Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma desarrumada

Sátiras da vida de emigrante de uma desarrumada.

Diário de uma desarrumada

Sátiras da vida de emigrante de uma desarrumada.

15
Jan19

Produto da semana // A Milka já ganhou com o Patamilka!

Na primeira rubrica deste post que saiu logo após o Natal falei-vos da moda da camisola feia de Natal. Desta vez entro numa área diferente, mas quase que aposto que é uma das preferidas de todos: comida!

 

É claro que para estrear a rubrica na categoria da comida tinha que vir falar-vos de um alimento que me agrada bastante: o chocolate Milka. Digo alimento, não por engano, mas porque já cheguei a fazer refeições inteiras só com este chocolate: not guilty !


Já vos falei aqui no blog sobre a vaca violeta da Milka ser o meu animal preferido, a seguir aos unicórnios claro está. Mas, agora foi a vez das marmotas mais fofas entrarem na minha vida! A Milka aqui em França lançou um produto fantástico, capaz de provocar rios de baba nos mais gulosos e viciados em chocolate: um creme de barrar chamado Patamilka !

 

A publicidade, que tem passado na televisão, está espectacular e foi inspirada numa outra publicidade da marca, de há 20 anos, que ficou muito conhecida por todos e que se tornou uma referência utilizada em muitas conversas. Deixo-vos o vídeo da publicidade antiga seguido da publicidade nova, estão adoráveis 

 

 

 

E vocês, ficaram com vontade de provar este creme de barrar??? Admito, viciada em Milka me confesso, para mim a Nutella já era! 

 

patamilka_produto_da_semana_desarrumada.png

 

Beijo achocolatado... na bunda! 

14
Jan19

Nunca pensei rir tanto com um vídeo de ASMR.

Conheço o ASMR há anos e as noites que adormeci a ouvir isto já são incontáveis #SofredoresDeInsóniasVãoPerceber Isto foi algo que revolucionou a minha vida para melhor, sem dúvida. Mas nunca, nunca, pensei que um vídeo de ASMR me fosse fazer rir tanto. Por estas e por outras é que, para mim, a Bumba na Fofinha é a rainha do humor em Portugal 

 

 Bumba, adoro-te! 

 

Faz-me um filho!

 

Ah pois...

 

Esquece o filho...

 

Somos duas gajas.

 

Mas comia na mesma *wink wink maroto*

 

E sendo das Beiras posso sibilar-te ao ouvido sempre que quiseres 

 

 

Beijo na bunda... da Bumba!!! 

13
Jan19

Uma ida à esteticista dentro da minha cabeça.

Depois da saga uma idas às compras dentro da minha cabeça e uma ida a um WC de festival dentro da minha cabeça, apresento-vos uma ida à... é só ler o título do post, ok ?

 

* epah, a viagem está a aproximar e aquilo ainda são duas semanas, se calhar é melhor depilar este matagal com cera não vá uma pessoa ficar perdida no fim do mundo lá na Austrália, sem acesso a água corrente e vida civilizada... e, horror dos horrores, sem possibilidade de passar uma gilette nestes pêlos *

 

[ toca de ligar para marcar o rendez-vous um mês antes, porque isto aqui em França não há cá essa coisa de aparecer na hora. sendo que para eles aparecer na hora é ligar na própria semana ]

 

- Tô? Allô, allô, olhe desculpe, era um rendez-vous para arrancar o pêlo às virilhas, pernas inteiras e axilas, faxabor .

 

Chegou o dia fatídico, ontem... já não arrancava pêlos com cera há quase um ano. Estava com cagufa. Muita. Chego e a senhora encaminha-me para o gabinete onde estava a marquesa, uma musiquinha zen e uma decoração muito gira.

 

Diz-me para me despir muito educadamente (a politesse francesa sobre a qual já vos falei no meu Podcast, lembram-se???) e sai.

