Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dESarrumada

Diário de uma dESarrumada

10
Mai18

Feriado.

Esta semana tivemos dois feriados aqui em França. Um na terça e outro hoje. 

 

Hoje de manhã fui trabalhar. Nada de mais, fico sempre com aquela sensação de não ter feito nada de extraordinário nas poucas horas que estive pelo Centro, mas um dia vi esta frase na internet e ficou-me na cabeça, guardo-a para quando acho que o meu trabalho não serve para muita coisa "se as minhas acções ajudarem, nem que seja uma pessoa, a respirar melhor, então tudo valeu a pena". Hoje ajudei 3 pessoas a respirar melhor, literalmente, por isso devo estar no bom caminho para a realização profissional, e acima de tudo, pessoal. Espero.

 

Ontem foi uma noite boa. Fomos ao kebab entre amigos e colegas de trabalho - já aprendi a diferenciar uma coisa da outra, estou mesmo a ficar crescida, dizem - e senti-me muito bem. Não culpabilizei por causa daquelas batatas fritas cheias de óleo e aproveitei bem o momento. Tenho-me sentido bem no momento presente, não sempre, mas mais frequentemente do que há uns dias atrás.

 

No entanto, ontem estava lá a minha antiga colega de trabalho - aquela das mamas grandes que me fazia a vida num inferno e que eu tão carinhosamente chamava de vaca - e não pude deixar de comparar a minha vida actual com a dela, uma vez que só temos um ano de diferença e temos a mesma profissão. Sei que prometi que me deixava de comparações, porque não levam a lado nenhum, mas não consegui impedir, e ao chegar a casa senti-me bastante mal. Acho que em muitos aspectos estou a ficar para trás. Ela conseguiu despedir-se e procurar um outro trabalho que lhe agrade mais, tem um namorado e parece ter imenso tempo para tudo. Apesar de ter um trabalho com uma carga horária maior que o meu parece estar mais próxima de realizar os seus sonhos e ter mais tempo para fazer o que gosta. Um exemplo de algo que me frustrou, eu andava super contente por ter um tomateiro-cereja a crescer na varanda, já ela tem vários tomateiros, e morangueiros e até alfaces, na varanda dela. Como é que alguns conseguem ter tempo para tanto, e outros não? Absurdo, eu sei.

 

Não invejo de todo a vida dela, não sonho com as mesmas coisas que ela, nem temos os mesmos objectivos de vida. Sei também que a vida de um dia para o outro dá uma volta de 180º, que estou todos os dias a uma decisão de mudar TUDO, e que se quisesse daqui a um ano não iria reconhecer nada na minha vida. Mas também sei que às vezes precisamos de fases mais "rotineiras", para parar, olhar e atravessar. Quem sabe ganhar balanço para outros voos maiores.

 

Sim, a comparação não leva a lado nenhum. E sei que se este post tivesse sido escrito ontem à noite quando cheguei a casa lavada em lágrimas, não teria, de todo, tido o mesmo conteúdo. Agora vendo as coisas a frio sei que não estou assim tão mal. Se efectivamente podia ser mais pró-activa na procura de algo melhor? Podia. Se podia contactar mais pessoas e tentar fazer mais networking? Podia. Se tenho um medo sufocante de acordar "tarde de mais" e achar que já sou demasiado velha para realizar os meus sonhos? Ó se tenho, todos os dias.

 

Mas isto é a ansiedade a falar. E não posso dar-lhe ouvidos. Caladinha. Hoje quem manda sou eu.

08
Mai18

Já se sabe que a malta gosta é de ver desgraças...

... é parar em plena auto-estrada para ver um acidente de carro;

... é fazer um aglomerado de gente à volta da vítima se por acaso alguém tem o azar de desmaiar num concerto;

... é ir ver um incêndio, de longe, muito longe, para se poder dizer quão mal aquilo estava (ao menos levem água aos bombeiros);

... é ficar a olhar para uma pessoa em cadeira de rodas na rua e fazer a questão mental "o que lhe terá acontecido?";

... é parar de jantar só para ver aquela notícia na televisão sobre outro atentado.

