, aliás dois. Um é mais fútil do que o outro, mas ambos são extremamente importantes para mim. 

 

Defeito nº 1) fala pouco! 

Sinceramente, não suporto estar com alguém que só ouve e pouco fala... eu sou alguém que fala muito de si própria - sim, já me apontaram este defeito e ando a tentar mudar - mas sei que, para equilibrar a coisa, preciso de estar com alguém que também fale muito sobre si próprio, sem que eu esteja propriamente sempre a fazer perguntas... uma vez disse-lhe que não sabia se tinha irmãos, ele respondeu "nunca me perguntaste"... *facepalm*

Se eu falo do meu irmão espontaneamente, acho normal a outra pessoa falar sobre os seus... não quero estar sempre a perguntar coisas sobre a outra pessoa, até porque tenho noção que, quando tenho confianca com alguém, essa pessoa vai saber tudo sobre mim, sem sequer ter que perguntar. Sou muito open nas minhas partilhas pessoais... talvez demasiado. Mas pronto, foi algo que me incomodou neste rapaz.

Saímos durante quase 2 meses, começamos a dormir juntos no 4º encontro, e desde aí, sempre que saíamos havia sexo... mas eu estava sempre com o mindset de "somos só sex friends" até que houve um dia que ele me convidou para ir a casa dele ver um filme, eu respondi "num vai dar, estou com o período". E foi aí que a nossa história de amigos com benefícios atingiu o limite da sua data de validade.

 

Ele respondeu:

 

E depois? Podemos mesmo SÓ ver o filme.

 

E pumbas... de um momento para o outro senti-me o gajo da relação, a mazona que tem que acabar com tudo porque o outro começa a querer mais... já passei por isto várias vezes, porque normalmente sou sempre eu que quero mais e o rapaz não está nem aí para histórias românticas.

 

Mas com este rapaz não dava mesmo para continuar... porque para além de estar sempre mudo, havia outra coisa.

 

Defeito nº2 ) cheirava mal da boca... e "lá em baixo"

 

questionário.jpeg

 

Pois é meus caros, o Gui é o gajo da opção C, e ganhou a alcunha aqui no blog de Mal-Cheiroso... e daqui em diante, será tratado por este nome...

 

Se há coisa que não suporto é pessoas com má higiene oral, passo-me se alguém chega a um encontro a cheirar mal da boca! Opah, se nos encontramos depois de um dia de trabalho e há aquele cheiro típico de quem ainda não lanchou e está "em jejum" há algumas horas, tudo bem, normalmente depois de comer a coisa passa. Mas com ele não era assim! Com ele nunca passava! E mais tarde descobri porquê!

 

Durante os dois meses que saímos, fui várias vezes a casa dele. E a escova de dentes dele estava sempre imaculada no mesmo sítio, nunca a trocou, e ela não apresentava um único sinal de utilização. Eu bem fiz tudo para que ele percebesse a mensagem:

levei a minha escova de dentes sempre que ia vê-lo

dizia "vou lavar os dentes" de uma forma um bocadinho sugestiva, como quem diz: vem comigo

quando era em minha casa perguntava-lhe se tinha trazido a escova de dentes

e uma vez em casa dele - mesmo antes de mandar tudo ao ar - perguntei directamente se ele não ia lavar os dentes? a resposta dele: estou com preguiça.

e não, nunca o vi lavar os dentes, nem à noite, nem de manhã. Levantava-se e ia trabalhar tal e qual como acordou. Nem a cara o vi lavar... nem um banho o vi tomar...

 

Com o avançar do tempo apercebi-me que a palavra higiene, era algo que não constava no dicionário do Gui-Mal-Cheiroso. Quando houve aquelas duas vagas de calor extremo em Paris, durante a segunda, eu fui a casa dele para pinarmos, tomei banho na banheira dele, fiz-lhe alta lap dance  ainda com o cabelo a escorrer, com direito a música e tudo, e na hora do sexo oral, apercebi-me que ele não tinha tomado banho antes de eu chegar! E saber que ele já estava em casa há 3 horas!!!! E que recusou tomar banho comigo!!! (tentativa frustada de o levar a tomar banho antes do pinanço...) Fiquei enojada, tentei ao máximo evitar de meter a boca ali... peguei num preservativo e foi o que me safou. Mas não me safou de lamber as zonas anexas ao pirilau, que também estavam com um cheiro a bedum do pior. 