 

* epah, esta musiquinha de fazer bebés é que não, que estou com o período e começo já aqui a chorar ainda antes de ela arrancar o primeiro pêlo *

[ começo a tirar a roupa e a metê-la num cadeirão tudo destrambelhado à la dESarrumada ]

 

* porra rapariga, pensas que estás em casa? dobra lá essa camisola como deve ser, vira as calças ao contrário que as deixaste do avesso e toca de desenrodilhar essas meias que isso mais parece um novelo de lã *

 

* fogo, já nem posso ser eu própria na minha própria cabeça, tem que vir para aqui esta voz da razão mandar vir comigo *

 

* shiu, faz o que te digo e cala-te *

 

*ok, ok, vamos lá deitar as nalgas na marquesa e relaxar *



[ creeeeee... ]

 

[ creeeeee... ]

 

* rai's parta estes papéis de rolo que eles metem nestas marquesas, isto rasga-se logo quando uma pessoa senta o cu e ainda nem sequer me deitei. *

 

[ creeeeee... ]

 

[ creeeeee... ]

 

* puta que pariu, desisto, vai ficar rasgado e vai. assim com'àssim isto no final da sessão já está a ficar colado por tudo quando é reentrâncias do meu corpo por causa da transpiração e bocados de cera *

 

[ a senhora entra e pergunta se estou confortável ]

 

- sim, ótima.

 

* estás a mentir com quantos dentes tens na boca *

 

* shiu, cala-te *

 

[ começa pelas axilas ]

 

[ passa uma tonelada de pó de talco por todo o lado, suficiente para absorver toda a transpiração do meu corpo. tudo numa só axila ]

 

[ mete a cera com uma espátula ]

 

[ ZÁS ]

 

* FODA-SE!!! * 

 

* já me tinha esquecido do quanto esta merda dói *

 

* tenho a certeza que levou pele atrás, só pode *

 

[ olha para a desgraça, só tinha arrancado o equivalente a 3 cm, ainda faltava p'raí 3/4 da axila ]

 

* isto vai demorar mais do que aquilo que tinha pensado *

 

* 'tou fodida *

 

[ quando chega à outra axila mete cera por todo o lado como se estivesse a barrar Becel no pão ]

 

[ ZÁS ]

 

[ arranca tudo de uma vez ]

 

[ procedeu da mesma forma para as pernas ]

 

[ a perna esquerda fez às mijinhas e ficou uns 15 minutos nessa ] 

 

[ já a perna direita foi um besuntar de cera que aquilo era uma festança... e depois é pegar na banda e pumba, pumba, pumba, num minuto estava a perna toda careca ]

 

* que raio de método *

 

* ela lá deve começar com calma e paciência mas depois resolve dizer que sa foda e o segundo membro é feito a despachar *

 

[ chegámos à paxaxa, essa desgraçada fica sempre para o fim ]

 

[ pumba, um litro de cera na parte de cima do "triângulo", entre o umbigo e a dita cuja ]

 

[ dá pancadinhas com a mão na cera até esta secar ]

 

[ e ZÁS ! lá se vai a paxaxa c'os porcos! ]

 

* ai c'um carago, foi desta que fiquei sem pele! se fosse um homem JÁ TINHA FICADO SEM PILA *

 

* aguenta, está quase *

 

[ afasta-me as pernas ]

 

* ai não. ai não. chegou a parte de baixo. é agora que ela me arranca os beiços da paxaxa *

 

* já foste. nunca mais vou poder fazer o amor. vou ficar com a vulva desfigurada *

 

* lá se vão os encontros com os gostosos do Tinder *

 

[ ZÁS ]

 

[ ZÁS ]

 

[ ZÁS ]

 

* nossa, é desta que ela me mata! *

 

* já fiquei com a paxaxa a arder. chamem os bombeiros! *

 

* nunca mais aqui volto * 

 

[ levante a perna, agarre-a e mantenha o seu joelho contra o peito ]

 

* pronto, agora 'tou aqui toda escanchada enquanto ela me mete cera no cu *

 

[ entra um cliente na loja e a porta da entrada faz dlim-dlão]

 

[ a senhora sai para ver quem entrou e dizer-lhe para esperar, deixando a porta do gabinete onde eu estava entreaberta ]

 

* entretanto eu fico aqui agarrada ao joelho a apanhar com ventinho na dita cuja e com cera a arrefecer no traseiro, boa, um momento para recordar com orgulho *

 

* ninguém merece passar por esta humilhação na vida *

 

[ senhora chega ]

 

[ ZÁS ]

 

* fiquei sem esfíncter anal *

 

[ ZÁS ]

 

* isto dá vontade de fazer cocó *

 

[ espalha um óleo que arde por todo o lado ]

 

 * nunca mais aqui volto * 

 

[ arde ]

 

* nunca mais aqui volto * 

 