 

 

Todos gostam de ver desgraças, mesmo que não queiram admitir. Ainda que esse momento não proporcione prazer nenhum, ainda que haja aquela sensação de peso na barriga e garganta apertada, a malta pára e fica a olhar.

 

Por isso é que este post aqui do barraco foi destacado pelo SAPO. 

 

Porque a minha vida amorosa neste momento parece um acidente em que dois comboios colidiram de frente um com o outro. Já há 3 anos que assim é, e os posts das minhas breakups estiveram sempre entre os mais lidos. A malta fica especada a olhar, quer seja na vida real ou num blog! E vai voltando para ver as outras desgraças que vão acontecendo.

 

Mas eu gosto de vocês na mesma. E faço este post para dizer que são sempre bem-vindos a este cantinho desarrumado. 

Tirem os sapatos e instalem-se confortavelmente que isto ainda agora começou!

 

Beijo na bunda! 

 

07
Mai18

Missão #em2018ficoboa | 4

Lembro-me de ter ido correr em Setembro e só ter feito 10 minutos. Muito sofriditos que eles foram. Quase que cuspia um alvéolo pulmonar cá para fora (ou muitos, que eles são muito pequenitos, bem, acho que perceberam a ideia!).

 

Se me dissessem que ia conseguir correr 5,3km em 36 minutos eu ia dizer: "estás maluco??? nunca na vida!"

 

E não é que ontem consegui esta proeza??  E não me custou assim tanto!

 

Tenho corrido entre 2 a 3 vezes por semana, mais 1 ou 2 sessões de HIIT. Os outros dias são de pausa [ sagrada! ]. A alimentação só está controlada há uns dias (estive de férias em Portugal e a coisa descambou) por isso, o peso continua nos 66 e picos, às vezes 67. Gostava de chegar aos 60 até Setembro (em Setembro de 2017 tinha 72kg), mas não tenho posto muita pressão em cima dos meus ombros para emagrecer. Só quero sentir-me bem comigo própria, e tenho andado contente com o corpo que tenho neste momento!


Prontos, tinha que partilhar esta façanha aqui! Isto não é só coisas tristes nesta bida de dESarrumada! Às vezes também fico feliz e contente  Estou super orgulhosa de mim própria. Novo objectivo: 10 km! Quando?? Num faço ideia!

06
Mai18

dESarrumada dá um saltinho ao paleolítico: almôndegas paleo [ receita ]

Como prometido no Instagram - também disse lá que tinha voltado seriamente à alimentação paleo! - venho hoje dar-vos a receita de umas almôndegas que experimentei esta semana. Coisinha mais fácil não há! E acompanham com tudo, pode ser desde salada, legumes cozidos, esparguete de courgete, etc. O céu é o limite!

almondegaspaleo.jpg

 


Ingredientes: 

 

Carne picada (eu tinha 200gr porque era só para mim)

1 cenoura cortada em cubos pequenos

Cebola picada

Alho picado

4 colheres de sopa de farinha de amêndoa

1 ovo (para unir tudo)

 


Mistura-se tudo e faz-se as bolinhas com as mãos. 



Têm duas opções para as cozinhar, ou metem tudo no forno num tabuleiro forrado com papel vegetal ou fritam em azeite ou óleo de sésamo. Eu escolhi a segunda opção porque fui gulosa, mas cozinhar as almôndegas no forno é a opção mais saudável.

 

Acompanhei com uma salada de alface, tomate coração, pepino e azeitonas verdes.
Molho da salada: vinagre balsâmico e um bocadinho de mostarda de Dijon.