 

Mas jurei que nunca mais punha a boca naquele rapaz. E cumpri.

 

Homens deste mundo, se sabem que vão foder no final de um dia de trabalho, o mínimo que podem fazer é TOMAR UM BANHO. Eu faço-o sempre! Quem não o faz... que merda de desrespeito para com a outra pessoa é esse?

 

E foi assim a história do Mal-Cheiroso. Entretanto comecei a evitá-lo. Sempre que ele me convidava para fazer algo eu fingia estar sempre ocupada. Até que ele me perguntou directamente se o andava a evitar, e confessou estar interessado em mim para algo mais... eu disse que não o andava a evitar, mas marquei encontro com ele no Sacré Coeur para falarmos sobre a parte de ele querer algo mais.

 

Tudo acabou onde começou. Deitados na relva, eu recusei-me a beijá-lo... não sei se já vos aconteceu, quando não querem ver mais uma pessoa, o simples facto de sentirem a sua presença vos provoca repulsa... neste caso havia essa sensação de repulsa por não estar interessada, e a sensação de repulsa devido ao cheiro da boca dele... disse-lhe as tangas do costume que as pessoas dizem quando querem acabar por outros motivos, todos, excepto aqueles que se verbalizam. Tangas que também já ouvi vezes e vezes sem conta, e que hoje sei que não queriam dizer exactamente coisa nenhuma:

 

Não estou pronta para uma relação.

Tu és fantástico mas o problema sou eu.

Se estivesse mais disponível para uma relação era contigo que estaria.

És especial e vais encontrar alguém que te mereça.

 

Mesmo assim, fiquei triste com esta situação. Mas passou-me rápido. Admito, estava a ser complicado ficar a menos de 1 metro deste rapaz... Parece que quando vejo um defeito em alguém, depois já só consigo ver esse defeito... E com muita pena minha, porque na verdade estou mais do que pronta para ter uma relação séria, com este rapaz, não deu para continuar.

 

Já vos aconteceu descartarem alguém devido aos seus odores corporais?

 

Beijo na bunda! 

 

 

Ps: este post faz parte do movimento #sexosemculpa. Posso não me orgulhar de certas situações que vivi, mas arrepender-me? NUNCA. 

22
Set19

Imprevisibilidade.

Fui jantar com uma amiga tuga que já conhecia da terra onde morava antes. Ela já está em Paris há algum tempo. Eu vim depois. Cheguei há pouco mais de 3 meses e só agora nos conseguimos encontrar. Foi um jantar bom, muito bom. E a coisa boa deste jantar foi que acabou de uma forma que poucos dos meus jantares acabam. A combinar uma viagem em cima do joelho... Dizem que costumam ser as melhores. Portanto, daqui a 3 semanas vou passar o fim de semana a Amesterdão.

 

E vai ser tão bom 😉

 

😘

20
Set19

Desafio de escrita dos pássaros #2 Amor e um estalo.

O texto de hoje vai ser simples. O tema é: Amor e um estalo. Amor, só assim, simplesmente, parece-me bem. E... um estalo?

 

Sei que o historial dos meus textos poderia levar-me aqui a dissertar sobre o porquê de um estalo durante o Amor, se for bem dado, saber tão bem. Mas a palavra estalo não me soa bem. Neste contexto de escrita "à la desarrumada" poderíamos encontrar uma palmada, uma nalgada, um tapa na bunda.... Mas estalo? Estalo parece-me tão... violento.

 

Admito... estalo faz-me pensar em violência doméstica. E violência doméstica faz-me pensar que, só este ano, em França, já morreram 101 mulheres pelas mãos dos seus companheiros. Dados recenseados até ao dia 3 de Setembro. Se calhar hoje o número já aumentou.

 

Tudo isto para dizer que a palavra estalo me fez pensar nesta realidade tão dura para algumas mulheres.

 

E algumas pessoas perguntam: mas porque é que ela não foi embora?

 

Isso serão episódios de um próximo capítulo...

 

 

20
Set19

Pânico é...

... Estar atrasada para o trabalho e aperceber-me de que não tenho as chaves na mala. E saber que é suposto seres a primeira a chegar nesse dia, logo és tu que tens que abrir a porta. 