[ arde mais um bocadinho ]

 

* nunca mais aqui volto A SÉRIO * 

 

[ acabou a sessão]

 

[ visto-me e faço o walk of shame até ao balcão para pagar ]

 

[ manda para cá 40€ e não digas que vais daqui ]

 

[ saio, olho para o preçário que estava na porta e vejo que me tirou 5€ à conta final ]

 

* acho que lhe fiz pena e até me baixou o preço *

 

* obrigada senhora, foste implacável mas estás cá dentro *

 

[ afasto-me do salão de estética, olho para trás tentando pensar numa estratégia para nunca mais ali voltar... ]

 

* até podia pegar fogo a isto tudo, mas daqui a 4 semanas os pêlos estão de volta... deixa-te disso *

 

[ fui ao supermercado e comprei um chocolate para abafar a dor ]

 

[ quando cheguei ao carro comi o chocolate com uma lágrima no canto do olho ]

 

* se não fosses tu, chocolatinho da minha vida, não sei o que seria de mim! *

 

 

Beijo na bunda! 

 

12
Jan19

Segundo dia do período.

Estar com o período a um sábado de manhã e no inverno é das coisinhas mais desagradáveis de sempre! Ora atentem neste dilema:

 

Deixo o sangue que me sai da vagina em modo enchorrada a escorrer até sujar as calças do pijama, a cama, o colchão, a alma... obrigando-me depois a ter que lavar tudo à mão vezes e vezes sem conta até concluir que a mancha não vai sair, e que se tornou agora numa recordação amarelada do que outrora foi um período vermelho, vermelhante, vermelhão?

 

Ou simplesmente saio do quentinho dos meus lençóis - um espaço onde posso sonhar com os dias mais quentes que se aproximam - apanho com o frio de rachar da vida real nas trombas, deito uma lágrima pela alma trocidada e manchada, e vou à casa de banho trocar de proteção?

 

Hmmmmm.... Dilemas, dilemas ... 

11
Jan19

Diário de bordo 11.01.2019

Nem sempre a vida nos dá o que queremos quando queremos. Às vezes olhamos à volta e ficamos com a impressão de que já todos têm o que nós queremos. E vem aquele sentimento de se ser incapaz, de não se estar à altura das expectativas. Já passo por isto há muito tempo. Esta capacidade crónica de estar quase sempre insatisfeita. A vida só por si não me satisfaz. Ou é essa a impressão que tenho. E por isso vou andando nesta vida à deriva, ao sabor do vento, a achar que estou a controlar alguma coisa.

 

Coitadinha de mim, pffff, achar que controlo nem que seja só um bocadinho o rumo dos acontecimentos, o encadeamento de acções e consequências. Já disse aqui e vou repeti-lo várias vezes até entrar : tentar planear o futuro não serve para nada. Não existe utilidade prática em tentar viver o futuro que ainda não aconteceu vezes e vezes sem conta na esperança de saber se a escolha que estou a fazer é mesmo a melhor de todas.

 

Hmmmm... a ansiedade já não bate tão forte como antigamente, nesse aspecto 2018 foi o ano de dizer adeus a esta merda... Mas de vez em quando, encontro por aqui neste cérebro de gavetas desarrumadas, uns resquícios de medo e paralisação da escolha que pensava já ter abolido. Isto é para a vida toda. Isto é para a vida toda. Às vezes baixo a guarda e o pensamento acelerado volta. Mas o compromisso que assumi comigo mesma para ser feliz, independentemente do caminho que escolher, é muito mais importante do que qualquer resto de ansiedade que ande para aqui perdido.

 

E na última quarta-feira tive alta da psicóloga. Ela diz que estou apta a gerir as minhas emoções sozinha, que já não preciso de trabalhar a regulação emocional. Por isso a partir de agora estou oficialmente "por minha conta". Vá, vamos embora que ainda há muito para fazer nesta vida.

 

10
Jan19

Digam de vossa justiça...

Aqui o blog mais desarrumado da internet já teve Instagram, depois deixou de ter... agora estou indecisa se volte a ter Instagram ou antes uma página no Facebook, ou ambos??? Hmmmm.... ou nenhum???  a ideia seria ter um meio suplementar para partilhar parvoíces em fotos e/ou stories e estarem sempre a par dos posts novos de uma forma mas "imediata"... Que acham?

