Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

Diário de uma dESarrumada

A espalhar o #cagandoeandando por essa internet fora desde 2015.

30
Mai19

Como que por magia.

Hoje é o dia de limpar esta merda toda. Sozinha. Foda-se.

 

As caixas já estão (quase todas) na cave. Só tenho a carrinha das mudanças amanhã. 

 

Não estou triste, só estou ansiosa para que esta fase da mudança passe. A pior coisinha de mudar de vida é toda a parte da organização. 

 

Quem me dera que fosse só decidir "vou mudar de cidade", estalar os dedos e as coisas aparecessem todas no outro apartamento como que por magia.

 

Para além de querer que a vida fosse como nos filmes porno, também gostava que fosse como nos filmes de feiticeiros. 

 

Não está fácil. 

25
Mai19

Para mim esta publicidade já ganhou o prémio da melhor do mundo.

Existem Oscars para publicidades? Se houver eu quero que esta ganhe um... e se forem uns apaixonados por Edith Piaf como eu (ando a passar por uma fase de vício com esta cantora...) não se esqueçam do pacote de lenços... Não digam que não avisei 😢 música: L'hymne à l'amour. 

 

 

Beijo choramingão, na bunda 💋

 

25
Mai19

Aplicações de encontros, a saga.

Como sabem estou a fazer um jejum. Mas isso não me impede de ir falando com moços diversos, espalhados por esse mundo fora.

 

Quando fui a Paris em Março, ainda tinha o Tinder instalado no telemóvel, e decidi fazer match com uns quantos gajos por lá "para ir apalpando terreno". 

 

Fiz match com uns quantos rapazes, mas só 1 perdurou no tempo. Foi um rapaz que começou logo a falar-me de chocolate e isso atraiu a minha atenção. 

 

Ele não descobriu sozinho. Eu falo desse vício no meu perfil. Só que, são tão poucos os rapazes que realmente lêem o perfil e falam sobre isso. A maior parte começa com um "Coucou, ça va ?" o nosso equivalente de "Olá, está tudo bem?"... Boring...

 

Neste mundo dos encontros digitais a originalidade conta bastante e se nós ficamos pelos básicos, nunca saímos da cepa torta e do mundo do ghosting. 

 

Apesar de ele ter falado de chocolate não respondi. Andava ocupada a falar com outros e com a minha vida, mas ele voltou à carga. Segunda vez. Quando o gajo insiste já é uns quantos pontos de bónus para ele, porque se não o fizerem muitos caem no vortex do esquecimento (quando se é gaja no mundo online, há muitos cães a um osso, só os mais insistentes, sem ser chatos, conseguem. Os que são chatos levam block #sorrynotsorry). 

 

Respondi. E falamos desde então com algumas pausas de 2 ou 3 dias. Às vezes uma semana de pausa. Mas está tudo bem. Quando fui a Portugal deixei de lhe responder no Tinder e o gajo deve ter entrado em pânico porque enviou umas quantas mensagens a perguntar se estava a correr tudo bem, se estava a gostar. Só respondi uma semana depois de ter chegado a França. 

 

O moço mandou logo mensagem, a dar o número dele. Muito ao estilo "deixo-te aqui o meu número, faz o que quiseres com ele"... Eu respondi: "mando-te mensagem amanhã". Mas só mandei ao final do dia, porque era domingo e tinha mais que fazer... Aí a decisão do Panda de Ouro já estava a mandar bitaites na minha mente. E ela veio, devagarinho. E com ela o desespero foi-se.

 

Entretanto mandei mensagem a este moço no telemóvel e desde aí que temos falado regularmente. Sem nunca responder logo... Demoro o tempo que tiver que demorar.

 

Ele chama-se Morgan, mas a partir de agora vou chamar Momô. Podem achar o que quiserem, mas se a Rita Pereira pode chamar o filho de Lonô, eu também posso chamar um gajo quase imaginário de Momô, se me apetecer.

 

Eis que ele começou com umas cenas no trabalho, foi até ao sul de França a um seminário, foi até Veneza e recentemente à Croácia em trabalho. Não sei o que faz, mas farta-se de viajar com o work. E num dos dias, um dos poucos em que eu estava a responder logo, ele deixou de responder.

 

"Pronto, mais um que mal eu dou mais atenção... vai c'os porcos".

 

Não sei que fenómeno é este, mas parece que os homens quanto mais se sentem ignorados, mais andam atrás. Quando começamos a dar muita atenção esfumam-se no ar.

 

Não liguei. Após 3 dias sem responder considerei um ghost e segui com a minha vida. 

 

Hoje, uma semana depois, enviou sms de novo. A dizer que teve que voltar a Veneza, que não conseguiu responder porque tinha muita coisa para gerir... Que a chefe dele programou tudo à última da hora e que ele teve que tratar de muita coisa, etc, etc. Até se desculpou por ter ficado tanto tempo sem responder... 