 

Nunca procurei algo tão rápido na vida. Ainda bem que apareceram, no meio da confusão que é a minha mala, ou isso ou tinha tido um ataque cardíaco ali na hora. 

 

Beijo na bunda 💋 

18
Set19

Apeadeiros e pêlos.

Estou num comboio regional que pára em todas as estações e apeadeiros. Já passámos em terras com nomes estranhos, que acreditava ter esquecido após os 4 anos em que frequentei esta linha duas vezes por mês... Vacariça. Lapa do Lobo. Folhadal. Esta última mata-me, porque o meu irmão usa a palavra "folhas" quando quer dizer "foda-se" sem chocar os meus pais.

 

Entretanto porque é que falo em pêlos no título do blog? 

 

Porque estou com um pêlo encravado mesmo no meio das coxas e sinto aquilo de cada vez que me mexo, o que me está a impedir de usufruir plenamente da minha viagem. 

 

Arre! Vida de mulher peluda não é fácil. 

18
Set19

Hoje é dia de voltar.

Que sentimento agridoce este de voltar para Paris... Não sei o que pensar. Queria tanto conseguir decidir outra coisa para mim... Mas não sei bem o quê. 

 

Ontem choveu bastante aqui... E caiu granizo. Bastante.

 

Queria dizer algo eloquente. Mas não consigo. 

 

Xau, xau. Voltamos a ver-nos em Paris. 

 

Beijo na bunda 💋 🍑

17
Set19

Ir andando.

Gosto de ter tudo agora, para já, o mais rápido possível, ASAP! No entanto, tenho-me apercebido que as coisas mais bonitas da vida demoram tempo a chegar, que às vezes os melhores projectos ficam a "marinar" no cérebro durante alguns anos, até se perceber melhor como vamos construí-los. O perito nestes assuntos é o meu pai. Especialista na arte do "é ir andando".

 

Deve ser das frases que ele mais me diz: "vai andando e vendo". Demorei bastantes anos a perceber que é dos melhores conselhos que alguém me podia dar, a mim, que quero tudo para ontem, que sinto que já vou atrasada, que sofro desta sensação de estar sempre "a perder algo" em relação aos outros.

 

Já me custou mais esperar. Agora sei, com cada vez mais certeza, que as coisas boas demoram tempo. Tanto profissionalmente, como no campo amoroso, que são as duas áreas que tento aperfeiçoar cada vez mais na minha vida... Deixei-me de pressas, e armei-me com uma confiança inabalável para seguir em frente. A confiança de que, aconteça o que acontecer, o que procuro vai chegar. Já a minha avó Maria está sempre a dizer: "o que é teu, para ti está guardado". 

 

Assim seja.

16
Set19

51 voltas ao sol.

Estes dias aqui em casa têm-me sabido pela vida. Aproveito cada segundinho que tenho para passear pela casa, pela terrinha e estar com os meus. Um dos melhores momentos, foi poder estar agarradinha à Dodoca

IMG_20190915_010258.jpg

Esta Ursa, juro, tem super-poderes. Daqueles que conseguem acalmar qualquer ansiedade, amenizar qualquer medo do futuro que ainda possa estar por aí perdido nos lugares mais recônditos da minha alma. Ela, mesmo sem falar ou dar qualquer sinal de vida, consegue transmitir-me a paz que muitas vezes não consigo encontrar sozinha.

 

Mas...

IMG_20190916_001026.jpg

 

...foi por esta mulher que fiz esta viagem. E que mulher que aqui está! Juro que deve ter sido ela, secretamente, a transmitir aqueles super-poderes calmantes à Dodoca! Como o fez não sei... mas juro que foi ela!

 

Hoje festejamos os 51 anos da minha mãe. Ela deu-me a Dodoca para que eu não tivesse medo. No entanto, quanto mais tempo estou longe dela, mais começo a sentir aquela sensação de estar a perder os melhores anos dos meus pais. E este medo vai crescendo... sem que o consiga travar. É tão inevitável como o avançar do tempo. 

 

Mas deixemos as preocupações de lado... foi por ela que vim. E hoje, com super-poderes ou não, é dia de festejar as 51 voltas ao sol da luz da minha vida! A flor mais bonita 

 

Parabéns Mamã 

 

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D