 

Nota: eu fiz as bolinhas com os legumes cortados aos cubinhos e elas desfaziam-se um bocado nas mãos... por isso o conselho que dou é triturarem os legumes (cenoura, alho, cebola) antes de os misturarem com a carne e a farinha de amêndoa. As almôndegas vão ficar mais fáceis de moldar.

Meus lindos, se experimentarem digam como ficou e/ou partilhem no Instagram! 

06
Mai18

Alguém consegue ouvir estas músicas sem esboçar um sorrisinho???

Estas são algumas das músicas que fazem parte da minha "happy playlist" do Youtube, que já vai começando a ficar grandinha. Músicas que ouço quando estou mais em baixo, quando vou correr, ou às vezes de manhã para começar bem o dia!

 

Digam lá se não é de se ficar com um sorriso parvo estampado no rosto a ouvir isto???  

 

 

 

  

 

05
Mai18

Códigos promocionais em artigos de luxo.

Tenho uma amiga que utiliza códigos promocionais para tudo. Literalmente tudo.

Sempre gozei um pouco com ela. Mas quando comecei a ver as coisas giras que ela compra online sem pagar o preço inteiro, comecei a ver que ela até tem razão numa coisa. Para quê pagar mais, se posso pagar menos?

 

Tem razão sim senhora, então agora antes de comprar algo online, tento ver se há algum código disponível em sites de promoções, ou em sites de vendas-privadas (ventes privées) que são mesmo muuuuuito utilizados aqui em França.

 

Já comprei algumas coisas assim, em promoções online. A minha mala Valentino tamanho grande (tão a ver aqueles baús onde cabe tudo e mais alguma coisa?) foi comprada assim, por exemplo.

 

Agora sonho e babo por uma mala Michael Kors tamanho médio, para situações mais descontraídas, claro está. Mulher que se preze tem que ter uma mala diferente para cada ocasião.

 

Se acredito no que acabei de dizer? Não. Não sou assim tão fútil e uma mulher usa uma mala quando quiser, com o tamanho que quiser. Mas às vezes também mereço dizer este tipo de merdas aqui na blogosfera. Como costuma dizer uma das minhas melhores amigas quando quer justificar alguma compra mesmo fútil e acima das suas possibilidades do momento: "eu trabalho, eu posso" 

 

Estou só à espera de uma promoção fixe no site Zalando. Site que permite comprar online e devolver o produto se não estivermos satisfeitos. O que dá imenso jeito para sapatos, calças, etc. em que não temos a certeza do número e tamanho do site.

 

Ou mesmo naquelas situações de compras impulsivas em que quero comprar este mundo e o outro e depois me apercebo que já não tenho dinheiro para acabar o mês e que é melhor comer massa com atum até ao dia 31. Mas como evito comer glúten por causa dos meus intestinos sensíveis, lá vou eu com a viola no saco devolver o produto, e rezar para que a devolução do dinheiro ainda aconteça antes do mês acabar. Been there, done that!

 

 

04
Mai18

Dinheiro = amor

As coisas com o S. não resultaram, muito por escolha minha, o resto por escolha dele.

Quando no início de uma relação alguém te diz que há certas coisas sobre a sua vida profissional que nunca te vai contar... não fiques com medo de ser julgada se saires de fininho: corre com quantas pernas tiveres! Até sair um pulmão cá para fora ou algo do género.

 

Conheço uma moça que tinha dado tudo para conhecer um rapaz assim riquíssimo e cheio de "amor" para dar. Mas eu não procuro este tipo de amor comprado. Pessoas tão vazias que a única coisa que têm é uma conta cheia no banco.

 

Quando alguém me diz na esplanada de um restaurante:

 

"Olha aquela ali, levantou-se para ir buscar o casaco do marido ao carro. Tu podias ser assim comigo."

 

Eu não sou fria, atenção. Mas nesse dia estava com muito frio porque não levei casaco, deixei no carro, ele tinha levado o dele. E nem se apercebeu disso quando falou. Naquela noite específica, quem estava com frio era eu. E não só o marido da outra senhora.