 

Fiquei sem saber o que responder... Mas estou numa de daqui a umas horas dizer "han? nem tinha dado conta que se passou tanto tempo entre mensagens" 😂

 

Antes tudo era um stress neste mundo dos encontros, aplicações e cenas. Agora sinto que encaro como um jogo, quase um passatempo. Não creio que uma relação séria possa sair deste mundo, por isso, vou aproveitando como posso, sem stress. 

 

24
Mai19

Divagações diversas sobre o turismo em Portugal que se me passaram aqui pela cabeça.

O governo diz que no que depender deles a rede Multibanco continua gratuita. 

 

Acho bem. 

 

Não acho bem é (alguém responsável por isso) não meter nada nos ATM a avisar que são pagos. E a peso de ouro.

 

No ano passado, estive 5 dias de férias em Faro. E levantei todo o dinheiro da semana em ATM. Com cartão português. Porque croma, não sabia que era pago.

 

Tive quase 20€ de taxas e cenas para pagar à custa dessa brincadeira. 

 

Isso e não aceitarem cartões estrangeiros na maior parte das centrais de pagamentos em lojas. Ou não aceitarem de todo cartões em restaurantes... 

 

Em França nunca tive problemas para pagar com cartão português ou cartão, onde quer que seja. Uma pessoa até cai no exagero de pagar 2€ com cartão, porque nunca tenho dinheiro líquido comigo 🤭

 

Não admira que os turistas e imigrantes franceses com quem tenho tido algum contacto, já se andarem a queixar que Portugal está a ficar caro e já não quererem aceitar propostas de trabalho a ganhar 1200€ em cidade, porque não chega para viver (e os tugas que vivem com 580€, como fazem?)... Queixam - se que os apartamentos estão mais caros do que em Paris. Que as pessoas já pedem caução de 6 meses (really? Eu em Paris paguei 2...)

Que os combustíveis são mais caros do que em França e que não compensa viver na periferia. E que não faz sentido isso num país com os salários de Portugal. 

 

Será que os estrangeiros se estão a aperceber mais cedo do que alguns portugueses do buraco em que a inflação está a meter o país? Ou já toda a gente viu e ninguém faz nada enquanto não se tocar no preço da cerveja? 

 

A Tuga que não se ponha a pau. Descobriram que o turismo dava dinheiro e pumba... Começaram a subir preços de tudo e mais alguma coisa. Fazendo com que um dos principais factores de atractividade de Portugal fosse com os porcos : os preços mais baratos.

 

Ainda me lembro de ter ido a Lisboa em 2014 e ter pago 12€ por um quarto de hotel, sozinha. Eram bons tempos.

 

Também me lembro de ir 5 vezes por ano a Portugal porque os preços dos bilhetes de avião Ida-Volta custavam menos de 100€. Eram bons tempos.

 

Agora vou entre uma a duas vezes por ano, e não pago menos de 200€ de cada vez que vou lá. Com esses 400€ consigo ir a Bali 1x por ano. 

 

Se por acaso acaba a água (sabiam que Portugal anda a viver com água que não tem?) ou deixa de fazer tão bom tempo, o turismo baixa... E não é pouco. Afinal, ainda há países quentes mais baratos, e Portugal, deixa de ter assim tanto para oferecer. É uma questão de tempo. Basta um mau mês de Agosto 2 anos seguidos e a fragilidade do turismo vai ser exposta.

 

Posso estar só a dizer merda. Daqui a 5 anos falamos. 

21
Mai19

O meu primeiro Hater.

Este apanhou-me com tempo livre a mais e até mereceu destaque no meu Instagram. Obrigada por seres o primeiro a tirar a minha virgindade de haters aqui no blog, estava a ver que nunca mais chegava nenhum, 4 anos de blog e nada, nem um para amostra... Até chegares tu ❤️

 

Screenshot_20190521_174223.jpg

 

 

(se quiserem ler o resto da minha dedicatória para o Galinhas passem pelo instagram do blog...)

 

Beijo na bunda! 💋

20
Mai19

Actualização.

O colchão foi finalmente vendido!!! 😀 O fogão também! 😁

 

É oficial, as coisas grandes e mais difíceis de vender já foram! 

 

Só falta:

-uma secretária branca;

-uma mesa da sala do Ikea;

-um microondas. 

 

Estes só ainda não foram porque ainda preciso da mesa e do microondas para comer até ao final do mês, se não até já tinham ido porque não são difíceis de vender.

 

É oficial... O apartamento está quase vazio. Agora é arrumar tudo que está no chão, meter em caixotes, enviar um caixote com panelas, frigideiras, pratos, copos... Aos meus pais. 

 

E estou pronta. Falta menos de 2 semanas. 

 

Go, go, go! 

👍🏻

 

20
Mai19

Dizer adeus ao ego no minimalismo.

Desde o dia 2 de Maio que tenho passado muito tempo sozinha aqui neste apartamento vazio de móveis e outras tralhas. Enquanto escrevo este texto para vocês ouço o ecoar das teclas pela sala. E depois mais nada, silêncio. Mas nem sempre foi assim. 