 

Beijinho na bunda 

09
Jan19

E se o blog tivesse um Podcast?

Está na moda. Toda a gente está a fazer um. Mas aqui a vossa dESarrumada às vezes até gosta de estar na moda. E gosto de falar! Muito! Falo pelos cotovelos. Às vezes no meio da rua os meus amigos até fingem que não me conhecem...  

 

Isto hoje foi só um teaser onde vos falo de uma nova espécie de animais que migrou para França no ano passado... por isso ficou curtinho... e, apesar de não gostar de coisas curtas decidi partilhar na mesma! Porque vos amo  e porque sou um bocado sádica!  não se preocupem, se não gostarem o botão de pausa está lá pronto a usar!

 

E claro, por motivos de experiência social e antropológica, não queria impedir-vos de conhecer o meu sotaque franco-serrano e até, quiçá, poderem gozar um bocado com isso! Ouçam e digam de vossa justiça se é para continuar ou se devo dedicar-me ao meu sonho de infância de ter uma criação de ovelhas na serra da Estrela.

Beijo na bunda! 

 

 

07
Jan19

Como perder o peso do final de ano?

O pânico, o horror, ganhou 5 quilos entre o dia 1 de Dezembro e o dia 2 de Janeiro. Já andou a ver as dietas da moda, já está a decidir que vai cortar nisto e naquilo... hidratos de carbono fora! Obra do demónio! Fruta??? Xiiiiiça vade retro Satanás! Já pesquisou todas as detox possíveis e imaginárias, já comprou sementes de chia e linhaça, aquelas barras proteícas de chocolate, aquele leite de coco que custa um rim e já sabe que de segunda-feira dia 7 não passa!

 

 

Hoje trago cinco dicas para voltar a perder rapidamente o peso que ganhou. Dicas infalíveis que não vai querer perder:

 

 

1) Olhe-se ao espelho e veja todos os defeitos corporais que tem, olhe-se de cima a baixo. Veja aquele pneuzinho nas costas, as estrias nas ancas, a flacidez na parte posterior das coxas. Já que está olhe também para as mamas descaídas e a barriga de cerveja (mais aquela costelazinha de leitão). Hey, eu disse que era para ver os defeitos todos, não só os que estão relacionados com o peso, por isso atente também no seu nariz de papagaio, nos pêlos do queixo, nas suas olheiras, no cabelo baço e nos dentes tortos...

 

 

2) Agarre a sua barriga e sinta-a entre as mãos. Toque nos seus seios. Passe a mão por cima dos seus pêlos e das suas estrias. Sinta a textura da sua pele e a maciez das suas gordurinhas. Sinta-se de cima a baixo, com as duas mãos, sem medos, sem receios, descubra o seu corpo, toque em sítios que normalmente costuma ter vergonha de tocar. Olhe para partes do corpo que normalmente costuma ter medo de olhar.

 

 

3) Repita em voz alta: "tenho mais defeitos do que aqueles que consigo contar, mas este corpo é apenas o meu instrumento de vida, o recipiente que aloja a minha alma lá dentro. EU SOU MAIS DO QUE ESTE CORPO, EU SOU MAIS DO QUE A MINHA APARÊNCIA EXTERIOR". Repita isto quantas vezes forem precisas até começar a acreditar que o que diz é verdade. Se não começar a acreditar, faça de conta. Finja que ama o seu corpo. Confie no processo.

 

 

4) Trate-se bem, tenha compaixão de si próprio. Perdoe-se. E siga em frente. O seu EU do passado não tinha forma de saber o que sabe hoje. 

 

 

5) Agora comece o dia em paz e coma o que o seu corpo lhe pedir. Coma intuitivamente, faça uma alimentação que lhe pareça o mais natural possível para si. Já sabe que o que vem da natureza tem mais probabilidades de fazer bem à saúde, então aposte nisso: água, legumes, frutas, produtos de origem animal, se o desejar. Não entre em modas, não gaste 50€ em produtos que não sabe como consumir. Aquela proteína Whey não vai mudar a sua vida, aquelas sementes de chia não vão fazê-lo amar mais o seu corpo, a manteiga de amendoim que se esqueceu que tinha no armário não o fez acordar de manhã a ter mais amor próprio. Faça actividades físicas que goste mesmo. Não vá a correr gastar um balúrdio num ginásio ou numa box onde nunca vai entrar porque prefere ir correr ou caminhar no parque. Ouça-se a si mesmo, por favor!