 

Quem é que tem que fazer o quê, numa relação, afinal? Pergunta difícil de responder. Afinal uma relação faz-se a dois, em simultâneo, sem sistema de trocas e transacções, ou estarei enganada? Aos olhos de alguns que só pensam em receber, os meus argumentos não têm peso nenhum, tal como os dele não tiveram para mim.

 

Eu cá não gosto do dá-cá-toma-lá, ele parecia gostar. Mas quando um tem muito mais para dar que o outro, a coisa está fadada ao insucesso, seja dinheiro ou amor. Cada um dá o que tem.

 

Quando acabas e alguém te diz: "Olha e a gasolina toda que gastei naquelas duas vezes que fomos passear? Quem me devolve esse dinheiro?"

 

Pois. Cada um dá o que tem, claramente alguns têm mais para dar que outros. E não estou a falar de dinheiro no banco, que esse ele tinha muito. Mas eu queria dar amor e ele só tinha dinheiro.

 

Há muita coisa que o dinheiro pode comprar. Disso não tenho dúvidas nem nunca terei.

 

Mas o dinheiro não compra amor, pelo menos por enquanto, muito menos o meu.

 

02
Mai18

Faltar ao trabalho por causa dos pêlos???

Ah pois, ontem quando cheguei a casa, da tal viagem de autocarro que durou 22 horas - que afinal não foram 22 horas, mas sim 24 horas porque houve uma avaria no autocarro e tivemos que trocar para outro às 3 horas da noite em Espanha - tive um momento de self care

 

Afinal, já não depilava o buço nem as sobrancelhas há 10 dias, e só Deus sabe, como um simples pêlo numa mulher peluda demora exactamente 16 horas e 34 segundos pós-depilação a voltar a crescer.

 

Começo o processo.

 

Esfoliação - lavar a cara com uns produtos fixes - sim, porque agora que já passei o quarto de século e me aproximo perigosamente dos 30, já tenho produtos especiais para lavar a cara, abdicando assim do sabão de Marselha que tanto me ajudou a poupar uns trocos (para mim é o equivalente francês do sabão azul).

 

Meti pó-de-talco na fuça - ganhei este hábito quando uma vez usei bandas que não agarravam à pele - e lá fui eu buscar as bandas.

 

Silêncio.

 

O sítio onde costumo guardá-las tinha uma caixa da Veet - V - A - Z - I - A

 

É o pânico.

 

O horror.

 

Suores frios começam a escorrer por mim abaixo...

 

O cérebro entrou em ebulição, a pensar em todas as desculpas possíveis para faltar ao trabalho.

 

 

* Nem pensar que eu vou trabalhar assim * 

 

 

* Amanhã ligo para o meu chefe e digo:

 

a) que fiquei com uma caganeira por causa do pollo frito que comi ao jantar naquele tasco espanhol

b) tive uma contractura muscular grave por estar tanto tempo sentada e fui parar às urgências 

c) o autocarro ficou preso numa alfândega qualquer nos Pirenéus *

 

 

Qualquer desculpa era válida naquele momento.

 

* Já sei, vou dizer que me converti ao islamismo e amanhã levo uma burca vestida. Boa ideia! *

 

Já estava mais do que convencida que ia passar a noite toda a estudar o Corão e eis que, ao sair do duche, encontro, entre as toalhas do armário, uma caixa inteira de bandas de cera depilatória fria para o rosto.

 

Fui salva! Salva pela minha mania de fazer stock de coisas. Mania essa que já tentei perder e que agora me salvou, literalmente, o pêlo.

 

Habemus lábio superior depiladinho, habemus duas sobrancelhas separadas.

 

Digam todos comigo "adeus monocelha"!

 

 

Pág. 3/3

Bem-vindos ao meu diário, um lugar seguro onde podemos falar sobre tudo. Já comentaram hoje? Bisou, da vossa dESarrumada.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Diário em fotos

Desarrumações antigas

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D