Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma desarrumada

Apostadinha em transformar isto num blog sério, mas não prometo nada.

Diário de uma desarrumada

Apostadinha em transformar isto num blog sério, mas não prometo nada.

24
Ago17

Aos sons que me arrepiam...

Estas férias em Portugal tornaram-se num voltar às origens, uma onda de recordações e saudade. Saudades, essa palavra maldita que só a língua portuguesa tem. Confesso que sou muito saudosista e que gosto de manter certos aspectos presentes na minha vida. A música portuguesa é um deles. E a guitarra portuguesa, que som vindo do céu, que arrepios que isto me provoca... afinal, sempre gostei deste som, e o engraçado é que nem sabia que gostava tanto.

 

Ouçam e digam de vossa justiça:

 

Emigrei, sim, mas não por ódio a Portugal ou vontade de "nunca mais lá voltar" como ouço muitos emigrantes a dizer ao desbarato (mas depois vêm para cá de férias emborcar cervejas nas praias do Algarve e jurar a pés juntos que Portugal é o melhor país do mundo).

 

Emigrei para ter uma progressão profissional que em Portugal seria difícil obter como recém-licenciada. E como ambiciosa que sou, nunca o escondi, na altura preferi sair. E cresci muito, hoje sei que teria feito tudo diferente enquanto cá estava, mas também sei que sem o que sei agora nunca saberia que havia outro caminho disponível. É um dos problemas que tenho encontrado na vida: às vezes as oportunidades chegam quando ainda não estamos prontos para elas e por isso deitamos tudo a perder, por falta de experiência.

 

Apesar de gostar do que faço e do que tenho em França, não me sinto feliz, não me sinto em paz. Parece que me falta sempre algo, há um vazio que permanece apesar de tudo. Tenho reparado que esse vazio parece um pouco mais preenchido quando estou em Portugal. E não sei explicar porquê, nunca pensei que fosse ser desses emigrantes que só falam em voltar, mas aqui estou eu, a admitir que o quero fazer e a dizer que não me imagino a ter uma vida 100% feliz fora deste país. Não sei quando nem em que circunstâncias o poderei fazer (voltar após alguns anos fora e começar tudo do zero sem ter uma rede de network criada assusta-me um pouco), mas quero e isso já vale alguma coisa, já me deixa um pouquinho mais em paz. Ao menos isso.

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Diário em fotos

Leituras

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D