 

 

Ame-se tal como é e viva uma vida mais saudável de forma intuitiva. Confie em si e nos seus instintos. O corpo sabe o que precisa e pouco a pouco ele vai ganhar uma forma exterior adaptada à sua maneira interior de estar na vida. Não se martirize, não se deteste, não viva com culpa. Isso não é viver, é sobreviver. Agora vá, comece o  ano em grande.

 

 

Esteja presente, aqui e agora.

 

 

06
Jan19

Os desejos de Rosalina parte III

O próximo episódio sairá no dia 16 de Fevereiro. A saga da Rosalina vai sofrer uma pausa porque a autora vai daqui a duas semanas ver os cangurus durante quase um mês e tem muita coisa para preparar. Não chorem. Teremos na programação do blog outros posts giros para ler.

 

Não percam as aventuras das vossas personagens preferidas porque nós também não! 

 

Os desejos de Rosalina parte I

Os desejos de Rosalina parte II

 

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Abril de 2015, ainda. 

 

7 horas. Despertador que toca, hora de ir para o trabalho.

 

Depois de vender o pacotinho de leite fresco e o pão rico sem codêa da Dona Isaura, Rosalina começa a varrer a loja. Todas as 2ª feiras é dia de varrer o estaminé, limpar o pó das prateleiras, as mais baixas, porque os seus 1,56m não lhe permitem aceder às mais altas.

 

Eis que no meio desta azáfama, Fausto entra pela mercearia a dentro.

 

- Hoje é dia de limpar o pó Rosalina? – pergunta com um ar brincalhão.

 

- Sim, senhor. Todas as 2ª feiras é dia de limpezas. O que o traz por cá? – disse ela assumindo uma postura respeitosa para com este belo desconhecido.

 

- Rosalina, podes tratar-me por tu, ora essa! – diz ele piscando-lhe o olho enquanto agarra numa caixa de fósforos da prateleira de cima.

 

Rosalina olha para o homem espantada com o atrevimento. «Era o que faltava, este pensa que só por ter uma barba ruiva bem aparada e uns olhos verdes cor-de-lago-com-algas que se pode ficar a rir». Decidiu não responder. Continuou a passar o espanador da Swiffer enquanto lhe passava pela cabeça o slogan do anúncio “Swiffer a passar e o pó a acabar”. Era oficial, aquele homem estava a dar-lhe a volta à cabeça.

 

- Rosalina? – ela estremeceu ao sentir Fausto por trás dela – Estás a ouvir-me? Estou a falar para ti!

 

Ela não ouvia nada de tão concentrada que estava na porra da publicidade. Olhou para trás e ali estava ele, entre ela e a prateleira dos detergentes da louça, a olhá-la profundamente.

 

- Rosalina… - ela estremecia de cada vez que o ouvia dizer o seu nome. – já não vendem cá aquela chouriça caseira feita pela Dona Cagueiruda?

 

- Oh não, a Senhora Manuela Cagueiruda faleceu no ano passado depois de um enfarte. O INEM demorou duas horas a chegar! Paz à sua alma. – Fez o sinal da cruz com a mão direita e o Fausto ficou a olhar para ela com um olhar consternado. Pensava ela que era por causa de ter sabido da notícia do falecimento da Dona Cagueiruda.... no entanto, o pensamento de Fausto estava bem longe, ele tinha ficado com o olhar fixo no peito farto de Rosalina que transbordava do decote «Pequena e boa como a sardinha! Comia com gosto...» pensou Fausto.

 

- Oh não sabia que essa senhora tinha falecido! Eu estive emigrado na Alemanha durante 3 anos. Trabalhava lá como aprendiz de mecânico e só voltei a morar nesta zona há 4 semanas, então perdi muita coisa por aqui. – ele fingia-se interessado pelas fofocas da zona, mas o seu olhar perdia-se de novo na madeixa de cabelo preto que caia no pescoço de Rosalina e que encaixava perfeitamente na covinha da sua clavícula. – Bem, então se já não têm a chouriça, vou só levar a caixa de fósforos. – Deixando um rasto de perfume barato atrás de si, pagou e foi-se embora sem pedir número de contribuinte na factura. 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O melhor comentário ganha um biscoito!

subscrever feeds

Desarrumações antigas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D