 

Na primeira semana aqui sozinha ouvia muitas vozes. Vozes dentro da minha cabeça. Vozes que não costumam lá estar quando estou no trabalho, acompanhada de amigos, ou simplesmente na rua. Quando estamos concentrados em alguma coisa, ouvimos vozes na nossa cabeça, claro, mas normalmente estas estão relacionadas com o que estamos a fazer. Se experimentarem estar sozinhos em casa. Sem literalmente nada para fazer. Numa divisão vazia... a voz que vão ouvir é diferente. 

 

E admito que no início fiquei assustada com as coisas que essa voz me dizia: "quem és tu???", perguntava. Sem resposta. Porque esta voz só quer encher o vazio, correspondendo a anos e anos de programação mental.

 

No final da primeira semana, lembro-me que essa voz continuava lá, mas estava mais calma, dizia coisas mais simpáticas. E soube então, que essa voz era EU. Aquilo que realmente sou estava ali. Conseguia ouvir nitidamente quem sou, num apartamento vazio, com eco, sem nada para me ocupar a mente. Estava ali. E ao final de alguns dias de meditação, sem fazer de propósito para que tal acontecesse, uma vez que me vi "forçada" a estar em silêncio, essa voz foi ficando, cada vez mais calma.

 

Isto também acontece quando medito. Mas quando medito, tenho tendência a fazê-lo só num determinado espaço de tempo. Por exemplo, 5, 10, 15 ou 30 minutos por dia. Desta vez é diferente, porque dura o dia todo. Quase como se estivesse a fazer um retiro espiritual de 1 mês. E está a resultar.

 

Estas vozes que ouvimos são o "ego" e o nosso "verdadeiro EU". Como distinguir uma voz da outra?

 

EGO  - Aquela voz que pensamos que somos nós, mas afinal não. Esta voz só quer o melhor para si mesma. Quando pensamos estar a tomar um decisão boa para nós, isso muitas vezes é só o ego a comandar. No entanto, o ego foi e é útil. É ele que nos permite uma integração na sociedade quando somos crianças e adolescentes. Através dele percebemos de que nacionalidade somos, em que contexto social estamos integrados, que cor de pele temos, que sexo temos, que profissão queremos exercer, etc.

 

Mas, muitas vezes, essas crenças que o ego nos traz, não são verdadeiras. Acreditamos que temos que exercer determinada profissão para sermos felizes. Que temos que ter uma certa quantia na conta bancária para sermos pessoas realizadas. Que com a idade X temos que estar casados e com filhos. Eu caio em todas estas armadilhas do ego, e isso traz-me ataques de ansiedade regulares de há uns anos para cá. Porque acho que, na minha vida, devia estar ali, e não aqui. O ego diz-me vezes e vezes sem conta que sou uma falhada.

 

O que acontece quando perdemos uma parte do que nos identifica em relação ao ego? Quando mudamos de país? Quando estamos longe das pessoas que conhecemos? Imaginem que tinham que largar tudo, que tinham que fugir do vosso país, deixando documentos e todos os vossos pertences para trás, obrigando-vos a mudar de nome, de aparência física, de localidade, sem nunca mais ver a vossa família... Se isso vos acontecesse, o que é que sobrava?

 

Quando conseguimos silenciar o ego, ouvimos a nossa verdadeira voz, aquela voz que realmente somos. E nestas últimas semanas tenho-me conseguido ouvir a mim, sem o ego a interferir. E que bem que sabe conhecer-me melhor a mim própria. 

 

 

Olá, esta és tu.

 

Muito prazer.

 

Podias ter chegado mais cedo.

 

Estava à tua espera. 

 

 

Esta voz eu considero-a o meu GUIA ESPIRITUAL. A voz que me diz quem realmente sou. A voz que me diz que, mesmo que erre, não é assim tão grave. Mesmo que perca tudo, hei-de sobreviver. Porque afinal, estou a "errar" em relação a quê? Quem ditou qual é o percurso ideal? Quem decide qual o caminho correcto? Quem decide o que é meu?

 

 

Ninguém. Nem eu mesma posso decidir isso.

 

 

O presente é tudo que temos. E estes dias de silêncio fizeram-me ainda mais ter a certeza daquilo que realmente tenho. Libertei-me de muita coisa, tanto física como mentalmente. E essa libertação do ego deixou-me mais leve, pronta para seguir em frente, sem pesos mortos. Sei que ainda há muito caminho para percorrer nesta busca pelo essencial...

 

liberdade_do_ego_desarrumada_diario_blog.jpg

 

...sei que, de repente, tudo que possa correr "mal" no futuro, deixou de ter assim tanta importância a longo prazo. Um mau dia, não significa que tenha uma má vida. E quando me stresso com alguma coisa, quando começo a entrar em pânico com a nova fase que aí vem, olha para dentro de mim própria e pergunto: "quem és tu?"

 

E de repente tudo faz sentido.

 

Porque eu não sou o meu ego. Eu sou eu. E isso é tudo que tenho

 

 

 

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D